Quer viajar, mas não está a fim de ir tão longe? Calma que aqui na América do Sul tem muita coisa para conhecer! Separamos 15 lugares imperdíveis para conhecer na Argentina, um dos destinos mais abraçados pelos brasileiros, mesmo que seja entre tapas e beijos.

O país já conquistou boa parte dos viajantes com a capital, Buenos Aires, que por um bom tempo permaneceu como um ótimo custo-benefício em termos de viagem. Embora isso tenha mudado um pouco, a cidade continua entre as mais procuradas. Mas as terras argentinas reservam ótimas surpresas, paisagens magníficas e exóticas, províncias repletas de aventuras, vinhos deliciosos e águas termais quentinhas para você relaxar após os passeios.

Vamos conferir algumas opções para expandir

Salta

Para chegar a Salta é preciso muita vontade. A cidade a 1.500 km de Buenos Aires reúne boas doses de adrenalina para aventureiros dispostos a percorrem longos caminhos. Entre seus principais atrativos estão o bungee jumping no abismo em Cabra Corral, travessias de 4×4 pelos desertos e salares da Puna, rappel, tirolesa, trekking a pé ou de bike entre os altos cumes da Cordilheira dos Andes, rafting no rio Juramento, pesca esportiva e outros esportes náuticos. Não perca também o passeio no Tren a las Nubes (Trem das Nuvens), que ganha esse nome por alcançar 4.200 metros de altitude. Na área central, conta com pousadas, museus, igrejas, bares e restaurantes que dão conta de acolher os visitantes.

Jujuy

Quem vai até Salta pode esticar facilmente o passeio rumo a Jujuy, que é onde fica Salinas Grandes, que falaremos mais abaixo. A geografia da província torna o lugar peculiar e especial, a começar pela capital, encrustada entre vales. Os turistas partem de lá para conhecer o sítio arqueológico de Pucará, que está a 2.500 metros acima do nível do mar, e o fabuloso cânion Quebrada de Humahuaca. Outro ponto imperdível e super pitoresco é Purmamarca, um vilarejo antigo erguido aos pés do Cerro de los Siete Colores, montanha que possui sete cores em sua formação. Para relaxar, recorrem à estância termal Termas de Reyes.

Mendoza

Quando se fala em vinho argentino, logo vem Mendoza na cabeça. A cidade tem nada menos do que 1.200 vinícolas, responsáveis por 70% da produção do país. Além de passear pelos vinhedos aos pés dos Andes e degustar algumas boas taças da bebida, os turistas também podem relaxar nas águas termais, presentes em estações como o Parque Termal Cacheuta, Termas del Challao e Complejo Termal Los Molles. Já os aventureiros seguem para o Parque General San Martín, rico em espécies botânicas e atividades radicais. E tem mais: no inverno também existe vida em Mendoza! Saiba mais sobre suas estações de esqui.

Salinas Grandes

O deserto de sal mais conhecido do mundo fica na Bolívia, mas o da Argentina também não é de descartar. A 72 km de distância de Purmamarca, o local é acessado por meio da Ruta Nacional 52, que passa por belas paisagens. Chegando às salinas, que estão a 3.550 metros acima do nível do mar, o público se encanta com o branco luminoso de sua superfície, que chega a espelhar o céu. São 12 mil hectares de território, onde há ainda um restaurante construído totalmente com sal,  que hoje está desativado mas ainda serve para boas fotos.

Quebrada de las Conchas

Em Salta, não perca um passeio até a Reserva Natural Quebrada de las Conchas. Os tons de vermelho e laranja se misturam entre as curvas moldadas pelo choque de placas tectônicas. Entre os destaques da paisagem árida estão as fendas de Gargantas do Diabo e Anfiteatro. A pacata cidade ainda preserva as culturas andina e indígena. Além disso, também cultiva vinhos orgânicos e tem até um museu para destacar a tradição: o Museo de La Vid y El Vino.

Bariloche

Conhecida carinhosamente como Brasiloche, San Carlos de Bariloche, na fronteira com o Chile, vai muito além da neve que tanto atrai os brasileiros durante o mês de julho, em plena alta temporada. A cidade na beira do lago Nahuel Huapi é um parque de diversões para quem curte esportes, gastronomia, luxo e ecoturismo. Com 53 pistas, a estação de esqui e snowboard do Cerro Catedral fica disputada no inverno. Mas a região também oferece outras atividades de aventura, como mountain-bike e trekking. Nos dias quentes, aproveite para passear nos bosques ou pegar uma carona num trem a vapor de 1912. E tome nota de uma vantagem: em baixa temporada, os preços da hotelaria e do aéreo são até 40% mais baratos.

Puerto Iguazu

Coladinho com o Brasil, Puerto Iguazu é conhecido por duas coisas: o duty free e as Cataratas do Iguaçu, que divide com a brasileira Foz do Iguaçu. Além de conhecer as belezas do Parque Nacional Iguazú, onde vivem índios Guarani, e ver de pertinho o espetáculo das águas (inclusive praticando rafting!), reserve um tempo para desbravar outras coisas pela cidade. A Casa de Horácio Quiroga se transformou num museu cheio de curiosidades e itens pessoais do escritor. As ruínas de San Ignácio Miní, tidas como Patrimônio Mundial da Unesco, resgatam o período de expedições jesuítas no século 17. A cerca de 62 km dali também é possível esticar o passeio até as Minas Wanda, que aproxima o público de brilhantes pedras preciosas, como quartzo, ágata, ametista e topázio, em seu estado natural.

Delta do Tigre

Se você vai para Buenos Aires, vale a pena esticar o passeio até Delta do Tigre, a 32 km de distância. A reserva natural formada por um conjunto de ilhas reúne cenários bucólicos, que são percorridos de catamarã entre canais, rios e arroios. Casas, pousadas, parques, vilas, museus e edifícios de arquitetura britânica ou vitoriana podem ser vistos de perto com as paradas ao longo do caminho. O mercado a céu aberto Porto de Frutos é uma parada obrigatória, onde há muitos produtos artesanais e muito a se ver em seus arredores. Outro ponto importante é San Isidro, capital nacional do rugby, e o Parque de la Costa, o maior parque de diversões do país.

Ushuaia

Como não ficar curioso em relação a um lugar conhecido como Fim do Mundo e Terra do Fogo? A cidade mais austral do planeta é também uma das mais frias da Argentina, o que significa uma variedade de ofertas de atividades ligadas ao inverno. Você pode conhecer estações de esqui, praticar trekking e canoagem, observar pinguins e leões marinhos, passear por bosques, montanhas, rios e lagos que tornam a região uma das mais conhecidas da Patagônia.

El Calafate

Um dos pontos mais famosos e desejados na Patagônia argentina é El Calafate. Isso acontece por conta da maior geleira horizontal do mundo, o glaciar Perito Moreno. Localizado dentro do Parque Nacional Los Glaciares, está a 80 km da cidade e tem passarelas que dão acesso a geleira, que pode oferecer temperaturas de -30ºC durante o inverno. Como o gelo sempre estará lá, é melhor optar por outra estação do ano por conta do frio. Há também caminhadas sobre a geleira com degustação de uísque, onde os viajantes extraem pedras de gelo dali mesmo.

El Chaltén

Extremamente charmosa, a cidade abriga um dos povoados mais antigos da Argentina, no total apenas 500 habitantes, mas lota de turistas ao longo do ano, o que justifica a boa infraestrutura local, com rede hoteleira, opções gastronômicas e guias turísticos. Considerada a capital argentina do trekking, é um verdadeiro desafio para aventureiros por ter alguns dos picos de maior difícil acesso do mundo, como o cerro Torre e a montanha Fitz Roy. 

Córdoba

A segunda mais populosa cidade do país une o tradicional com o moderno em seus traços. Na história, foi marcada pela dominação espanhola e jesuíta, que deixaram suas marcas em igrejas e outros edifícios que contam a trajetória local. Com vida noturna agitada, vários atrativos culturais e gastronômicos, também se destaca pela enorme oferta de hotéis, crescente a cada ano. Indo além das bordas urbanas você encontra terreno fértil para atividades de aventura. Também pode percorrer as belas estradas que cortam as serras, passando por Sierras Chicas, a Sierras Grandes, Traslasierra e Camino de las Altas Cumbres. Se for em meados de outubro, a viagem pode terminar com um brinde no animado Festival Nacional da Cerveja, na Villa General Belgrano.

Trevelin

Para ver lindos campos floridos, não é preciso ir até a Holanda. A vizinha Argentina tem uma porção de tulipas colorindo a cidade de Trevelin em meados de outubro.  A província é parte de Chubut, na Patagônia, e reúne não só belas flores, mas também lagos, montanhas, cachoeiras e rios dentro do Parque Nacional Los Alerces. Outro fato curioso é que mantém até hoje algumas tradições de seu colono País de Gales, vista na arquitetura, no cultivo de chá e na pesca desportiva.

Neuquén

Destino de veraneio dos hermanos, Neuquén é uma região de muitas belezas naturais e não por acaso já concorreu por um lugar entre as 7 maravilhas argentinas. Entre os destaques está a zona termal de Caviahue e Copahue, uma área vulcânica que protege as nascentes do rio Agrio. Bosques de Araucárias, lagos cristalinos, atividades de aventura e centros de esqui (como Chapelco e Cerro Bayo) são outros atrativos. Na capital é possível explorar museus e a recente Rota do Vinho, na qual bodegas abrem as portas para receber os turistas.

La Rioja

A província de La Rioja é conhecida pela produção de vinhos e azeite de oliva. Mas também é um prato cheio para quem busca por atividades ao ar livre. Em Villa Unión e Chilecito se reúnem maravilhas naturais e culturais. O Parque Nacional Tampaya é famoso pelas formações rochosas avermelhadas e cânions profundos, com paredões que chegam a 150 metros de altura. Por ter vestígios de como era a vida a milhares de anos atrás, é também um sítio arqueológico. Há área para camping e excursões pelos principais atrativos.

Fotos: via e agências de viagem

Mais que convencida a marcar uma viagem para a Argentina?! Encontre aqui sua passagem para Buenos Aires e de lá para para conhecer esses e outros destinos incríveis 🙂

22 lugares surreais na América Latina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *