Se o Verão definitivamente não é a sua praia, hoje te levaremos a lugares frios para viajar. Com temperaturas amenas a gélidas ao longo de boa parte do ano, nossa lista inclui cidades para esquiar, ver a fabulosa aurora boreal, beber muito vinho e se aquecer em lareiras. Tire aquele casacão pesado do seu armário e bora!

Lapônia, Finlândia

Se você ama o inverno com todas as suas forças, agenda logo uma viagem pra Finlândia que é garantia de sucesso! Com neve durante quatro meses do ano, suas temperaturas chegam a atingir -20 °C e no verão o calor segue tímido. A região da Lapônia é a mais fria do país e também um dos principais pontos de observação de fenômenos naturais como a aurora boreal e o sol da meia noite. Além disso, essa é também a terra do Papai Noel, que recebe visitas em sua casa durante o Natal (é sério!). Mas antes de ir é preciso se planejar, porque a cidade fica a 1.000 km da capital, Helsinque.

Siglufjörður, Islândia

O verão na Islândia é fresco e o inverno é em graus negativos, porém dá para sobreviver. Com nomes difíceis de pronunciar, as cidades islandesas são um tanto parecidas: frias, em meio a morros verdinhos e casinhas de telhado colorido. Aquela paisagem digna de Instagram! Para além da capital Reykjavik (que o Quanto Custa Viajar conheceu e amou), sugerimos que você vá até a pequena vila de pescadores Siglufjörður para não só apreciar um bocado de música folk local, como também praticar esportes como patinação no gelo, esqui e dar um rolê com motos de neve.

Sibéria, Rússia

Quem vai até a Rússia já está preparado para o frio rigoroso, especialmente em janeiro. Recentemente, o país registrou -67ºC, o que chegou a congelar até os cílios da população. No verão, o clima tampouco se aquece, ficando por volta dos 5 °C. Uma neve sem fim e belas paisagens caracterizam a Sibéria, que é um dos principais destinos de inverno do país. Embarque num trem rumo ao lago congelado Baikal, que é o mais profundo do mundo, visite as esculturas de gelo de Listvyanka, alugue uma cabana de madeira e se aqueça nas saunas russas.

Nuuk, Groenlândia

Com algumas semelhanças, a Groenlândia poderia ser prima da Islândia, mas elas são apenas vizinhas. Em dias amenos, o termômetro marca em torno dos 7 °C, enquanto nos dias frios as temperaturas se mantém no número sete, porém ficam negativas. O país também abriga o deserto polar, que está entre os mais gélidos do mundo. Logo na capital, Nuuk, uma porção de casinhas coloridas se exibem entre as montanhas nevadas. O coração da nação tem apenas 16 mil habitantes, que desfrutam de ar puro, aurora boreal, restaurantes gourmet, museus, espaços culturais, cervejas artesanais e boas xícaras de café forte.

Oslo, Noruega

Não dá pra falar de frio sem falar de Oslo, um verdadeiro sonho invernal! Com características que o tornam propício para esportes no gelo, não por acaso o país consegue uma porção de medalhas em todas as Olimpíadas de Inverno. Na moderna Oslo há muito a se fazer, inclusive praticar snowboard e esqui em suas montanhas branquinhas a apenas 30 minutos do centro. A capital tem até mesmo um tour temático guiado chamado de Winter Walk, que passa pelos pontos principais da cidade, como obras do artista Edvard Munch e a catedral. Em dezembro, não perca o típico mercado natalino e a programação especial da temporada. Fato curioso: um dos lugares mais frios do país se chama Hell, que em inglês significa exatamente o oposto do que é, “inferno”.

Tallinn, Estônia

Cheia de charme, Tallinn é definitivamente uma parada obrigatória para quem viaja pela Europa. Repleta de cultura, edifícios medievais e paisagens cênicas, a cidade parece ter saído de contos de fadas. O clima continental torna o período de inverno longo, escuro e com temperaturas negativas, que podem chegar até -30 °C. Para não sofrer tanto com o frio, evite o mês de janeiro. Apenas julho e agosto são mais quentes, chegando a 18 °C, porém com chuvas. Na época do Natal, luzes iluminam as ruas e feiras temáticas, enquanto o rinque de patinação ao ar livre recebe os turistas mais ativos.

Lech Zürs am Arlberg, Áustria

Destino de inverno, Lech tem uma típica paisagem alpina europeia. O vilarejo hoteleiro de apenas 150 habitantes fica mais movimentado assim que a cintilante neve cobre todo o seu território. Dentro de uma das maiores estâncias de esqui do mundo, o público se diverte em pistas de 1.450 e 2.450 metros de altitude, propícias para esquiar e descer de snowboard. Para apenas dar um passeio, há 88 elevadores e teleféricos, que funcionam entre dezembro e abril. O verão vai de junho a outubro, porém com clima mais ameno, já que a cidade é alta. Há outras atividades ao ar livre nessa temporada, que segue com temperaturas mais amenas.

Almaty, Cazaquistão

Já pensou em visitar o Cazaquistão? O país na Ásia Central faz fronteira com a China e a Rússia, o que significa baixas temperaturas durante o outono/inverno. Uma boa dica é conhecer a moderna e bela Almaty, que está rodeada por picos majestosos que chegam a quase 4.000 metros de altitude, lembrando um pouco a paisagem urbana de Santiago, no Chile. A meia hora da cidade você encontra o Shymbulak Ski Resort, uma estação de esqui que faz a alegria dos adeptos de esportes de aventura. Entre dezembro e abril a região fica movimentada, contando com um hotel, duas áreas de ski e snowboard que vão até 3.200 metros acima do nível do mar.

Anchorage, Estados Unidos

Com invernos longos e lugares selvagens onde brilha a aurora boreal, é claro que o Alasca não poderia estar de fora dessa lista. Em Anchorage, a neve não chega a ultrapassar 179 cm por ano, mas ainda assim há uma porção de coisas a se fazer nessa bela cidade, que se formou em frente as montanhas Chugach e se tornou a mais populosa do estado. Há muitos centros culturais, bares, restaurantes, shoppings e belos parques para se visitar, com trilhas de esqui durante o inverno e a abertura de alguns resorts propícios para a estação. O clima subártico é influenciado pelo mar, resultando em temperaturas não tão bruscas quanto parecem. A temperatura ao longo ano varia entre -13 °C e 18 °C. Montana, Dakota do Sul, Wisconsin e Michigan são outras opções norte americanas para quem ama frio.

Quebec, Canadá

Não é novidade que o Canadá é frio, porém há uma certa variação entre as cidades. Assim sendo, sugerimos que você vá para Quebec se quer temperaturas amenas a gélidas, chegando até -39 °C ao cair da noite. Anualmente se formam camadas de neve que chegam a 316 cm, garantindo a diversão de quem quer gelar os dedinhos. Em janeiro e fevereiro a cidade se anima um bocado com o Carnaval de Inverno (Quebec Winter Carnival), que reúne atividades relacionadas à estação mais fria do ano, como workshops de esculturas na neve, patinação no gelo e até competições malucas de corajosos tomando banho no meio da nevasca. Outra opção canadense para se congelar é Whistler, resort com maior área esquiável da América do Norte, e Snag, que chega a -72 °C!

Encontre em nosso buscador, o melhor preço de passagem aérea para o seu destino!

Lhasa, Tibet

O Tibet também reserva boas opções para quem quer aproveitar o invernos extremos e baixas temperaturas ao longo do ano. Em Lhasa predomina o clima ameno a frio durante o ano, sendo 178 dias abaixo de 0 °C. Em alguns meses a presença do sol dá uma tapeada na sensação térmica. Naturalmente bela, a cidade a 3.600 metros acima do nível do mar tem montanhas que chegam a 5.800 metros de altitude, fazendo os olhos dos aventureiros brilharem. Entre seus principais atrativos estão o Palácio Potala e o parque Norbulingka, respectivamente residência e monastério de inverno e verão de Dalai Lama. Outras joias arquitetônicas e templos encantam os turistas, além de festivais como Monlam, Great Prayer e Losar, como é chamado o Ano Novo.

Sapporo, Japão

Não foi por acaso que Sapporo sediou as Olimpíadas de Inverno de 1972. Com temperaturas que não ultrapassam os 25 °C no verão (julho e agosto) e que chegam a -4 ºC no inverno, a capital de Hokkaido conta com uma média de 130 dias e 630 cm de neve anualmente. Em fevereiro acontece o principal festival da temporada, atraindo milhares de pessoas para a região. Enormes esculturas de gelo, jogos na neve, música e culinária típica estão entre seus atrativos. Nas longas noites escuras que chegam com a época natalina, o evento White Illumination ilumina lindamente as ruas com obras de arte luminosas. Outros pontos interessantes da cidade são o museu da cerveja Sapporo e a Fábrica de Chocolate Ishiya.

Harbin, China

Assim como em Sapporo, a China também tem um grande festival de inverno para chamar de seu. Em Harbin acontece anualmente o Festival de Gelo e Neve desde 1963. Em meados de dezembro e fevereiro é erguida um enorme parque gelado, cheio de esculturas, castelos, escorregadores e luzes. A temperatura na região pode chegar a -35 °C. Fora isso, há outros atrativos na cidade, como as influências russas, que vão da arquitetura à comida, e áreas de preservação animal onde repousam belos tigres siberianos. A paisagem urbana coberta de neve também fica bem bonita.

Puerto Natales, Chile

O Sul do Chile é uma boa opção para curtir o clima frio não tão longe do Brasil. De março a setembro estão as temperaturas mais baixas do ano, chegando a nevar em algumas regiões como Bariloche, Valle Nevado e Torres del Paine, que tem como porta de entrada Puerto Natales. O clima é predominantemente frio ao longo de todo ano, com temperaturas mais amenas de dezembro a março, enquanto no inverno pode chegar a 0 °C. Embora pequenina, há o que fazer dentro da cidade também. Suba ao Monte Dorotea para ter uma visão panorâmica de todo o seu charme, explore as histórias da Caverna do Milodón e encontre belíssimas geleiras ao navegar pelo fiorde Ultima Esperanza.

Carmelo, Uruguai

Tida como a nova queridinha dos uruguaios e turistas, Carmelo mantém temperaturas amenas a frias durante boa parte do ano, com exceção do verão, que chega a ter 30 °C marcando os termômetros. Mas, no geral, a média é de 18 °C. Para curtir esse friozinho gostoso, a cidade aposta em pousadas charmosas e vinhedos, que tornam a região uma das maiores produtoras do país. As vinícolas recebem visitantes para degustações de queijos e vinhos sob um belo pôr do sol.

*nota da autora: O Uruguai é um dos lugares onde essa que vos escreve mais passou frio na vida. Totalmente desprevenida, visitei o nosso vizinho em plena Primavera achando que usaria até biquíni. Ledo engano! Os ventos cortantes que vêm da Antártida (veja bem de onde vem a corrente de ar dos caras!) chegaram a queimar o meu rosto e não havia roupa que me protegesse o suficiente. Depois dessa, aprendi que existe sim lugar bem frio em terras uruguaias, clima que permanece de abril a meados de novembro.

Fotos: divulgação

10 cidades para curtir o inverno no Brasil

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *