Alcançando até 1.800 metros de altitude, a trilha da Janela do Céu, em IbitipocaMinas Gerais, leva os aventureiros até uma das mais belas e concorridas vistas dentro do estado. Localizada acima de uma cachoeira de 20 metros onde correm águas douradas, é como uma moldura natural que abre alas para a paisagem composta de montanhas e vegetação.

Extensão da Serra da Mantiqueira, o parque de Ibitipoca está numa área de 1488 hectares, dividida entre Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca, formando uma área de proteção ambiental composta por paredões rochosos, penhascos, 48 cachoeiras e 74 grutas de quartzito, um mineral raro no mundo.

O ponto principal dessa viagem costuma ser a vila de Conceição do Ibitipoca, a 3 km antes da portaria da reserva natural. Com ruas de pedras, casinhas coloridas e delícias mineiras, é lá onde os visitantes encontram hotéis, pousadas, restaurantes, bares e serviços. Dentro do parque há um camping com lava-pratos, churrasqueiras, banheiros e restaurante, além do Centro de Informação e Educação Ambienta.

O circuito para a Janela do Céu, também chamado de Volta ao Parque, tem 16 km no total e a trilha com exposição direta ao sol passa por vários atrativos. Não há atalhos, então é preciso de tempo e disposição para chegar até a queda d’água, porque são seis a oito horas de percurso, incluindo intervalos.

A primeira parada dessa jornada é no Pico do Cruzeiro, a cerca de 1,6 km da entrada do parque e a 1.500 metros de altitude, onde há uma grande cruz rústica de madeira fincada no solo. Ao lado está a Gruta da Cruz, uma bela formação com dois salões e uma claraboia, que resulta na entrada de luz solar.

A caminhada segue até o Pico da Lombada (ou Pico do Ibitipoca), o ponto mais alto da Serra, a 1.784 metros de altura. A visão 360º graus que oferece fica ainda mais deslumbrante durante o pôr do sol. Uma descida de aproximadamente 1,4 km ajuda os visitantes a chegarem até a Gruta dos Três Arcos, composta de três entradas que formam três arcos, oferecendo um cenário bonito em contraste com a mata ao redor.

A poucos metros dali se tem acesso a Gruta dos Fugitivos. Escura, exige o uso de lanterna e recebeu esse nome porque servia de rota para quilombo de escravos em busca de liberdade. A parada seguinte é a Gruta das Moreiras, lugar de vários salões, pequenas saídas e claraboias, há gotejamento, portanto requer atenção redobrada para quem ninguém se machuque escorregando. Vale a pena reabastecer as energias por ali, porque depois fica mais difícil parar.

Assim que a mata vai fechando e flores roxas vão surgindo, ao longo de 2 km de andança, indica que o caminho até o ponto principal dessa trilha está chegando. Nesse momento se alcança Ribeirão Vermelho, onde há duas alternativas: ir para a Cachoeirinha e depois a Janela do Céu, ou vice-versa.

A Cachoeirinha deságua por aproximadamente 35 metros, caindo sobre um degrau e uma pequena piscina natural. O visual a essa altura do campeonato já é contemplativo o suficiente e um mergulho para refrescar é quase obrigatório. Isso se não for inverno, quando a seca quase extingue a água. Uma escada (a verdadeira “Stairway to Heaven”*) leva o público até a Janela do Céu, o topo de uma sequência com sete quedas d’água que correm por degraus.

De seu mirante com “borda infinita” se avistam vales e morros a longa distância, e, ao lado esquerdo, um paredão oferece um ponto de observação para a primeira queda da cachoeira de frente. Não é à toa que o local conquistou centenas de cliques extraordinários no Instagram e ganhou fama. Mas é preciso ter cuidado, afinal, as águas geladas que passam ali somadas às rochas escorregadias podem resultar em acidentes.

Dicas: Antes de ir, programe-se e fique atento aos horários, porque o parque tem horário para fechar e não abre às segundas-feiras (exceto em feriados emendados). Há um limite de 1.200 visitantes por dia e muitas trilhas para percorrer, que levam a outros lugares incríveis da reserva natural. O roteiro Pico do Pião tem 11 km e o das Águas tem 5 km. Há quem estique o passeio até Vila Souza do Rio Grande, a 30 km de distância de Conceição, e até a Vila dos Moreiras, a 12 km de distância. Saiba mais sobre a região nesse post!

Quanto custa: a entrada custa R$10,00 por pessoa em dias de semana e R$20,00 aos sábados/domingos e feriados. O estacionamento custa R$ 50,00 por dia.

Como chegar: a cidade de Lima Duarte fica a 90 km até Juiz de Fora; a 260 km do Rio de Janeiro e a 360 km da capital do estado, Belo Horizonte. É possível ir de carro, táxi ou ônibus até o município.

Onde ficar: há várias opções de hospedagem, para todos os bolsos, como o hostel Casa Real ($); o Sítio das Hortênsias ($$); os chalés Vale do Sol; e a pousada Janela do Céu ($$$$$).

*Música da banda Led Zeppelin que significa, em tradução livre, “Escada para o Céu”.

[+] Confira outras cidades bacanas para conhecer em Minas Gerais!

Post por Brunella Nunes

Fotos via

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquise aqui sua passagem aérea!