Percorrer o mundo é muito bom, mas cuidado para não cair em armadilhas. Ao menos é o que mostra o Itamaraty, que indica 12 países para os brasileiros evitarem viajar, de níveis variados. A lista reúne, basicamente, os lugares com altos índices de criminalidade, aqueles que podem realmente tornar uma viagem nem um pouco agradável.

Com o intuito de orientar a população que vai para o fora do Brasil, o Ministério das Relações Exteriores aponta para os locais onde a situação é tão agravante, que é melhor nem chegar na fronteira e, se já estiver, é bom sair o mais rápido possível. O órgão monitora, ainda que de forma um tanto precária, os índices de violência em três níveis, sendo: baixa, média e alta.

Os países a serem evitados estão, em sua maioria, na África, seguido pela Ásia, onde há conflitos de diferentes intensidades, que podem ou não passar por mudanças de segurança. São eles: Serra Leoa, Gâmbia, Somália, Líbia, República Democrática do Congo, Sudão do Sul, Djibuti, Eritreia, República Centro-Africana, Paquistão, Síria Afeganistão, onde há uma porção de paisagens intocadas, como mostramos aqui.

Existem ainda destinos com alto grau de cautela, que recomendam evitar, a não ser que a viagem seja essencial: Papua Nova Guiné, Ucrânia, Burundi, Suazilândia, Lesoto, Madagascar, Líbano, Nepal, Quirguistão e Turcomenistão, onde há ondas de violência. Na região caribenha, existem ainda os com grau moderado: Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas e Trinidad e Tobago.

No site do Itamaraty é possível acompanhar todos os alertas emitidos, inclusive os de situações mais pontuais, como ataques terroristas, inclusive dentro de países considerados seguros. Quando houver tensão na região onde o viajante está, é sempre bom checar se há alguma recomendação na página, além de manter contato com representantes diplomáticos ou consulado brasileiro no país em questão.

Confira também os 11 países onde o acesso é quase proibido

Post por Brunella Nunes

Fotos: divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *