Se você curte a adrenalina pulsando nas veias, este post vai fazer seus olhinhos brilharem. Em Iquique, os paragliders se divertem na maior duna do Chile e, com pouco esforço, voam mais de 1000 metros de altura a partir do chão. Considerada uma das cidades mais importantes e mais visitadas do país, o destino entre o Deserto do Atacama e o oceano Pacífico reúne ainda história e cultura maia.

Capital da região de Tarapaca, Iquique é se popularizou por conta de suas praias, que atraem surfistas e atletas em geral, e de ter a maior zona franca de comércio da América do Sul. O centro histórico reúne casas em estilo georgiano, construídas entre 1880 e 1920. Em áreas afastadas se encontram geoglifos, pinturas e gravuras rupestres típicas da cultura Aymara e Atacama. O público também visita o Parque Nacional Vulcão Isluga, as Termas de Mamiña e a cidade de La Tirana, que sedia um festival religioso.

O clima árido e seco colabora com a modalidade esportiva, que depende da ação dos ventos, que ali parecem perfeitos. As condições de voo estão entre as mais consistentes no mundo, ideais para saltos de asa-delta e paraglider ao longo dos 365 dias do ano, tornando-a sede de grandes campeonatos. Os esportistas de variados níveis de experiência vão até o Cerro Dragón, a duna com aproximados 350 metros de altura, para correr rumo a tão sonhada liberdade ao tirar os pés do chão. O visual é como se você sobrevoasse Marte.

Palo Buque é um lugares dos favoritos dos parapentistas, onde o ar é tão dinâmico que apenas com alguns passos, já não se está mais em terra firme. É praticamente um playground feito de areia e rocha, onde a brincadeira de gente grande é até involuntária. Outros destaques são o cânion Tiliviche, de onde se tem uma vista maravilhosa a 900 metros de altura; os penhascos de Junin, San Marcos e da comunidade de Alto Hospicio.

Para aprender a voar de parapente, o litoral de Valparaíso é um dos mais cobiçados, além de Santiago, onde vão os mais experientes. Quem desistir da ideia, pode praticar sandboard nas dunas de Cerro Dragón.

Algumas agências, como a Antofaya Expeditions, realizam tours de oito dias para os principais pontos de Iquique e arredores. O custo total fica entre  $1.940 e $2.240, incluindo acomodação em Playa Brava, guias, transfers, instruções, etc. Outras conhecidas pela prática são Wallowa Paragliding e Atlanta Paragliding Enterprises. Mas é possível ir por conta própria até o local e fechar os saltos em algum hostel local, por uma média de R$ 200,00.

Como chegar: voos e ônibus partem de Santiago rumo a Iquique. Para quem estiver em San Pedro do Atacama ou for pra lá, pode pegar ônibus diretamente no local. O percurso é de 554 km.

Saiba tudo sobre a sua viagem para o Chile!

Confira 5 roteiros de viagem pela América do Sul

Confira outros lugares espetaculares na América do Sul!

Post por Brunella Nunes
Fotos: divulgação/Antofaya Expeditions

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *