Impossível visitar Cuba sem reconhecer e se apaixonar com todo o legado histórico das cidades, que fazem cada esquina valer uma foto. Unindo o melhor de dois mundos, ou seja, a junção de praia paradisíaca e arquitetura, a Mansión Xanadu é um dos maiores legados do país. Aos reles mortais, o hotel de 1930 em Varadero oferece bons drinks entre vistas absolutamente alucinantes. E, posso garantir, não é o álcool falando!

A história toda começa da seguinte forma: em 1927, o milionário franco-americano Irenee Dupont de Nemours se aposentou, aos 49 anos. Herdeiro da empresa do bisavô, fundada em 1802, trabalhou o suficiente para transformá-la numa das maiores indústrias químicas do mundo. Quando resolveu deixar o cargo de presidência, partiu para Cuba em busca de tranquilidade.

Apesar de ter comprado uma propriedade gigante na Península de Hicacos, que abraçava 8 km de natureza virgem, foi nas colinas rochosas de San Bernardino que ele ergueu a sua mansão de veraneio. De frente para uma praia belíssima de águas turquesas, mornas e cristalinas, surgiu a imponente mansão, sob a custo de 1 milhão de dólares, valor ainda mais exorbitante para a época.

Não por acaso o local foi nomeado “Xanadu”, em alusão ao exótico palácio construído pelo lendário guerreiro chinês Kubla Khan, conforme descrito pelo poeta inglês Samuel Taylor, que havia consumido ópio e tido um sonho com o local em questão antes de escrever o poema homônimo. Por experiência própria, posso afirmar que o cenário é de filme, daqueles que nem nos seus melhores sonhos você poderia imaginar.

Resumindo a obra, são quatro andares com 11 quartos e banhos adjacentes, três grandes terraços, sete varandas e um cais privado. Ali também foi instalado o maior órgão privado de toda a América Latina. Madeiras nobres vindas de Santiago de Cuba foram empregadas nos tetos, trilhos de escadas e colunas, enquanto os pisos e os banheiros foram feitos em mármore cubano, italiano e espanhol.

Com o tempo, o terreno aumentou ainda mais, ganhando um belo jardim onde, antigamente, foram colocados papagaios e cacatuas. Com a ideia de formar um clube exclusivo para filiados, um campo de golfe com nove buracos foi implementado e até hoje é referência no país para os praticantes da modalidade.

E, como nada é para sempre, em 1963, mesmo ano em que o magnata faleceu, a casa de veraneio de Dupont se transformou em restaurante. Depois virou Monumento Nacional de Cuba e hotel  –  o mais luxuoso de Varadero  - , com seis quartos decorados com mobiliário clássico de 1920, lobby, restaurante, adega, clube de praia e área para eventos. Atualmente está em processo gradual de restauração, sem deixar de funcionar.

O melhor, porém, é o Casa Blanca Panoramic Bar. Alojado no último andar da casa, tem janelas forrando toda a parede. O vidro chega até a refletir o belíssimo azul do mar. Na verdade, em quase todos os ambientes você consegue ver uma luz azulada refletindo e sim, ela vem do sol de encontro ao mar.

Atrás do balcão, feito todo em madeira talhada, está o barman Gusmán, na função há 25 anos. Gente boníssima e ótimo profissional, preparou o melhor mojito que tomei em Cuba. Com o bar vazio, se escorou numa cadeira próxima da mesa e papeou com a gente como se fosse um grande amigo, comentando, discretamente, sobre as celebridades que já beberam mais do que deviam e das extravagâncias da alta sociedade.

Que lugar! Que dia! Um brinde ao Xanadú. Saúdo que seu brilho seja mesmo eterno.

Quanto custa: a visita aos andares do hotel custa 3 CUC, pagos diretamente para um dos funcionários. Acredito que seja o conciérge. Guarde uma graninha para bebericar, porque vale o preço! Os drinks custam, em média, 5 CUC. Já os quartos tem diárias a partir de 145 CUC para single ou 216 CUC para double - inclui café da manhã e jantar, com bebidas a parte. A prática de golfe é liberada sem custo extra aos hóspedes.

Como chegar: para visitá-lo, basta pegar o ônibus turístico ou táxi e descer no resort Melia Las Americas. Passando por dentro do shopping local se chega na belíssima praia e numa curta caminhada à Mansão Xanadu.

Fotos por Brunella Nunes /Equipe QCV
*reprodução proibida

Como ficar em Varadero sem se render aos resorts

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *