Todo filme que se preze apela para uma bela fotografia, responsável por elementos de caracterização, clima e veracidade. Para tanto, a escolha do cenário também se destaca por captar o olhar dos espectadores, que começam a mergulhar na história contada.  E aí se abre um leque de infinitas possibilidades, inclusive dentro do mundo real. Conheça 5 hotéis cinematográficos ao redor do mundo para se hospedar.

Utilizar espaços já existentes para compor cenas é uma tarefa bem comum na sétima arte. Perfeitos para cenas de festas, fuga ou até aventura, os hotéis chegam a abrigar boa parte das gravações de alguns filmes em suas dependências, como se vê no clássico “O Iluminado” e “O Grande Hotel Budapeste”.

Para dar dicas neste post, o especialista no assunto René Schuchovski Giuliani, que é o atual gerente de arquitetura e interiores da Rede de Hotéis Deville, ressalta os detalhes de alguns dos hotéis mais bonitos de filmes.

The Plaza Hotel – Nova York

O Plaza Hotel é uma das locações mais icônicas, aparecendo em filmes como “Esqueceram de Mim 2”, “The Great Gatsby” e “Quase Famosos”. Com classificação cinco estrelas, está localizado na Fifth Avenue, perto da região sul do Central Park, uma região nobre de Nova Iorque. Inaugurado em 1890, passou por uma grande restauração em 2008, na qual foram investidos 450 milhões de dólares.

“O projeto foi inspirado na arquitetura renascentista francesa, desenvolvida no início do século XVI na Europa. A aparência similar a de um castelo daquela época foi proposital, pois seus primeiros proprietários queriam uma construção elegante, mas ao mesmo tempo imponente e grandiosa. A decoração interna foi tratada com lindos detalhes, em que não foram poupados gastos”, ressalta Giuliani.

The Waldorf Astoria – Nova York

Também localizado em Nova Iorque, mas na Park Avenue, o Waldorf Astoria foi construído em 1931 e ocupou a posição de hotel mais alto do mundo até 1963. Cenário para filmes como “Sr. e Sra. Smith”, o empreendimento também foi palco para a clássica cena do tango de “Perfume de Mulher”, quando Frank (interpretado por Al Pacino), dança com Donna (Gabrielle Anwar). Em reforma, a previsão é que o hotel reabra daqui a três anos. Para Giuliani, o espaço é um belo exemplo de edifício no estilo ArtDeco, movimento artístico internacional iniciado na Europa em 1910 e que teve grande popularidade nos EUA durante a década de 30.

“A fachada é marcada pelo rigor geométrico e pela predominância de linhas verticais. A tendência de eliminar o excesso de adornos influenciou também o design de interiores, dando mais destaque aos materiais nobres utilizados para revestir paredes e pisos”, destaca.

René lembra ainda que o mobiliário com estilo renascentista contrasta com essa linguagem e ganha mais evidência em cada um de seus cômodos.

Relais Bourgondisch Cruyce – Bruges 

Hospedar-se no Relais Bourgondisch Cruyce é ficar perto dos principais pontos turísticos de Bruges, cidade européia conhecida por sua arquitetura medieval. Construído em 1682, o prédio sofreu um grande incêndio em 1902, mas a parte atingida foi reconstruída, replicando o mesmo aspecto original. Com apenas 16 quartos, mas localizado ao lado de canais, o hotel foi palco do filme “Na Mira do Chefe”, com Colin Farrel, Brendan Gleeson e Ralph Fiennes.

Composta por quatro casas medievais, a edificação está perfeitamente inserida na paisagem da cidade. Em uma localização cênica, o hotel pode ser encontrado em diversos cartões postais da cidade.

“O interior é rústico, com forte influência da arquitetura medieval, mas incrivelmente decorado com lindas obras de arte, tapetes persas e um mobiliário clássico. Os contrastes entre a antiga edificação e sua decoração eclética dão ao hotel uma atmosfera romântica, de muito aconchego e luxo”, lembra o arquiteto.

Park Hyatt Tokyo – Tóquio

O filme “Encontros e Desencontros” serviu não apenas para tornar a jovem atriz Scarlett Johansson uma das grandes apostas de Hollywood: também ajudou a tornar mundialmente famoso o hotel que abriga o filme, o Park Hyatt Tokyo. O empreendimento funciona nos últimos 14 andares de um prédio comercial com 52 pavimentos, proporcionando uma bela vista de Tóquio.

Segundo René, a sensação de espaço é imediatamente evocada quando os hóspedes se deparam com a maior parte das áreas comuns do hotel. Restaurantes, jardins, academia e outros espaços internos são beneficiados com grandes alturas e vãos livres, uma possibilidade não muito convencional para hotéis urbanos devido à falta de espaço e limitações estruturais.

“O mobiliário moderno traz forte influência da cultura oriental em sua racionalidade, mas carrega consigo o conforto e aconchego em sua decoração”.

De acordo com ele, o mais impressionante é poder desfrutar da paisagem de Tóquio em boa parte do empreendimento, pois está impressa nas peles de vidro desse arranha-céu.

Amsterdam American – Amsterdã

A beleza do Hampshire Hotel – Amsterdam American fez com que ele fosse locação do filme teen “A culpa é das estrelas”, embora o crédito tenha ficado para o Hotel De Filosoof. O empreendimento fica no centro de Amsterdã e data de 1902, além de disponibilizar 175 quartos e um icônico bar e restaurante.

“Se você é um fã de arquitetura, vale a pena conhecer este hotel. A fachada é uma interessante interpretação holandesa de Art Nouveau, movimento artístico que surgiu na Europa no final do século XIX. Detalhes caprichosos podem ser percebidos nos mosaicos e grandes vitrais que compõem todo o edifício. Sem sombra de dúvida, os pontos mais atraentes são o bar e restaurante, espaços tombados pelo Patrimônio Nacional”, finaliza René.

Fotos: divulgação

Confira também:

12 lugares de séries famosas da TV e da Netflix para visitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *