Ah, São Paulo…sou suspeita para falar porque amo este pedaço caótico do Brasil. Existem sim muitos problemas na cidade, mas as qualidades que surgem a cada esquina podem surpreender. Uma das coisas mais incríveis que vem acontecendo por aqui é a ocupação de espaços públicos, tornando os fins de semana ainda mais divertidos.

E depois de viajar para alguns lugares, noto que realmente é inegável que São Paulo tem de tudo. Você consegue encontrar uma pluralidade muito grande aonde quer que vá porque é difícil colocar barreiras num espaço tão diversificado. Ao mesmo tempo que está na rua Oscar Freire, uma das mais sofisticadas da capital, pode virar uma esquina e se deparar com um comércio mais popular da rua Augusta, por exemplo.

Depois dessa pequena rasgação de seda para a minha cidade, vamos ao o que interessa. Aqui vão algumas dicas para um Guia Não-Turístico de São Paulo, porque o turístico mesmo você já conhece (se ainda não conhece, clique aqui)

Guia Não-Turístico de São Paulo

Para quem curte entrar e admirar catedrais, as opções são muitas. A Igreja Nossa Senhora do Brasil é uma das minhas favoritas e não à toa tem fila de espera para casamentos. Das mais conhecidas, o Mosteiro de São Bento também é espetacular, mas saindo dessa rota indico a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis, a Igreja Nossa Senhora da Consolação e a lindíssima Basílica de Nossa Senhora do Rosário.

Guia Não-Turístico de São Paulo

Basílica de Nossa Senhora do Rosario Guia Não-Turístico de São Paulo

Basílica de Nossa Senhora do Rosário

Indo para o lado dos museus e galerias, lamento que um dos meus favoritos esteja fechado por alguns anos, que é o Museu do Ipiranga, mas ainda assim é um bom lugar para dar um passeio. O Museu do Futebol, dentro do estádio do Pacaembu, tem um acervo bacana e a infraestrutura é bem moderna e interativa. Quem ama arquitetura precisa conhecer o Instituto Lina Bo e P.M. Bardi, chamado também de Casa de Vidro, onde viveu o casal de arquitetos.

Museu do Fut Guia Não-Turístico de São Paulo

Museu do Futebol Guia Não-Turístico de São Paulo

Lina bo Bardi

Casa de Vidro

A Casa Guilherme de Almeida, a Fundação Ema Gordon Klabin e a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano são lugares bem legais para apreciar o acervo e passar um tempo. No centro, dê um pulo no Museu da Tatuagem, cheio de histórias curiosas e no pequeno, porém encantador, Centro de Memória do Circo, dentro da Galeria Olido.

cmc

centro de memoria do circo

Para quem curte graffiti e arte urbana, tem o MAAU – Museu Aberto de Arte Urbana -, onde foram feitos vários murais enormes numa via urbana. Indico ainda as galerias A7MA, a Choque Cultural, a Verve Galeria, a Qaz Street Art, a Galeria Ornitorrinco, Tag Gallery e Overground Art Studio Gallery. Na Vila Madalena, o Beco do Batman faz bastante sucesso por conta dos muros grafitados, mas a escadaria do Patápio, entre as ruas Patápio Silva e Medeiros de Albuquerque, é linda e tem muitas atrações em seus entornos.

Maau

a7ma

 

Escadaria-do-Patapio

Dentro do famoso Parque do Ibirapuera tem, além dos museus, um Pavilhão Japonês e o Viveiro Manequinho Lopes, que valem a visita. Se quer fugir da muvuca do Ibirapuera, experimente o tranquilo Parque da Aclimação. O Parque Villa-Lobos tem uma biblioteca super bacana, enquanto o charmoso Parque da Água Branca tem um clima de fazenda que as crianças adoram. Aos sábados tem um concorrido café da manhã orgânico.

Pavilhao Japones

Viveiro Manequinho Lopes

Vila Llobos

biblioteca vila llobos

Outro lugar legal para dar um rolê é no Minhocão, antigo Elevado Costa e Silva, que fica fechado para os carros aos fins de semana e recebe eventos, food trucks e espetáculos como o infantil Esparrama na Janela, feito de uma das janelas dos edifícios. Na região central, os entornos da Praça Dom José Gaspar também ficam animados e tem de tudo: bares, restaurantes e a saudosa Galeria Metrópole, onde fica o descolado bar Mandíbula.

Minhocao

Minhocao2

Não perca as festinhas malucas da Trackers – ou Tracker Tower -, nem os eventos dominicais da Casa das Caldeiras, gratuitos e sempre com música de qualidade, além do espaço, que é incrível. A Balsa, um dos lugares mais charmosos num terraço da cidade, abre ao público em dias de festa, então vale a pena ficar de olho na programação. Tem também a Casa 92, uma baladinha que faz com que você se sinta, literalmente, em casa.

Balsa

Casa92

 

Casa das Caldeiras

Casas das Caldeiras

Para viver experiências diferentes na cidade, dê um pulo na Feira Kantuta, dedicada a cultura andina. O Ateliê no Escuro promove jantares sensoriais onde os participantes ficam vendados, enquanto o Fechado Para Jantar cria banquetes em lugares inusitados, como uma livraria.

Atelie no Escuro

Fechado para Jantar

O pessoal do SampaPé promove passeios culturais pela capital, sempre na base da caminhada. Se quiser poupar os pés, faça um passeio cultural a bordo do antigo Trem Cultural dos Imigrantes, ou de uma Maria Fumaça que leva os passageiros até o distrito cinematográfico de Luís Carlos.

Trem Imigrantes

Na represa Guarapiranga dá para passar o dia praticando Stand Up Paddle, windsurf e veleiro. O espaço conta com vestiário, parquinho, lanchonete e aluguel de equipamento.

Vale também conhecer a Japan House, um centro cultural japonês. E o edifício Tokyo, que conta com 9 andares onde acontecem festas, além de bares e até karaokês!

Eu poderia ficar muitos e muitos parágrafos falando de vários cantos inusitados e especiais da minha São Paulo, mas em resumo, estas são algumas das coisas que, dentre tantas outras, tornam a vida na metrópole mais prazerosa. Na hora do cafezinho, tenha em mãos a nossa lista com opções de cafés em SP.

GuarapirangaFotos: reprodução

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *