Tem uma coisa que sempre me deixa confusa na hora de viajar: o ritual da gorjeta. Sim, porque em alguns lugares faz-se um verdadeiro ritual para que o garçom traga a conta à mesa, os clientes então pagam o valor estipulado, aguardam o troco e, só aí é que deixam-se alguns trocados como agradecimento pelo serviço.

Nada mais justo do que trazer aqui para o Quanto Custa Viajar um guia para deixar gorjeta na Europa – ou não deixá-las, quando conveniente.

Para ter ideia do tamanho da confusão, uma pesquisa citada pelo Matador Network indica que um em cada três viajantes não sabe quando ou quanto deixar de gorjeta.

Você faz parte desta estatística? Então vem comigo!

Gorjeta na Europa

Começamos pela regra geral: a gorjeta na Europa não é obrigatória e muitos países dispensam esse extra. Em destinos em que ela é usual, o normal costuma ser deixar entre 5% e 15% do valor da conta.

Vamos ver como proceder nos destinos mais populares entre os brasileiros?

Gorjeta na Alemanha

Na Alemanha, o serviço não virá incluído na conta. Ele é opcional, mas uma pesquisa aponta que os alemães são os viajantes que mais deixam gorjeta no mundo – 69% deles sempre retribui o atendimento.

gorjeta na Europa

É comum deixar o troco na hora de pagar a conta ou oferecer um valor equivalente a 10% do total. Ao pagar em dinheiro ou cartão, você pode indicar ao garçom o quanto deseja que seja cobrado – por exemplo, se a sua conta custou 8 euros, indique que deseja pagar 9 euros e ele lhe devolverá o restante.

Uma curiosidade alemã são as gorjetas no banheiro. Muitos funcionários que trabalham na limpeza destes estabelecimentos esperam uma pequena contribuição. Deixar algo em torno de 50 centavos a 1 euro é recomendado, como indica o DW.

Gorjeta na Espanha

Na Espanha, não é muito comum deixar gorjetas em bares ou cafés. O mais usual, nesse caso, é tentar arredondar o valor para uma cifra logo acima do total da conta.

Arco do Triunfo, em Barcelona, Espanha. Foto: Toa Heftiba

Por exemplo, você e seu companheiro de viagem acabam de tomar um cafezinho e a conta saiu por 2,40 euros. Está tudo bem deixar uma moeda de 2 e outra de 50 centavos – inclusive, esse seria o mais comum.

O mesmo vale para bares e restaurantes mais descontraídos e simples. Se estiver sem trocados ou for pagar no cartão, ninguém vai olhar feio para você por não deixar gorjeta – mas sempre vale o bom senso, claro. Caso tenha ganho uma bebida ou uma tapa como cortesia, pode ser educado deixar um valor como agradecimento, mesmo que simbólico.

Em restaurantes mais arrumadinhos, entretanto, a gorjeta pode soar um gesto simpático. Nesse caso, deixar de 5% a 10% está de bom tamanho.

Serviços normais, como táxis, não esperam gorjetas. Carregadores de malas, no entanto, ficarão felizes com alguns euros extras – o mesmo vale para o serviço de quarto.

Gorjeta na França

Na França, é bastante comum que o valor do serviço já esteja incluído na conta, mesmo que não venha discriminado. Se encontrar a expressão “Service compris”, quer dizer que o serviço já está incluído.

Ponte em Paris, na França. Foto: Léonard Cotte

Em locais menos turísticos, é possível que os atendentes não aceitem caso você queira deixar um valor além disso (acredite, aconteceu comigo!). Entretanto, é sempre bem visto deixar algumas moedas sobre o valor pago, caso esteja muito satisfeito com o atendimento.

Como lembra o Booking, é bacana deixar alguns euros para carregadores de malas e para o serviço de quarto – 1 euro por mala + 1 euro por noite estão de bom tamanho. Ao mesmo tempo, pode-se arredondar o valor da corrida ao andar de táxi.

Gorjeta na Europa: Holanda

Na Holanda, os salários são altos e a gorjeta não é tão comum, embora seja sempre interessante deixar algum valor ou arredondar o troco, como lembra o Ducs Amsterdam. Em cafés ou bares, você poderá encontrar a famosa caixinha no balcão pronta para receber algumas moedas.

Centro histórico de Amersfoort, Holanda. Foto: Micheile Henderson

As moedas também são um bom pagamento para o carregador de malas e os táxis podem esperar que você arredonde os valores para cima, o que é totalmente opcional.

Gorjeta na Inglaterra

Na Inglaterra, a gorjeta é levada um pouco mais a sério, como lembra o blog Esse Mundo é Nosso. É comum deixar entre 10% e 15% em restaurantes. Essa quantia poderá vir acrescida ao valor total ou apenas sugerida (nesse caso, indica que ela não está somada à conta). O mesmo vale para os táxis, visto que os passageiros ingleses costumam acrescentar cerca de 10% ao valor da corrida.

Em fast foods e bares sem serviço de mesa, não é necessário deixar nada, mas pode ser legal acrescentar algumas moedas à caixinha, que normalmente fica próximo ao caixa. Nos hotéis, reserve uma ou duas libras para o carregador de malas.

Vista do Big Ben, em Londres, Inglaterra. Foto: Heidi Sandstrom

Gorjeta na Irlanda

Nos pubs, você vai notar que a gorjeta não é comum – mas colocar umas moedinhas na jarra de tips é sempre bem-vindo na Irlanda. Em restaurantes, esse valor extra é quase obrigatório de tão corriqueiro. O mais frequente é deixar entre 10% e 15%.

Alguns estabelecimentos podem incluir o serviço na conta e, nesse caso, não é necessário deixar nada além do valor cobrado.

Deixar uma pequena gorjeta em táxis pode ser interessante (pense algo em torno de 10%) e o mesmo pode ser feito com carregadores de malas ou com o serviço de quarto – entre um e dois euros está de bom tamanho.

Rock of Cashel, na Irlanda. Foto: Christian Bowen

Gorjeta na Itália

A gorjeta não é comum na Itália, mas alguns restaurantes podem incluir na conta uma taxa de serviço, geralmente em torno de 10%. A contribuição, no entanto, é totalmente opcional. Ela pode ser feita integralmente pagando o valor sugerido ou mesmo deixando uma quantia que você julgue adequada.

Em hotéis, costuma ser de bom tom deixar algumas moedas para os carregadores de mala. O mesmo vale para táxis, guias de turismo, porteiros de hotéis… Isso significa que você gostou do trabalho e reconhece aquele profissional.

Burano, na Itália. Foto: Lopez Robin

Gorjeta em Portugal

As gorjetas em Portugal funcionam de maneira bem semelhante à da Espanha. Precisar, não precisa, mas é simpático deixar algumas moedinhas ou arredondar o valor para o próximo número inteiro em cafés e bares. De qualquer forma, os atendentes não estarão esperando esse dinheiro e não vão fazer cara feia se você não deixar nada.

Em restaurantes mais sofisticados, pode soar educado pensar em uma gorjeta de 5% a 10%. Taxistas não esperam gorjetas e, embora não seja necessário, é de bom tom oferecer alguns euros para os carregadores de malas em hotéis.

Gostou das dicas de como deixar gorjeta na Europa, mas ainda tem dúvidas? Então confira também este infográfico que te ajuda a decidir quanto pagar pelo serviço em qualquer lugar do mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *