Na maioria das vezes, quando planejamos uma viagem, fazemos isso para conhecer novos lugares, novas culturas e principalmente desestressar. Desligar-se da correria do dia a dia e viver um momento único e especial são duas coisas que todo viajante deseja durante uma trip. Mas o fato é que nem sempre isso acontece (e por diferentes motivos que cada um tem o seu!). Nessas ocasiões, uma boa e velha fury room entra em ação!

As furies rooms são salas da fúria nas quais você paga um valor estipulado e pode ficar em média 20 minutos quebrando tudo o que quiser, do jeito que quiser, sem ninguém te julgar. Quer arremessar a cadeira contra a parede? Pode! Quer pegar uma marreta e detonar a televisão? Pode também? Quer tacar copos na parede e berrar de raiva? Só vai!

fury room
Foto: reprodução / Fury Room

Não vamos fingir que todo mundo é santo e que nunca teve vontade de quebrar alguma coisa! Para muitas pessoas, não basta apenas meditar, fazer yoga ou partir para uma caminhada para combater o estresse. Tem gente que quer mesmo extravasar e tem vontade de tacar um prato na parede.

Se existe a chance de fazer isso em um ambiente controlado, sem machucar outra pessoa, mas trazendo um alívio para a cabeça, por que não tentar? Isso não é terapia, mas que ajuda a lavar alma, ah, isso ajuda demais!

Uma fury room para chamar de minha

fury room
Foto: reprodução / The Break Room

A primeira fury room que se tem notícia foi inaugurada em 2008 no Japão, um dos países mais incríveis do mundo, mas com taxas de estresse entre trabalhadores extremamente altas. Em pouco tempo, é claro que o lugar virou febre! Depois desse sucesso, muitas outras cidades aderiram ao quebra-quebra controlado. Tem fury room em Nova York, em Los Angeles, em Lodz, em Amã, em Toronto, em Pequim, em Moscou, em Paris e em vários lugares do planeta.

Em São Paulo, até pouco tempo atrás, podíamos ir ao Break Lab para soltar o braço com a marreta e quebrar tudo no quartinho. Mas, a sala da raiva deles foi desativada para reformas e não tem previsão de retorno.

Como funciona?

Foto: reprodução / Fury Room

Ficou com vontade de participar de uma sessão de “descarrego” e destruir tudo em um ambiente controlado e, o melhor: não precisar limpar a bagunça ou se explicar com a polícia? Vamos contar mais sobre esses “quartos da raiva”.

A primeira coisa que esses estabelecimentos pensam é na sua segurança. Capacetes, óculos de proteção, macacão com tecido resistente, luvas, botas e outros apetrechos para garantir que nenhum cliente se machuque são obrigatórios. Afinal de contas, você está indo a uma fury room para se libertar de alguns problemas, não adquirir novos, não é mesmo?

Depois, escolha a modalidade de quebra-quebra desejada. A maioria desses estabelecimentos oferece salas diferentes. As mais simples, com alguns copos e garrafas para arremessar contra a parede e martelos para arrebentar mesas custam a partir de 20 Euros. Conforme a sala vai ganhando mais itens, o preço vai aumentando também.

Muitas furies rooms montam quartos da fúria com decoração igualzinha a de um escritório, com monitores antigos, teclados, quadros e vários itens para você estraçalhar. Essas salas geralmente são as mais disputadas — cada um tem sua pira de fúria e ninguém tá aqui para te julgar! É apenas uma maneira de desabafar e liberar alguma frustração.

Quem viaja raramente está imaginando que “vai perder a paciência”, mas se isso acontecer, ou se a viagem não proporcionar o relaxamento que você busca, corra para uma dessas salas que estão virando atrações turísticas em vários lugares no mundo! Ou apenas vá a um lugar desses por curiosidade, para dar risada e fazer algo totalmente diferente da sua rotina, por que não?!

Você já foi em uma sala da fúria ou sabe de alguma fury room aberta recentemente no Brasil? Conta aqui pra gente 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para ajudar você a enfrentar essa quarentena...

Preparamos muito conteúdo bacana para você viajar sem sair do sofá!