Estrasburgo é uma cidade de face dupla de diversos pontos de vista: é católica e ao mesmo tempo protestante, francesa e alemã, motivo de discórdia em cem anos de guerras e atual símbolo da paz europeia.

Prédios do centro histórico de Estrasburgo. Foto: Alessandro Caproni

Hoje, no entanto, o assunto não é elencar a lista de dicotomias que marcam a história local. Estrasburgo nos mostra, na verdade, como essa dicotomia pode se transfigurar com o tempo.

A fachada da igreja de Saint-Pierre-le-Vieux. Foto: Jonathan M

Tomemos um dos símbolos da cidade como exemplo: a igreja de Saint-Pierre-le-Vieux, um dos must-see locais, é um complexo formado por duas igrejas, uma católica, cujo acesso se dá pela rua Vingt-Deux Novembre, e outra protestante, que tem sua entrada na Grand’rue. Um lugar de culto desse tipo não tem similar reconhecido na Europa. Hoje, a igreja é exaltada como um exemplo de convivência religiosa e daqueles valores de paz universal dos quais Estrasburgo quer ser símbolo. No entanto, sua gênese é exatamente oposta: Saint-Pierre-le-Vieux foi dividida em duas com a violência nos tempos de guerras entre católicos e protestantes. Com o passar dos séculos, o local mudou de cara e de fama: foi de símbolo do apartheid religioso ao paraíso da tolerância e harmonia. No entanto, teve de passar muito tempo para que houvesse uma mudança de perspectiva.

O moderno prédio do Parlamento Europeu na cidade.
Foto: Fred Romero

A arquitetura da cidade também oferece outro ponto de reflexão, que fica entre a exaltação e uma nuance mais crítica. Explico: Estrasburgo é uma das sedes do Parlamento Europeu (além de Bruxelas e de, em parte Luxemburgo) e é possível visitar o prédio, em grupo ou individualmente, com ou sem reservas — dá até para assistir uma sessão plenária. O prédio é lindo, e o fato de ele estar na Alsácia, no olho do furacão da hostilidade histórica entre França e Alemanha, é hoje um símbolo imponente e concreto de paz europeia.

Há que se considerar que o Parlamento local é uma cópia do de Bruxelas. Um símbolo de paz, sim, mas também do desperdício (real ou acusatório, que críticos do modelo da União Europeia não cansam de desaprovar).

Estrasburgo fica no nordeste da França, na Alsácia.
Foto: Stefano Merli

Um fato, no entanto, é inegável: o Europarlamento agregou uma beleza contemporânea à face clássica de Estrasburgo. O centro histórico da cidade, em particular a zona chamada de “Petite France”, é lotado de cartões-postais inesquecíveis.

Ao visitar Estrasburgo, não se pode deixar de visitar a catedral de Notre Dame e o Palácio Rohan com seus museus. Não há jeito melhor de compreender o todo arquitetônico local do que ver Estrasburgo escorrendo às margens do rio Reno, em um dos barcos que partem das proximidades de Notre Dame.

À esquerda, fachada da catedral de Notre Dame; à direita, sua parte interna. Fotos: Spiterman e Halbag

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *