Imagine um lugar que, de tão belo, possa causar até taquicardia. Em 1979, o psiquiatra italiano Graziella Magherini classificou como síndrome o que o francês Stendhal tinha relatado há mais de cem anos: vertigem, desmaios, alucinação e tontura após uma viagem à Florença, a capital da Toscana. Para oficializar a sua análise, o italiano entrevistou mais de 100 pessoas que visitaram a cidade italiana apresentaram algum sintoma de desequilíbrio físico.

Também conhecida como síndrome da sobredose de beleza, o distúrbio costuma afetar turistas que são impactados com obras de arte, arquitetura imponente e lugares ricos em história. Não é um fenômeno exclusivo de Florença, porém a cidade possui motivos suficientes para suspirar a cada esquina. É tanta beleza que impressiona.

Mas, não fique com medo de adoecer. Apesar de não ser uma síndrome tão rara assim, a maioria dos turistas nem percebem que o próprio organismo está sendo impactado com a deslumbrante paisagem toscana. O frio na barriga, o coração acelerado e a respiração um pouco mais ofegante passam despercebidos – inclusive esses sintomas chegam a ser agradáveis. Quem é que não gosta de se emocionar em uma viagem?

Uma aula de história

Florença parece um grande museu a céu aberto. Foi o berço não só do Renascimento Italiano, como também de ilustres personagens da história. Dante Alighieri, Leonardo da Vinci, Americo Vespucci, Sandro Botticelli, Donatello e Nicolau Maquiavel são alguns dos pintores, escultores e escritores que viveram na cidade.

Por isso, não se espante ao entrar em uma pequena capela e se deparar com desenhos de Leonardo da Vinci em uma parede. Nessa cidade, é muito comum encontrar tesouros preciosos onde não se imagina que existam. Pequenas portas podem levar a igrejas espetaculares, simples sorveterias podem possuir o melhor gelato do mundo, e comprando um sabonete caseiro em uma farmácia é possível descobrir que você está pisando na mais antiga da história.

Ponte Vecchio

Sua fundação data o período romano, e já foi comandada por bárbaros, bizantinos e por fim, pelos italianos. Possui igrejas e palácios antiquíssimos, porém muito conservados e que hoje atraem turistas do mundo todo, como o Duomo (a catedral) e o Palazzo Vecchio. Abriga pontes que ligam uma margem a outra do Arno, sendo uma delas muito famosa: a Ponte Vecchio, construída na idade média e hoje um dos principais cartões postal da cidade.

Em cima do Duomo

Florença é dona de grandes museus, como a Galeria degli Uffizi, o Palácio Pitti e as Capelas dos Médici. Nesses locais se encontram obras de arte de grande valor histórico, como o David, de Michelangelo, e o famoso quadro O Nascimento de Venus, do pintor Santos Botticeli. Saiba que é impossível desfrutar de todos esses lugares em apenas uma viagem à Florença, por isso escolha um ou dois para apreciar com a calma que eles merecem. Mas não fique triste: a cidade é tão rica em história que até os que escolhem não visitar museus acabam absorvendo o passado.

Palazzo Vecchio

À moda fiorentina

Quando falamos de viajar para a Itália já imaginamos uma mesa farta de comidas e de vinhos de primeira qualidade. Em 100% dos casos esse é um pensamento que faz jus a realidade. E se o estilo italiano é comer e beber com qualidade, em Florença não poderia ser diferente.

Há centenas de restaurantes espalhados pela cidade, e alguns deles oferecem comida e atendimento impecáveis. Por ser uma das cidades que mais recebem turistas no mundo, os preços costumam ser um pouquinho salgados. Evite os estabelecimentos muito próximos aos monumentos turísticos, eles costumam cobrar muito caro.

Bistecca alla Fiorentina

O prato mais famoso da região é a Bistecca alla Fiorentina, um pedaço enorme de carne (corte chamado de T-bone com contrafilé de um lado e filé mignon do outro), assado em uma churrasqueira apenas com sal e pimenta. Você pode escolher entre uma porção de 500 gramas e de um quilo, além dos acompanhamentos. Se não é fã de carne mal passada, fique de olho no ponto, pois elas costumam vir quase cruas por dentro.

O gelato também é uma estrela da cidade, motivo de orgulho dos fiorentinos. Sempre que puder, se aventure com uma casquinha, pois o sorvete produzido na cidade já foi premiado muitas vezes como sendo o melhor do mundo. Há muitos estabelecimentos espalhados e não tenha medo de se arriscar.
Cuidado com Florença: além da palpitação gerada pela beleza, no fim da viagem você também corre o risco de passar mal de tanto comer. Mas há males que vem para o bem.

Partiu Florença?! Confira dicas de onde se hospedar por lá!

Texto por Daniela Fescina

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *