Quando começamos a planejar uma viagem, é praticamente automático pesquisar o destino, as passagens e a hospedagem quase ao mesmo tempo. Afinal de contas, todo viajante tem seu orçamento e não adianta escolher um lugar e não conseguir se manter por lá por alguns dias. No momento da escolha da hospedagem é que surge a ideia de ficar em um hotel, uma casa alugada ou em um hostel. Mas uma das primeiras coisas que vem na mente de quem nunca se hospedou em um albergue é: ficar em hostel é seguro? Será que vale a pena? O barato sai caro?

É super natural, principalmente se você nunca ficou em um hostel, que essas dúvidas apareçam. Mas queremos te explicar que vale a pena, sim, ficar em hostel — não precisa ter medo ou receio de se hospedar em albergue.

Pegue na nossa mão que vamos te ajudar a entender como funciona a estrutura de um albergue, como escolher um hostel legal para se hospedar, em quais situações valem a pena optar pelo hostel e, também, para quem não é indicado com base em algumas características. Bora lá desbravar esse universo?

Entendendo mais sobre os hostels

Foto: Pxhere

Um hostel é um tipo de acomodação econômica e simples, mas não pense que isso significa um local sem estrutura para te receber. Eles se parecem muito mais com as pousadas do que com os hotéis propriamente ditos e não têm toda aquela formalidade que nos deparamos nas redes hoteleiras.

Quais são as cidades mais baratas da Europa? Confira as respostas e economize!

Claro, da mesma forma que encontramos hotéis horrível mundo a fora, também existem hostels que são verdadeiros pulgueiros, mas o objetivo é te mostrar como encontrar os bons, aqueles hostels confortáveis, que existem em grande quantidade por aí!

Outro ponto importante sobre os hostel é que existe pelo menos duas categorias de albergues: os “normais”, que oferecem todo o espaço para interação entre os hóspedes, mas que são mais tranquilos. A segunda categoria são os party hostels. Esses locais são altamente indicados para quem curte música e festas, que gostam de passar boas horas batendo papo no bar. Analise que tipo de vibe você quer para sua hospedagem.

Os quartos compartilhados nos hostels

Foto: Barnacles Budget – Flickr

Uma das características dos hostels que mais chama a atenção é em relação aos quartos. Isso porque um hostel, geralmente, oferece quartos compartilhados. É justamente neste ponto que muita gente se pergunta se ficar em hostel é seguro, já que você terá que dividir o quarto e compartilhar até o banheiro com pessoas que você nunca viu na vida.

O importante é ter em mente que já se foi o tempo de ficar insegura em se hospedar em um albergue. A Amanda, uma das fundadoras aqui do Quanto Custa Viajar, já se hospedou bastante em hostels espalhados pelo mundo. Ela já ficou em quartos com mais 19 pessoas e em outros em que ela era a única menina no dormitório — e não teve nenhum tipo de problema com os colegas de quarto.

Conheça 10 opções baratas de hostels descolados em São Paulo

Os dormitórios são diferentes em cada hostel. Existem acomodações para 4 pessoas, assim como existem quartos que abrigam 16 pessoas ao mesmo tempo. O valor da diária está diretamente relacionado a quantidade de pessoas acomodadas em cada quarto: quanto mais camas e pessoas, mais barata é a diária #Ficaadica.

Prepare-se para encontrar um quarto com beliches, afinal de contas, essa é a melhor maneira de acomodar mais pessoas em um mesmo lugar! Também existem hostels que separam homens e mulheres — assim como temos quartos mistos, como os que a Amanda já teve a oportunidade de se hospedar durante seu mochilão pela Europa. Por isso, fique de olho no momento da sua reserva e opte pela acomodação que te deixe mais confortável nesse sentido!

A grande maioria dos hostels oferece um armário para você guardar seus pertences enquanto estiver batendo perna pela cidade. Anote a dica: leve sempre seu cadeado para trancar o armário, ok?

Vai ter um barulho ou outro, seja de alguém roncando ou chegando depois da farra. Se quiser, leve um protetor auricular e um tapa-olhos para não ser acordada no susto com a luz acesa ou com um eventual barulho.

Ficar em hostel é seguro, mas, assim como nos hotéis, não vamos acreditar que 100% dos locais não tenham problemas. Eu, particularmente, não conheço ninguém que teve algum tipo de problema tanto em hostel quanto em hotel. Existem casos, claro que sim! Mas foque na proporção: tem bem menos problema do que caos.

Até sobre questões de segurança, existem muitos hostels que têm sistema de vigilância por câmeras e até cartões de entrada ou identificação para as áreas comuns. A maioria tem portaria 24 horas que ajuda no controle de pessoas. Esse é mais um item para você observar na hora de escolher seu hostel!

Banheiro compartilhado

Foto: Pixabay

Esse é mais um ponto importante e bem comum nos hostels. Você vai usar o mesmo banheiro que todas as pessoas do seu quarto ou até todas as pessoas que estejam hospedadas no hostel. É praticamente nula a possibilidade de existir só um banheiro para todos os hóspedes, ok? Mas saiba que isso pode acontecer!

É bem comum encontrar hostel que tem banheiro feminino e masculino separados. Mas mesmo assim você terá que entrar na filinha para escovar os dentes, tomar banho etc. Faz parte dessa convivência em comunidade do albergue.

Conheça o Tetris, hostel feito em contêiner em Foz do Iguaçu

Leve seu shampoo, condicionador, sabonete, pasta de dente e todo tipo de produto de higiene que você está habituada a usar. Tem alguns hóspedes que deixam seus potes de shampoo pela metade para as demais pessoas usarem no hostel, mas não chegue por lá confiando nisso. Não esqueça de levar também um chinelo, inclusive tome banho com ele, por precaução, é melhor não ficar com o pé no chão 🙂

Hostel também tem quarto individual

Foto: Pexels

Muita gente acredita que albergues SÓ têm quarto compartilhado, o que não é verdade. Muitos hostels oferecem quartos privados para até duas pessoas, alguns com cama somente de solteiro e outros até com cama de casal.

Olha que ideia boa para sua próxima viagem com o mozão, por exemplo: pegar um quarto privativo para vocês e economizar MUITO mais do que gastariam em um hotel. Isso porque os quartos individuais em hostels custam um pouco mais do que compartilhados com a galera, mas são infinitamente mais baratos que os hotéis.

10 hostels legais e econômicos no Rio de Janeiro

Em alguns casos, dependendo da estrutura do hostel, esses quartos individuais já possuem até banheiro privativo, o que acaba sendo legal para quem tem certo nojinho de compartilhar o banheiro todo dia, por várias semanas seguidas, com muita gente. Aqui, da mesma forma como os quartos compartilhados: leve seus produtos de higiene!

Novamente, fique de olho nessa informação na hora da sua reserva, já que escolher um quarto individual não é garantia de banheiro individual também, beleza?

Organizando o quarto

Em quartos compartilhados, o espaço não é somente seu — e mesmo que esteja em um quarto privativo, cuide do ambiente como se fosse na sua casa, né?! Um hostel não tem camareira indo arrumar sua cama e organizando o quarto todos os dias.

Inclusive, é comum você chegar em um hostel e o pessoal da recepção já entregar um jogo de cama, com lençol, travesseiro, fronha e cobertor para você mesma arrumar seu cantinho. Esse jogo de cama normalmente faz parte do valor da diária do hostel.

Alguns hostels oferecem toalhas de banho e de rosto, mas isso não é uma garantia que todos os albergues operam dessa maneira. Por isso, é sempre bem importante confirmar antes de fechar sua reserva. Caso contrário, você terá que levar suas toalhas na mochila.

Hostel tem café da manhã?

Foto: Pixabay

Depende do hostel! Alguns já oferecem essa comodidade, que você pode selecionar no momento da sua reserva. Vai ficar ao seu critério! Se você escolher uma acomodação já com café da manhã incluso, não espere encontrar aquele buffet de hotel pela manhã.

O café em um hostel é mais simples, sem tanta variedade. Mas pode ter certeza que você vai encontrar comida suficiente para ter energia durante toda a manhã!

Os hostels costumam ter uma cozinha equipada para os hóspedes prepararem sua própria comida seja no café da manhã, almoço ou jantar. Isso ajuda o viajante a economizar muito na alimentação.

Hostel é indicado para quem viaja sozinho

Podemos dizer com segurança que se você está viajando sozinho, vale MUITO a pena ficar em um hostel. Esse é o tipo de perfil da maioria dos hóspedes de albergues e a estrutura dos hostels favorece isso.

Viajar sozinha? Sim senhora!

A maioria dos albergues possui ambientes estrategicamente planejados para garantir a interação entre as pessoas que estão sozinhas ou que querem fazer amizades, como:

  • Sala comunitária de TV, onde todo mundo se reúne para assistir alguma coisa.
  • Bar, que são espaços perfeitos para descontração. Normalmente, você paga na hora o que for consumir, não tem essa de lançar na sua ficha.
  • Cozinha comunitária, que acaba sendo legal para você preparar suas refeições e economizar durante a trip (mas pelo amor do Quanto Custa Viajar na sua vida: lave seu prato e utensílios que sujar).
  • Jardim com redes para descansar, deitar e curtir o fim do dia.
  • Piscina, que garante a pool party da galera.

Tudo vai depender da estrutura do hostel, mas essas informações você encontra facilmente antes de fazer sua reserva!

E sim, você vai fazer amizades! É quase impossível que não faça 🙂 Vai ter gente pra curtir um tour pela cidade com você, para sair de noite e por aí vai…

Ficar em hostel é seguro: dicas para escolher seu albergue

Foto: Pixabay

Ficar em hostel é seguro e você pode seguir algumas dicas para melhorar ainda mais a escolha do seu albergue:

  1. Escolha o hostel de acordo com seu roteiro. Pense nos pontos turísticos da cidade que você deseja visitar durante a viagem, observe se tem metrô ou ônibus próximos e se o acesso ao local é fácil para você.
  2. Procure informações na internet. Hoje é moleza você ver fotos reais de um hostel (não aquelas editadas pelos proprietários) para ter noção exata de como será sua acomodação. Também pesquise sobre como é o bairro, se é tranquilo e se tem mercado perto.
  3. Veja as avaliações de viajantes. Atrelado ao item anterior, enquanto procura as fotos reais, aproveite para ler as avaliações no TripAdvisor, no Booking, no Trivago e tantos outros sites de viagem.
  4. Procure sobre o hostel na internet. Não fique presa somente aos sites de viagem, ok? Pesquise se o hostel tem página no Facebook e perfil no Instagram para ver as postagens e comentários. Por mais que um amigo seu já tenha se hospedado no hostel, procure VOCÊ sobre o local, já que as experiências são diferentes para cada uma das pessoas.
  5. Agito ou tranquilidade? Qual é a característica principal da sua viagem? Observe bem esse ponto na hora de escolher o hostel para depois não ficar triste caso tenha muito barulho ou chateada porque o ambiente é parado demais e sem interação.
  6. Não tenha vergonha e pergunte tudo! Antes mesmo de fechar sua reserva, mande e-mail ou ligue para o local para você mesma tirar suas dúvidas. Pergunte se o hostel oferece roupa de cama, se tem portaria 24 horas e como funciona o acesso dos hóspedes, se tem café e todas as dúvidas que pareçam simples, mas que fazem diferença para você.
  7. Faça reservas em sites confiáveis: não vá colocando seu cartão de crédito em qualquer site que encontrar por aí. Opte por fazer reserva em sites grandes de viagem.
  8. Tem alergia? Confirme se o albergue tem animais. Muitos hostels têm gatinhos ou cachorrinhos que são os pets dos proprietários. Mas, como tem gente que tem alergia (e se for seu caso), para não ficar espirrando a viagem toda, confirme com o local.

10 lugares legais para viajar sozinho. Clique aqui e confira

Hospedar-se em hostel não é indicado:

  • Para quem não abre mão de ter amenidades de hotel, como shampoo, sabonete, papel higiênico, camareira etc.
  • Para quem é extremamente organizado. Como você vai dividir o quarto, pode ser que algum colega deixe a cama revirada ou deixe roupa em cima da cama. Se você surtaria com isso, atenção!
  • Para quem ainda não se sente seguro em dividir quarto com desconhecidos. Você está viajando para curtir, não para ficar pilhada e preocupada.
  • Para quem viaja em galera. Nesse caso, é mais fácil alugar uma casa no AirBnb.
  • Para quem tem nojinho de dividir banheiro com muito mais pessoas.
  • Para quem é super reservada e não curte conversar com pessoas. No hostel você vai interagir!
  • Para quem viaja com crianças. Quartos compartilhados e com barulho acabam sendo desvantajosos para os pequenos.

Mesmo que você se encaixe em um desses itens, vá se soltando (aos poucos) e amadurecendo a ideia de um dia ter uma experiência diferente.

E aí, você já se hospedou em um hostel? Conte aqui nos comentários como foi sua experiência! Aproveite e passe pra gente as suas dicas na hora de escolher um hostel ou até mesmo marque aquele albergue maneiro para mais pessoas conhecê-lo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *