Com a aproximação da Primavera no Hemisfério Sul, as flores voltam a desabrochar. É celebrando a sua chegada que o evento Expoflora, em Holambra, no interior de São Paulo, volta para mais uma edição, reunindo decoração, jardinagem, gastronomia e tours até as plantações de diversas espécies florais de 30 de agosto a 29 de setembro.

Quem vê São Paulo cinza não imagina que a metrópole é o principal produtor e exportador de flores do Brasil. Junto com Atibaia, a cidade de Holambra, a cerca de 1h30 de carro da capital, ajuda a manter tamanha representação, concentrando 50% das vendas no setor. São 397,1 hectares de flores ornamentais, flores de corte, floricultura de vaso, rosa e crisântemo.

Foto: Brunella Nunes

O cultivo é parte da colonização holandesa, que segue com as tradições até hoje. Muitas famílias mantêm as origens, investindo no setor ao longo de gerações. Não por acaso um dos pontos mais emblemáticos da Holanda é o Parque Keukenhof, que reúne 7 milhões de flores durante a temporada de abertura.

Conheça o parque de águas termais brasileiro inspirado na Holanda

As características da cultura holandesa se fazem presentes em Holambra, que é a junção das palavras Holanda, América e Brasil, também na arquitetura, na culinária, no artesanato e no folclore. Os grupos de danças típicas são formados por aproximadamente 300 pessoas, oriundas de oito cidades da região.

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

A Expoflora

Inaugurada em 1981, a Expoflora potencializou a economia local, atraindo pessoas do país inteiro para o pequeno município de pouco mais de 14 mil habitantes. Atualmente, cerca de 300 mil pessoas passam por lá durante o período.A Expoflora transformou o mês de setembro em alta temporada para a cidade. Não há uma festa similar assim no Brasil, afirmou o porta-voz do evento, Paulo Fernandes.

O evento anual traz lançamentos do ramo de plantas ornamentais e flores, com mostra de produtos, apresentações musicais e folclóricas, comida típica, arranjos e instalações artísticas, parque de diversões e outros atrativos.

Tome nota: a feira funciona apenas de sexta a domingo, das 9h às 19h.

Um dos grandes momentos da feira é a chuva de pétalas, na qual são lançadas 150 kg de pétalas de rosas no ar ao longo de três minutos. Paulo explica que para o espetáculo acontecer há um árduo trabalho: Dia após dia, 18 mil botões de rosa são despetalados manualmente, informou Paulo. Nos céus, espalham-se cores diversas, rosa, vermelho, branco e amarelo. No chão forrado de flor, as pessoas deitam para clicar boas selfies.

Foto: Brunella Nunes

O que fazer na Expoflora 2019?

Conhecer um pedacinho da Holanda

Holambra é uma cidade mais rural, mas no centrinho - especialmente na Rua Doria Vasconcelos - se concentram os edifícios inspirados em construções holandesas, com fachadas triangulares ornamentadas. São lojas, restaurantes e docerias.

O mesmo acontece no Recinto Expoflora, que é onde acontece a feira e outros eventos, como o Natal iluminado. Os orelhões, em formato de flor e de tamancos de madeira, são funcionais ainda, mas hoje cumprem um papel mais decorativo.

As lojas de souvenires vendem artesanato e itens decorativos importados da Holanda, que produz muitos itens em resina e porcelana, em sua maioria com detalhes pintados em azul. Também se encontram itens em madeira, crochê e uma porção de doces, desde frutas cristalizadas até sobremesas típicas do país europeu.

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

Fazer fotos, muitas fotos!

Com um cenário tão charmoso e colorido assim, é claro que a câmera fotográfica vai trabalhar bastante. São inúmeros locais para fazer lindas fotos e o próprio evento acaba criando alguns cantinhos para fotografias.

Na passarela das flores, que leva até a mostra de paisagismo, existem algumas molduras já montadas para o público ser fotografado. Já na Alameda Amsterdam há uma instalação de diversos guarda-chuvas coloridos, que encanta os olhos. A concorrência por um clique é grande!

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

Provar a culinária holandesa

Seja dentro ou fora da Expoflora, o que não faltam são boas oportunidades para a comilança. Dentro do evento existem praças com 16 lanchonetes e sete restaurantes, que vão de fast-food até comidas nacionais e típicas dos Países Baixos, além de confeitarias.

Dá para provar pannekoek (panquecas), diny rosti (batata pré-cozida, ralada com bacon e especiarias e recheada com salsichões), festival stamppot (purês típicos acompanhando dois salsichões), stampot wortel (purê de batata com cenouras e carne de porco e molho de cerveja).

Foto: divulgação/Expoflora

O paladar pode ser adoçado com as poffertjes, mini-panquecas doces que além do tradicional com manteiga e açúcar, têm um novo sabor, com toque mineiro: creamcheese com goiabada. Outro clássico do país é o stroopwafel, waffel recheado com caramelo de melaço de cana.

Na hora que bater a sede, lembre-se que os bebedouros espalhados pelo enorme complexo são abastecidos com água fresca.

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

Presenciar uma chuva de pétalas

Como falamos anteriormente, a chuva de pétalas é o “clímax” do evento, um espetáculo muito aguardado pelos visitantes. A partir das 16h, uma parada musical com carros alegóricos decorados vai anunciando que o momento está chegando. Às 16h30, todos se concentram no gramado do parque de diversões para receber a explosão de flores, enquanto a música toca. Diz a lenda que quem pegar a pétala ainda no ar tem os desejos realizados.

Por último, vem um montão de papéis verde e amarelo picados. Mas o porta-voz do evento, Paulo Fernandes, nos garantiu que são biodegradáveis, se desfazendo no contato com a água. O resíduo orgânico que sobra é separado e enviado para reciclagem.

Foto: Brunella Nunes

Visitar o Museu de Holambra

O Museu de Holambra resgata a memória da cidade ao contar a história desde a colonização, que aconteceu por volta de 1948. O público acompanha os fatos por meio de fotos, filmes e objetos.

Ao ar livre há maquinários e tratores antigos, que restaram do legado rural, além de réplicas de casas mobiliadas, para mostrar o estilo de vida dos imigrantes na época. O ingresso da Expoflora já dá acesso ao mesmo, que pode ser acessado pela passarela ao lado do Parque de Diversões.

Foto: Brunella Nunes

Voltar a ser criança no Parque de Diversões

Na área com gramado, onde fica a chuva de pétalas, foi montado um parquinho de diversões, daqueles bem tradicionais e nostálgicos. Tem roda-gigante, tiro ao alvo, pescaria, Amor Express e Chapéu Mexicano, um tipo de carrossel com cadeiras que rodam no ar.

Foto: Brunella Nunes

Sonhar com as novidades de paisagismo e decoração

A mostra de paisagismo, coordenada por Karina Taccola, é um dos principais atrativos da Expoflora. Num espaço reservado apenas para isso, paisagistas, arquitetos, decoradores, designers de interiores, agrônomos e outros profissionais do setor, apresentam projetos ambientados, produtos e serviços para deixar qualquer residência mais bonita. Dá para sonhar a vontade!

A coordenadora da mostra, Karina Taccola, apresenta ao lado de Leonardo Celli Coelho um projeto que preza pela sustentabilidade, seja na garagem, na cozinha, no banheiro ou na sala de estar. Reunindo soluções viáveis para as casas, o estande traz itens como o piso de pneu reciclado, bancos de papelão e o biodigestor, um método de compostagem mais tecnológico, que transforma resíduos orgânicos em gás metano para ser utilizado no fogão.

Nesta edição, destacamos o Wine Bar assinado por Allan de Oliveira, Nayara Laurindo Pereira e Renato Lima, que alia formas geométricas, arte urbana, folhagens e caixotes para formar um harmonioso e moderno bar de vinhos.

Foto: Brunella Nunes

A paisagista Márcia Janeiro criou o Jardim das Abelhas, pensando na preservação e proliferação da espécie ameaçada de extinção. Foram colocadas 52 tipos diferentes de plantas, que atraem os insetos fundamentais para a natureza, e meliponários, casinhas onde as abelhas sem ferrão podem se abrigar, produzir mel e se perpetuar. Já as hang chairs, de design belga, tornam o ambiente mais confortável para os humanos.

Também chama a atenção o Paraíso Tropical, de Cris Antonelli e Ricardo Natalicchio, que recorda uma pequena praia com o uso da piscina de areia polimérica. O ambiente se completa com uma rede, espreguiçadeiras feitas com madeira de demolição, hibiscos, vasos cônicos de papelão 100% reciclável, um pergolado e um lago de carpas.

Foto: Brunella Nunes

Comprar plantas e flores

Em 3.300 m², a feira de plantas e flores reúne espécies já bem conhecidas entre os brasileiros, como antúrios, orquídeas, begônias e bonsais. Uma das coisas que mais chamou a nossa atenção foi o girassol de duas cores e os bulbos de flores naturais, do produtor André Boersen. Estavam em exibição e venda de diversas espécies maravilhosas, como Dalia, Gladíolo, Amaryllis e Lírios. O pacote custa R$ 8,00. Outro item bacana de ter em casa são as árvores em miniatura, que dão frutos como amora, pitanga, acerola, araçá e romã.

Nos pavilhões também podem ser encontrados cerca de 250 estandes, reunindo desde artesanatos a produtos industriais e para decoração, além de móveis e utensílios domésticos.

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

Tour na fazenda de flores

A Expoflora oferece apenas um passeio turístico, o mesmo todos os anos: visita à Fazenda Terra Viva, que é produtora de alguns alimentos e flores, como lírios, tulipas, lavandas e alstroemérias. As pessoas podem ficar por lá pelo tempo que gostariam, visto que o ônibus é rotativo, então a volta para a feira pode ser a qualquer hora. Pelo caminho, há uma parada no maior Moinho Típico Holandês da América Latina.

Foto: divulgação/Fazenda Terra Viva

Quanto Custa

Os ingressos custam, atualmente, R$ 52,00 por pessoa. O passeio turístico até a fazenda, é pago a parte: R$ 25,00 excursão ou R$ 30,00 individual. A meia entrada é válida para pessoas de 6 a 24 anos, estudantes, idosos, jovens de baixa renda, professores da rede pública e portadores de necessidades especiais e acompanhantes.

Os brinquedos do parque de diversões também são acessados por valores adicionais. O estacionamento local custa R$ 43,00 o dia, para carros e motos; vans pagam R$ 62,00. Neste caso, porém, o pagamento é apenas em dinheiro. O guarda-volumes custa R$ 8,00.

Confira demais valores no site oficial do evento.

Foto: Brunella Nunes
Onde ficar

A Expoflora pode ser conhecida em um só dia. Mas quem quiser esticar a estadia, saiba que Holambra tem uma boa cobertura de hospedagem. Selecionamos algumas opções dentro da cidade:

  •  Hotel 1948 - moderno e bem localizado, próximo do evento e do centro. As suítes possuem varanda, garagem e café da manhã incluso. Os apartamentos possuem uma pequena cozinha, sacada e estacionamento em frente. Reserve aqui!
Foto: divulgação
  • Top Centrum  - a apenas 800 metros de distância da Expoflora, o hotel fica próximo também de restaurantes e outros pontos turísticos. Reserve aqui!
Foto: divulgação
  • Villa de Holanda -  hotel grande, com piscina ao ar livre, playground, sala de jogos e academia. Indicado para famílias. Reserva aqui!
Foto: divulgação
Como chegar na Expoflora

Para ir até Holambra, a capital nacional das flores, se percorre 35 km de Campinas ou 120 km a partir da capital paulista. Para ir até Holambra, a capital nacional das flores, se percorre 35 km de Campinas ou 120 km a partir da capital paulista.

De São Paulo, o trajeto pode ser feito pela Rodovia dos Bandeirantes ou pela Rodovia Anhanguera. Do terminal rodoviário do Tietê partem ônibus pelas viações Cometa e Santa Cruz.

Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

12 lugares para curtir a Primavera e ver o colorido das flores

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verão 2020

Programe-se para curtir as belezas da Bahia no próximo verão! Temos dicas de lugares incríveis para suas férias.