Por si sós, Roma e Florença são cidades de tirar o fôlego. Parecendo sair diretamente de um livro de História, os municípios impressionam pela grande quantidade de galerias e pontos turísticos que abrilhantam a experiência de quem quer fazer uma verdadeira imersão à história local. Além do mais, ambas parecem ser verdadeiros museus a céu aberto, tamanha a quantidade de monumentos, pontes, praças, castelos e ruelas por onde o turista poderá se embrenhar e se perder durante uma despretensiosa caminhada.

Mas mesmo que já valham a sua ida à Itália, o trecho que separa Roma de Florença é um atrativo que também não pode ser negligenciado, garantindo paisagens exuberantes pelas estradinhas que ligam a região. Passando pela Toscana e pela Umbria, o viajante poderá desfrutar uma das partes mais românticas e cinematograficamente representadas do país. Prepare-se para ver uma paisagem rural cheia de vinhedos e oliveiras, além de antigas cidades muradas em topos de colinas. Comer e beber também é um deleite na Toscana, já que a área é famosa pelos seus vinhos, salames, linguiças, trufas, queijos de ovelha e a carne de javali (especialidade local).

Para aproveitar todas as nuances dessa rota, a melhor alternativa é alugar um carro em Roma. Assim o turista poderá explorar o percurso de forma mais livre e aprofundada, em seu próprio ritmo e com calma para apreciar as paisagens pelo caminho. Essa é, sem dúvida, a melhor forma de conhecer as encantadoras cidades da Toscana! Como ponto positivo, ainda há o fato de as estradas serem bem sinalizadas.

Ponto de partida: Roma

coliseu
Foto: Valdiney Pimenta – Flickr

Para o motorista brasileiro é requisitada a PID (Permissão Internacional para Dirigir) na Itália. Portanto, providencie o documento para não ter problemas durante a sua viagem pelo país. Como em Roma pode ser difícil estacionar, o turista tem duas possibilidades: alugar um carro pequeno durante toda a sua estadia no local ou, então, explorar Roma com transporte público e alugar um carro mais confortável no último dia, quando o viajante partirá em direção à Toscana.

Vale lembrar que no centro de Roma há zonas de tráfego limitado (ZTL), com áreas proibidas para veículos. Se você se deparar com uma placa luminosa indicando Varco Attivo, você não poderá transitar com carro. Agora, se estiver sinalizado Varco non Attivo, você pode trafegar tranquilamente.

Os pontos turísticos da cidade são inúmeros, mas não podem ficar de fora da sua lista o Coliseu, o Fórum Romano, a Fontana di Trevi, o Panteão, a Piazza Navona, o Castelo Sant’Angelo e o Vaticano, especialmente a Basílica de São Pedro e a Capela Sistina.

Orvieto

Situada a 120 km de Roma, a cidade da região da Umbria tem origem etrusca, uma civilização importante no centro da Itália até a dominação romana. Construída sobre um penhasco de origem vulcânica, a urbe tem muita história e cultura, além de sua arquitetura dar um show à parte. Não deixe de visitar o Duomo di Orvieto, a cidade subterrânea e o Poço de São Patrício. Mas muito mais do que os pontos turísticos em si, o verdadeiro charme da cidade são suas ruelas e becos, que levam o turista de volta ao passado. Estacione seu carro, almoce por lá e, então, siga viagem.

Montepulciano, Pienza e Montalcino

As cidades ficam grudadas umas nas outras, e Montepulciano – a primeira delas – está a apenas 70 km de Orvieto. Essa é uma das regiões com as paisagens mais incríveis da Toscana, então aproveite sem moderação. Na cidade, visite a Piazza Grande, o Palazzo Comunale, a Catedral e o Palazzo Contucci. Vá também nas adegas situadas em palacetes para fazer uma degustação de vinhos e frios. Aliás, a urbe é conhecida pelos vinhos Nobile de Montepulciano e Rosso de Montepulciano, além de ter sido cenário para o filme “Lua Nova”, da série Crepúsculo.

Já em Pienza o que impera é a atmosfera renascentista. Conhecida por ser o local em que o Papa Pio II nasceu, o município tem ainda uma atração imperdível: o queijo de ovelha pecorino, uma das especialidades locais. Alguns pontos que merecem a sua atenção são a Porta al Prato, a Piazza Grande, o Duomo e a Torre dell’Orologio. É entre Montepulciano e Pienza que fica ainda o Val d’Orcia, considerado Patrimônio da UNESCO devido suas paisagens panorâmicas.

Montalcino também faz parte do Val d’Orcia e está situada em uma colina entre os vales do Rio Ombrone. O lugar também é conhecido pelo vinho Brunello di Montalcino. Apesar de esse ser o mais tradicional da região, a urbe ainda é conhecida pelo Rosso de Montalcino Doc, o Sant’Atimo Doc e o Moscadelo Doc.

Siena

Montalcino está a apenas 40 km de Siena, a próxima urbe que merece a atenção do turista. Também construída na colina, a cidade medieval é cercada por muros e disputava com Florença no passado o domínio comercial da região. Tem ótima infraestrutura e possui pontos de interesse bastante famosos, como o Palazzo Pubblico, a Piazza del Duomo e a Piazza del Campo.

San Gimignano

Saindo de Siena, são mais 90 km até San Gimignano. Na Toscana vale muito à pena pegar estradas alternativas, caso da Rota do Chianti, que está entre as duas cidades. Cheia de paisagens de tirar o fôlego, a estrada é conhecida por abrigar a produção de um dos vinhos mais famosos da Itália e pelos seus campos de açafrão e vinhedos! A rota também passa pelo Val d’Elsa, outra região muito bonita da Toscana.

Já em San Gimignano, o turista irá entender como o pequeno município é também Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Cheia de torres, a cidadezinha também garante bons pontos de interesse, como a Piazza della Cisterna, a Catedral, a Piazza Pecori e o Palazzo Vecchio del Podesta.

Ponto de chegada: Florença

O fim da sua viagem de carro não poderia acontecer em cidade melhor. Respirando arte, Florença é não só a capital da Toscana como também do Renascimento. Reserve um bom punhado de dias para conhecer o município, que é um dos mais culturalmente e historicamente ricos da Itália. Alguns dos pontos mais imperdíveis são a Piazza del Duomo, a Catedral Santa Maria del Fiori, a Ponte Vecchio, a Piazza della Signoria, a Galeria Degli Uffizi e a Galeria dell’Academia (local onde está o David, obra icônica de Michelangelo).

Se tiver mais dias disponíveis, não deixe de passar por Pisa, Lucca, Volterra, Cortona e Arezzo. Inclusive, em Cortona, você se sentirá no próprio filme “Sob o Sol da Toscana”, enquanto em Arezzo foram gravadas cenas de “A vida é bela”, de Roberto Benigni. Desfrutar essa região com calma, de carro, garantirá recordações imemoráveis a você, viajante. Portanto, como já deu para perceber, seu carro será integrante fundamental durante a viagem. Assim, invista em uma empresa de aluguel de carros em Roma que seja confiável e garanta todo o suporte que você necessite durante todo o caminho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *