Com o inverno se aproximando, muita gente já começa a se planejar para conhecer a neve. Indo além de Bariloche, a América do Sul possui alguns destinos gelados ainda pouco explorados por brasileiros. Esquiar em Mendoza, na Argentina, é uma das opções que talvez nem tenha brotado na sua cabeça.

Conhecida por conta de suas vinícolas e águas termais, a cidade aos pés dos Andes também fica com a paisagem branquinha nos dias mais frios do ano. A província mais próxima para se aventurar nas paisagens gélidas é Valle del Plata, ou Vallecitos, em Luján de Cuyo – a 82 km de distância de Mendoza. É modesto de tamanho: são 12 pistas com até 5 km cada, onde se pratica esqui alpino, de travessia, andinismo e alpinismo, quando o Centro de Ski está fechado devido a baixa quantidade de neve.

O primeiro parque de neve da província, porém, foi Los Puquios, a 180 km de Mendoza. Conta com 11 pistas de esqui e costuma ser indicado para famílias com crianças, pois há bastante entretenimento para os pequenos.

Confira dicas de onde se hospedar em Mendoza!

O local conta com jardim de neve, cabanas aquecidas com atividades recreativas, jogos infantis, e outros elementos didáticos para neve. Também conta com infantário, escola de esqui/snowboard, equipamento, lojas, estacionamento, assistência médica e espaços para acampar.

A apenas 5 km de Puquios, a estação de esqui Penitentes foi inaugurada em 1979 e hoje conta com 25 pistas de esqui de variados graus de dificuldade, ao longo de 22 km e com alcance de até 714 metros. A escola de esqui e snowboard oferecem aulas para crianças a partir de 5 anos de idade, podendo ser individuais ou em grupo.

Mais conhecida na região, Las Leñas é considerada a mais alta e uma das mais relevantes do país, estando a cerca de 400 km de Mendoza e a 367 km de Santiago, no Chile. Seu cume chega a 3.430 metros de altura, com desnível de 1.200 metros. Com o relevo privilegiado, as pistas chegam a ser as mais vertiginosas da América Latina. São 29 no total, habilitadas para a prática de esportes, abrangendo desde iniciantes com três anos de idade até profissionais. As pistas Apolo, Netuno e Vênus, de nível intermediário, possuem a maior longitude em todo o mundo, chegando 7.050 metros.

A estação conta ainda com um sistema de fabricação de neve artificial, chegando a cobrir até 77 hectares, utilizado quando as condições climáticas da temporada não dão conta do volume ideal de gelo para a prática das modalidades.

Todos os locais possuem boa infraestrutura turística, com hospedagens variadas, desde hostels até resorts mais confortáveis e luxuosos. Há restaurantes especializados em culinária internacional, pizzarias, wine bars, apresentações musicais ao vivo e algumas baladinhas. O Refugio Cº Aconcágua se destaca por conta dos preços, oferecendo o cardápio mais econômico de Penitentes.

Quando ir:
A temporada vai de junho até o fim de agosto ou setembro, dependendo da estação escolhida. O clima costuma ser seco, com dias de sol, mas as temperaturas são baixas, oscilando de -2°C grau a 11ºC. Não se esqueça de comprar uma roupa adequada para a neve!

Como chegar: para ir até Penitentes, siga pela rodovia internacional 7, que liga Mendoza à Santiago do Chile, ou pela rodovia nacional 40. De avião é possível chegar ao aeroporto Francisco Gabrielli a partir de Buenos Aires ou de algumas cidades do Brasil, como São Paulo. Há também ônibus e serviços de transporte regulares que ligam Mendoza a Penitentes.

Para ir até Las Leñas, o caminho é mais longo. De carro, siga de Buenos Aires até Malargüe pela rodovia nacional 7, passando pela 188, 143, 144, 40 e 222. São 1.200 km no total. De avião, há voos diretos de São Paulo a Malargüe durante a alta temporada (junho e julho), assim como em Buenos Aires. Também é possível chegar de ônibus.

Fotos: divulgação

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *