Conhecida como “Ilha da Liberdade”, Eleuthera é a quarta maior ilha de Bahamas e uma das menos turísticas. Localizada a 80 km da capital Nassau, a ilha era alvo de peregrinos puritanos a cerca de 300 anos atrás, que buscavam pela liberdade religiosa, daí o apelido. Hoje, o lugar entre o oceano Atlântico e o mar do Caribe é formado por cerca de 11 mil habitantes de origem africana, em sua maioria descendentes do período de escravidão.

A paisagem formada por penhascos, praias magníficas, recifes de corais, enormes plantações de abacaxi e falésias dá a ela o status de destino de desejo para as férias ou Lua de Mel. A sofisticação mais casual, as comunidades isoladas e o legado rural oferece uma imersão cultural com mais personalidade do que na capital, que é cercada por enormes resorts e pela apropriação norte americana.

Pela região central de Governorʼs Harbour, a porta de entrada para o restante da ilha, se observa a arquitetura tipicamente inglesa, que começou a brotar por volta dos anos 1.700. Pela estrada, Queen’s Highway, é possível desbravar toda a costa, até que se encontre uma agradável surpresa: praias de areia levemente cor de rosa, que contrastam com o mar azul turquesa. A cor natural surge devido a ação de insetos marinhos microscópicos.

O que fazer

A principal atividade de lazer em Eleuthera é visitar as praias, em sua maioria desertas e tranquilas ao longo do ano. São cerca de 100 no total, com destaque para os 35 km de areias no tom rosa, parte das praias French Leave (antes chamada de Club Med), que é considerada uma das mais bonitas, e Poponi Beach, boa para nado e mergulho, contando ainda com três restaurantes pé na areia. Há outras que também são levemente coradas: Lighthouse Beach, Surfer’s Beach e Winding Bay Beach.

Porém, vale a pena explorar outras opções, como a Rainbow Bay Beach, calma, acessível e com uma bela paisagem. A Twin Cove Beach é excepcionalmente bela, formada por duas enseadas e uma faixa de areia que as separa. Para desbravar as que são menos conhecidas, vá até Hidden Beach e Plum Creek Beach.

Muitas pessoas também caminham até a Lighthouse Beach para subir no Farol e ter uma vista espetacular de seus arredores. Se o passeio na ilha for rápido, opte pela Receiver’s Beach, próxima ao aeroporto, ideal para nadar, inclusive se o tiver crianças, e para curtir bons dias de sol e mar.

O público também se entretém visitando grutas e cavernas da região. Uma das mais relevantes é a Preacher’s Cave, onde viveram os primeiros colonos britânicos por volta de 1.648. Para os menos aventureiros, que tal conhecer as fazendas? Na Island Farm dá para provar delícias caseiras, como pães, frutas e geleias, aprofundando-se nos costumes locais.

As crianças também adoram a Leon Levy Preserve, uma reserva natural dedicada às plantas medicinais, a fauna e a flora local, incluindo orquídeas raras. Trilhas e caminhadas mostram todas as belezas tropicais, passando por pequenas quedas d’água, mangues e espécies botânicas diversas.

Quanto à vida noturna, não há muitas opções na pacata Eleuthera. Mas alguns bares, hotéis e resorts dão conta do recado aos finais de semana, oferecendo festas e apresentações musicais, como acontece no Fish Fry e no Tippy’s (foto), em Harbour. No quesito festival, há acontecimentos ao longo do ano que animam a ilha, como o Bahamian Culture Fest in the Bay, dedicado a mostrar a cultura das Bahamas, reunindo artesanato, comida típica e muito jazz. Em julho, mais precisamente no feriado do dia 10, acontece a festa de Independência das Bahamas.

Onde ficar

Para escolher a hospedagem perfeita, pense nos atrativos da ilha que deseja conhecer. Com maior infraestrutura turística, Governorʼs Harbour costuma ser o local escolhido, devido a comodidade. Numa praia privativa, o Unique Village é uma acomodação simples, com piscina de frente para o mar e preços amigáveis (a partir de R$ 298 por dia para dois adultos).

Outra opção são os B&B, sigla para Bed & Breakfast, que seria semelhante a uma pousada. O Ocean Tally, em Whale Point, tem uma localização bem privilegiada, com um lindo terraço de frente para o mar azul. A propriedade oferece até mesmo o serviço de concierge. As diárias estão a partir de R$ 1.439 para duas pessoas.

Em Harbour, outra região para turistas, o Pink Sands Resort oferece um bocado mais de conforto sem ser um daqueles empreendimentos gigantescos e movimentados. São 25 pequenas cabanas em estilo colonial-britânico (a partir de R$ 700 por dia) para abrigar os hóspedes e faze-los se sentirem em casa. O restaurante é abastecido com ingredientes orgânicos de produção própria. Como plus, uma praia de areias rosáceas logo em frente, a seu dispor.

Um dos mais falados de Eleuthera é o Hotel French Leave, na praia homônima, que também tem areias rosinhas. Moderno e sofisticado, o resort fica em Colebrooke Dale, área ótima para quem gosta de mergulhar. O preço médio é de R$ 1.452 por dia para dois adultos.

Como chegar

A forma mais prática de chegar em Eleuthera é viajando até Nassau, capital de Bahamas, ou Miami e Fort Lauderdale, que têm voos frequentes para os aeroportos regionais: North Eleuthera (no extremo Norte), Governor’s Harbour (no Centro) e Rock Sound (ao Sul). Há balsas partindo de Nassau rumo às ilhas de Harbour, Governor’s Harbour, Spanish Wells e Current.

Fotos: divulgação/Turismo de Bahamas e Eleuthera

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *