Ah, a globalização…permite que fronteiras se rompam rapidamente. Seguindo a série Do Mundo à Mesa, hoje temos receitas de drinks para fazer em casa, com base nas diferentes bebidas e paladares de vários países. Uma viagem entre misturas e sabores que podem te surpreender. 

Antes de mais nada, é preciso entender uma coisa: coquetelaria não tem a ver com beber mais e sim beber melhor. O mais importante é se divertir, criar e testar misturas, e não se embebedar até encarar uma bela ressaca depois. Estamos enfrentando tempos um tanto difíceis, mas vai com calma. 

Numa mistura de referências com o que cada nação bebe ou tem de melhor a oferecer em termos de etílicos, selecionei drinks mais fáceis de fazer e ainda assim inventivos pra você tentar em casa. Lembre-se também que dá para adaptar algumas receitas com o que tem em casa. 

No mundo ideal, você vai bater os ingredientes dos drinks numa coqueteleira com gelo antes de passar para o copo – de acordo com a receita, é claro. Mas se não der, desencana e vai no improviso mesmo! Quem não tem coqueteleira em casa pode tentar encaixar dois copos (um maior do que o outro) e agitar os ingredientes. Dica sujeita ao fracasso!

Drinks para fazer em casa e provar sabores além das fronteiras

França | French 75

O coquetel clássico francês foi inventado na década de 20. Ao atravessar o oceano, fez fama em Nova York. O French 75 é feito com gin, suco de limão, xarope de açúcar e champanhe. É servido numa taça de champanhe e decorado com uma lasquinha fina de casca de limão. 

Foto: iStock

Estados Unidos | French Martini

Apesar do nome ser “martini francês”, essa receita é norte americana e foi inventada por volta dos anos 80 em NY. Misture gelo, dois shots de vodca com meio shot de licor de framboesa preta e um shot e meio de suco de abacaxi. Sirva numa taça de martini gelado e decore com um pedacinho da fatia de abacaxi ou com uma framboesa posicionada na beira do copo.

Foto: iStock

Japão | Kamikaze

O sakê é uma bebida japonesa milenar, obtida por meio da fermentação do arroz. Mas curiosamente um dos drinks mais conhecidos por lá não leva esse ingrediente. Inventado em Tóquio, o Kamikaze consiste em partes iguais de vodca, triple sec (licor de laranja) e suco de limão fresco. É servido numa taça de martini e decorado com uma fina fatia ou casca da fruta. 

Foto: creative commons/wikipedia

Itália | Limoncello Spritz

O licor de limão siciliano, batizado de Limoncello, faz sucesso ao redor da Itália. Nessa receita, um shot e meio dele é misturado a um shot de prosecco e dois terços de shot de Club Soda ou água com gás. Coloque os ingredientes numa taça de vinho com bastante gelo e decore com uma fatia de laranja.

Foto: Ministério do Turismo da Itália

Argentina | Macunaíma

Fernet é uma bebida originalmente italiana, mas ficou bem popular na Argentina, fazendo parte das noitadas cotidianas dos hermanos. A mistura mais conhecida por lá é Fernet com Coca-Cola, mas a gente pode deixar isso melhor. Indico o drink que é sucesso no bar Boca de Ouro em São Paulo, que basicamente consiste na junção de cachaça (45 ml), xarope de açúcar (25 ml), suco de limão (20 ml) e Fernet Branca (7 ml).

*Xarope simples de açúcar nada mais é do que dois medidas de açúcar para uma medida de água que vai ao fogo. Não é necessário ferver, apenas diluir os grãos. O ideal é deixar esse xarope pronto numa garrafinha e ir utilizando nos drinks. 

https://www.instagram.com/p/B9IDXhRnbjF/

Inglaterra | Pimm’s

O gin é uma das bebidas inglesas mais famosas do mundo. O destilado botânico é a base para uma refrescante jarra de Pimm’s, drink local que é semelhante a uma sangria e bem fácil de fazer. Basta misturar morangos, fatias de laranja, fatias de pepino, ramos de hortelã, gelo, doses de gin e completar com refrigerante de limão. Você também pode fazer uma versão individual do coquetel em um copo longo.

México | Michelada

O popular drink mexicano segue desde os anos 1940 como um dos principais do país. Para fazê-lo em casa basta misturar meio shot de suco de limão, um terço de shot de molho inglês, uma a três gotas de molho de pimenta e completar o copo com cerveja do tipo Amber Lager, que é mais adocicada. O ideal é servi-lo num copo longo com bastante gelo. Se quiser, adicione uma pequena quantidade de sal na borda.

Foto: Shutterstock

Peru | Mosquito

Um dos drinks peruanos mais conhecidos é o Pisco Sour, mas a receita inclui clara de ovo e isso é trabalhoso. Então a dica é seguir uma adaptação de um coquetel servido no bar El Pisquerito, em Cuzco. Parecido com o Mojito, o Mosquito é preparado com 6 folhas de hortelã fresco, dois shots de pisco, um shot de suco de limão e três quartos de shot de xarope simples de açúcar. Servir com gelo num copo old-fashioned, conhecido como copo de uísque.  

Foto: divulgação/El Pisquerito

Irlanda |Irish Espresso’tini

Uísque, Bailey’s e Guinness são ao menos três bebidas populares no Brasil que vieram lá da Irlanda. Inventado em Dublin na década de 70, o licor de creme irlandês serve de base para essa receita deliciosa. Adicionar e bater numa coqueteleira com gelo dois shots de Bailey’s (ou semelhante), um e um quarto de shot de vodca sabor baunilha e por fim um e um quarto de shot de café espresso recém-tirado. Sevir numa taça de martini.

Foto: Shutterstock

Chile | Navegado

Popular no inverno, o drink chileno tem variadas versões e lembra um pouco o nosso junino vinho quente. Mas para não errar, combine numa panela: uma garrafa de vinho de boa qualidade — Cabernet Sauvignon ou Merlot vão bem — meio copo de açúcar, três anis estrelados, uma canela em pau, duas ou mais fatias de laranja com casca. Cozinhe em fogo baixo e não deixe ferver. Sirva em canecas ou xícaras, decoradas com um ramo de alecrim ou uma fatia de laranja. 

Foto: Shutterstock

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *