Viajar para a Patagônia povoa o imaginário de muitos, especialmente daqueles viajantes que adoram o contato com a Natureza e destinos em que aventura é a palavra de ordem. A vasta região, que guarda belezas naturais sem número, é partilhada por dois países, a Argentina e o Chile, e está localizada no extremo mais austral da América do Sul.

Montanhas imponentes, estepes a perder de vista no horizonte, glaciares, cristalinos lagos azuis e florestas centenárias são algumas das atrações que os visitantes encontram ao viajar para a Patagônia. Repleta de cantos intocados e misteriosos, a região acaba deixando muita gente na dúvida sobre como se preparar para viagem e o que conhecer entre inúmeras opções.

Se você está precisando de umas dicas para viajar para Patagônia, o Quanto Custa Viajar elaborou um roteiro básico para você começar a se preparar para esse incrível destino. Confira a seguir.

Dicas para viajar para Patagônia

Quando ir?

A região oferece atrativos durante o ano todo, mas o verão austral (de dezembro a fevereiro) é a melhor época para visitar a Patagônia. O período é o melhor para quem gosta das atividades e caminhadas outdoor e observação das geleiras e lagos cristalinos. Porém, se o desejo são os esportes de inverno, os meses mais apropriados são de junho a agosto. No inverno a maior parte dos estabelecimentos turísticos da Patagônia não funcionam e a exceção fica por conta das estações de esqui em Bariloche e Esquel.

Veja também mais sobre Bariloche no nosso blog e descubra outras dicas para conhecer essa bela cidade da Patagônia Argentina.

Como ir?

São inúmeras as opções para se chegar na Patagônia e tudo dependerá do seu estilo de viagem e orçamento! Pesquisando com antecedência é possível encontrar boas opções.

Lembre-se que o Quanto Custa Viajar tem uma ferramenta com passagens aéreas baratas, encontradas por usuários do Viajanet. As opções mais em conta aparecem destacadas em amarelo na ferramenta e já estão calculadas conforme o câmbio.

Para aqueles que desejam realizar uma viagem internacional de ônibus a dica para viagem pela Patagônia é a Pluma Internacional, empresa que oferece alguns destinos dentro das principais cidades da América do Sul. Outras empresas de ônibus, como a Andesmar, Via Bariloche e Flecha Bus atendem as principais cidades da Argentina. Lembre-se que quando optar por esse tipo de transporte, será necessário acrescentar mais dias para compensar os dias de deslocamento.

Já, para distâncias menores, sempre é possível alugar um carro. Para os mais aventureiros, no entanto, é importante lembrar que viajar de carro requer um pouco de experiência, bons mapas e navegadores e planejamento, pois há poucos postos de serviço e abastecimento.

Que documentos levar?

Tanto para Argentina quanto para o Chile, o ideal é levar o Passaporte Original e estar sempre atento ao prazo de validade de, pelo menos, seis meses antes do vencimento. No caso de locação de veículos é necessário levar a CNH brasileira dentro do prazo de validade e ter uma CNH internacional como precaução. Se for atravessar as fronteiras entre os dois países, lembre-se que no Chile eles são um pouco mais rígidos, então tome cuidado para tudo estar em ordem.

Qual moeda levar?

Na Argentina e o Chile, o dólar é uma boa opção para o pagamento dos hotéis. Já os Pesos Argentinos e Chilenos são importantes para o pagamento das entradas dos parques que só aceitam moeda local e outros gastos pessoais como alimentação, transporte e compras. Os passeios, restaurantes e taxis podem ser pagos em dólar ou pesos argentinos/chilenos. É recomendado levar um valor considerável em espécie, pois não são todos os hotéis e restaurantes que aceitam cartão de crédito.

Passeios: Confira se há venda de ingressos online. Muitas vezes, as opções para compra antecipada têm descontos que podem chegar até 40%. No Quanto Custa Viajar, as principais atrações já estão com os links oficiais para a compra dos ingressos.

Onde ficar?

Cidades como Bariloche, Puerto Madryn e El Calafate possuem boa infraestrutura hoteleira e vários serviços, incluindo agências de viagem e boa conexão de internet. Assim, são as opções mais óbvias na escolha de uma base para as excursões. No entanto, em qualquer cidade da região da Patagônia você irá encontrar inúmeras opções de hotéis, dos mais econômicos até os mais luxuosos.

Uma dica para poupar dinheiro na Patagônia, já que geralmente os passeios são mais caros, são as inúmeras opções de campings, que valem a pena mesmo alugando equipamento. Outra alternativa é ficar em hostels com acesso à cozinha.

O que levar?

O sul do continente e, especialmente a zona do Estreito de Magalhães e da Terra do Fogo, está localizado sob uma das grandes falhas da camada de ozônio, sendo fortemente recomendado o uso constante de bloqueadores solares e de óculos com proteção UV. Na região, todos os tipos de clima podem acontecer no mesmo dia. A dica para viajar para a Patagônia é preparar-se levando artigos básicos para sol e frio: protetor solar, boné, capa de chuva, boas botas ou calçado para caminhada, óculos de sol e agasalhos.

O que conhecer? 

*clique nos nomes das cidades para descobrir os custos de viagem além de outras dicas para aproveitar

Existem vários lugares imperdíveis na Patagônia. Os locais mais procurados são Bariloche e Ushuaia. Esta última está localizada no extremo sul da Argentina, ou melhor, no extremo sul do planeta, por isso é conhecida como “fim do mundo”.

Outro destino recomendado é El Calafate, onde se encontra o magnífico glaciar Perito Moreno, uma das vistas mais belas da América do Sul e patrimônio da biosfera.

Já no Chile, uma parada obrigatória é Punta Arenas, capital da Patagônia e da região de Magalhães, e apenas a quatro horas de distância Santiago do Chile.

11 comentários

  1. Boa tarde , é possível fazer algum tipo de Cruzeiro da Argentina até o Chile? E quanto custaria mais ou menos por pessoa?

  2. Boa noite!
    É recomendável comprar os passeios com muita antecedência? Ou é possível comprá-los no dia anterior ao passeio, pesquisando os preços in locu? Recomendam alguma agência?
    Obrigado!

  3. Ricardo Scholl03.fev.2019 às 15:31PermalinkResponder

    Olá, gostaria de fazer um breve relato da viagem de carro que fizemos(eu e minha esposa 63/60 anos com um prisma 2015) a ushuaia agora em Janeiro de 2019 (acabamos de chegar),essa viagem estávamos programando a 5 anos, saimos de São Paulo em 05/01/19 pegamos sentido sorocaba, ponta grossa ,pato branco e entramos por bernardo de irigoyen, nessa fronteira e em todas as outras o melhor será levar o passaporte pois agiliza bastante , foi bem rápidos os tramites, logo pegamos a ruta 14 e em seguida fomos parados pela gendarmeria, destaco para não ocupar espaço, que no total de 13965 km fomos parados 23 vezes e em todas o atendimento dessa policia e da caminera foram exemplares, com extrema cordialidade e atenção sem causar nenhum constrangimento, assim seguimos até oberá onde trocamos dolares por peso na melhor cotação, saindo a ruta 14 tem um pequeno trecho de 3 km de terra, o resto é um tapete, seguimos até Colon onde pernoitamos ( recomento essa cidade e os hoteis estão na costaneira,) pela manhã seguimos próximo a Buenos Aires , a Zarate para Canuelas pela ruta 6 ( esse trecho está pessimo não passem por lá, só buracos, depois pegamos a ruta 3 em direção a Bahia Blanca onde pernoitamos no hotel Argos ,bom hotel( devem estar estranhando mas rodamos 1000 por dia, pois nosso objetivo principal era a partir de ushuaia subirmos a ruta 40 e dedicar nosso tempo a essa parte)de Bahia Blanca seguimos (antes passamos por Comodoro Rivadávia , linda, e na saida dessa fomos parados pela policia para nos registrarmos, na policia local )até Telew onde pernoitamos (hotel Imperador bom custo beneficio) retas interminavelmente lindas, com a dominação divina da natureza, de Trelew ,linda cidade, seguimos até Puerto San Julian já com muito frio e um pouco de chuva,(não esquecer , sempre que ver um posto YPF ou AXXION abasteça, pois os trechos sem nada são de até 365 km, outra coisa são os guanacos,os bichos mais fofos que conhecemos, foram nossos companheiros nas partes deserticas, me emociono só de falar deles, e tem de ter cuidado pois eles atravessam a pista toda hora, e não esquecer que por mais que planegemos , as surpresas e emoções são indescritiveis, , no sexto dia saímos de San Julian e resolvemos tocar até Ushuaia, passamos por Rio Gallegos (terra da Cris Kirshner uma cidade suja e mal cuidada) e após alguns kilometros chegamos na fronteira Argentina/Chile ali precisa preencher um formulário de declaração antes de pegar a fila, mesmo com passaporte(Chile)após fomos para o transbordador Austral, o pagamento do transbordador é feito no barco mesmo, desça do carro e vá até uma cabine que tem próximo aos carros e efetue o pgt. depois deixe o recibo no painel do carro , 1000 pessos argentinos , 100 reais, depois de alguns kms chegamos a fronteira novamente( tomem bastante cuidado pois precisa parar no primeiro posto e no ultimo , pois nessa parte são separados Chile/Argentina ( no primeiro são juntos) depois passamos por Rio Grande, cidade que na volta ficamos 2 dias (não deixem de levar uma farmacinha ,muito útil por lá)detalhe que ainda tem rípio , no paso San sebastian, 10 km, daí em diante chegando a Ushuaia sentimos a força da natureza com montanhas com neve no topo, nesse trecho nos sentimos pequenos demais diante de tão grandiosa natureza,chegando em Ushuaia (ficamos 2 dias) primeiro fomos ao cerro martial onde subindo a pé fomos presenteados com uma intensa precipitação de neve, lindissimo, depois fomos no trem do fim do mundo e parque Lapataia, vale a pena,, retornando fomos a El Calafate ( outro belíssimo impacto com a natureza, ficamos 2 dias , recomendo muito, Hosteria Tierra Tehuelche, atendimento/custo beneficio, seguimos até Gobernador Gregores , 72 km de Rípio, (de Tres Lagos a Gob. Greg.) depois, ninguem fala em nenhum blog mas de Chos Malal até Malargue são 100 km de rípio , dá para passar foi tudo bem com o preto(prisma) paramos numa cidade chamada Gobernador Costa (Pernoite)jantamos na Parrilla El Petiso , local muito acolhedor, peça bife de churizzo com fritas, estava 3 graus de temperatura e vento de 70 km , já viram que frio,depois Bariloche , rota dos sete lagos lindissima paisagem , San Martin de los Andes, depois San Rafael, Linda e com várias bodegas com preços inacreditaveis, (detalhe , pulamos , passamos direto por Esquel, el Bolson e Epuhien por causa do surto de Anta virus) depois San Luis, Cordoba, San Francisco, nessa vale ficar , hoteis baratos e boa gastronomia, depois Uruguaiana , péssimas rodovias no rio grande do sul , deveria ter saído por onde entrei, Alegrete , Santa Maria ,Concórdia, São Paulo, fiz um breve relato mas posso afirmar que somos outras pessoas depois desse maravilhoso e emocionante contato com aquela natureza, só indo para sentir, aos que desejam ir e precisarem de detalhes meu e-mail é rischoll2@gmail.com

    Ricardo Scholl
    Ricardo Scholl03.fev.2019 às 17:33PermalinkResponder

    Dicas ;
    Para a Argentina o meu documento do carro está CDC, portanto em meu nome, em todas as paradas da Policia Caminera e Gendarmeria , somente uma pediu o seguro carta verde, em todas as outras somente CNH e Documento do carro,inclusive nas fronteiras, na passagem pelo Chile no estreito de Magalhães, o Chile pediu somente a CNH e documento do veículo, mas por via das dúvidas faça o seguro SOAPEX exigido por eles é barato pela internet 11 dolares na HDI seguros, o carta verde fiz pela internet e imprimi em folha sulfite verde, não deixe de imprimir em papel verde, anexando o recibo de internet, os países que exigem declaração da financeira agora não precisa ir aos consulados, é feito APOSTILAMENTO em qualquer cartório, com validade no mercosul,
    gasolina,gastei 3.765,00 reais (com o Prisma)
    o litro na região de missiones,entre rios e corrientes custa hoje o equivalente a
    4,10 reais e depois de Bahia Blanca 2,29 reais até 3,10 de média
    Troca de Reais ou Dolar por peso? tanto faz, dá no mesmo levei um pouco de cada , aconselho a trocar somente em casas de cambio, na fronteira que entrei não tinha , aí troquei na rua só um pouco e depois em Oberá, onde fiquei arrependido de não ter trocado tudo, muito boa a cotação.
    outra coisa em qualquer minimo de duvida se vc está na estrada certa , pergunte
    a sinalização é deficiente, principalmente nas rotatórias,
    espero ter contribuido um pouco que seja,
    Ricardo Scholl

    Ricardo Scholl
    Ricardo Scholl03.fev.2019 às 17:38PermalinkResponder

    Aos que querem ver neve, mesmo em pleno Janeiro nevou em cima de nós no cerro Martial e na entrada da pousada em El Calafate, lindo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquise aqui sua passagem aérea!