O que você pretende fazer neste ano? Se a resposta for viajar muito, saiba que estamos juntos nessa missão! Para te ajudar a escolher um lugar incrível e com bons preços, eis aqui os resultados de uma pesquisa que mostra quais são os destinos mais econômicos para 2018.

O levantamento foi feito pelo site de reserva de hotéis Booking.com, que primeiro analisou o preço médio por diária de acomodações de 3, 4 e 5 estrelas nas cidades mais procuradas do mundo. Depois foram determinadas quais cidades seriam recomendadas em cada mês, a partir da análise da visão geral anual das flutuações de preços para determinar as melhores semanas para se hospedar nos destinos escolhidos.

Os dados de preços foram medidos durante o período de outubro de 2016 a outubro de 2017. Os preços apresentados são a tarifa diária média (“ADR”) conforme relatado no Booking.com para o período especificado. As cidades apresentadas precisavam ter mais de 10.000 reservas para o ano.

Confira abaixo as principais cidades que baixaram seus preços em 2018 e clique no destino desejado para descobrir todos os custos da sua viagem:

Janeiro

  • Copenhague (Dinamarca) estava 41% mais acessível em janeiro do que no mês mais caro do ano.
  • San Diego (EUA) estava 37% mais acessível em janeiro do que no mês mais caro do ano.
  • Pequim (China) estava 19% mais acessível em janeiro do que no mês mais caro do ano.

Fevereiro

  • Las Vegas (EUA) estava 43% mais acessível em fevereiro do que no mês mais caro do ano.
  • Lisboa (Portugal) estava 42% mais acessível em fevereiro do que no mês mais caro do ano.
  • Quioto (Japão) estava 37% mais acessível em fevereiro do que no mês mais caro do ano.
  • Buenos Aires (Argentina) estava 16% mais acessível em fevereiro do que no mês mais caro do ano.

Março

  • Budapeste (Hungria) estava 33% mais acessível em março do que no mês mais caro do ano.
  • Kuta (Indonésia) estava 33% mais acessível em março do que no mês mais caro do ano.
  • Montreal (Canadá) estava 22% mais acessível em março do que no mês mais caro do ano.
  • Singapura estava 13% mais acessível em março do que no mês mais caro do ano.

Abril

  • Oslo (Noruega) estava 29% mais acessível em abril do que no mês mais caro do ano.
  • Toronto (Canadá) estava 27% mais acessível em abril do que no mês mais caro do ano.
  • Zurique (Suíça) estava 15% mais acessível em abril do que no mês mais caro do ano.
  • Jakarta (Indonésia) estava 9% mais acessível em abril do que no mês mais caro do ano.

Maio

  • Melbourne (Austrália) estava 22% mais acessível em maio do que no mês mais caro do ano.
  • Orlando (EUA) estava 18% mais acessível em maio do que no mês mais caro do ano.
  • Moscou (Rússia) estava 14% mais acessível em maio do que no mês mais caro do ano.
  • Bangkok (Tailândia) estava 13% mais acessível em maio do que no mês mais caro do ano.

Junho

  • Miami (EUA) estava 39% mais acessível em junho do que no mês mais caro do ano.
  • Hong Kong (China) estava 29% mais acessível em junho do que no mês mais caro do ano.
  • Chiang Mai (Tailândia) estava 26% mais acessível em junho do que no mês mais caro do ano.
  • Liverpool (Reino Unido) estava 17% mais acessível em junho do que no mês mais caro do ano.

Julho

  • Abu Dhabi (Emirados Árabes) estava 46% mais acessível em julho do que no mês mais caro do ano.
  • Nova York (EUA) estava 25% mais acessível em julho do que no mês mais caro do ano.
  • Estocolmo (Suécia) estava 23% mais acessível em julho do que no mês mais caro do ano.
  • Seul (Coréia do Sul) estava 22% mais acessível em julho do que no mês mais caro do ano.

Agosto

  • Nova Orleans (EUA) estava 55% mais acessível em agosto do que no mês mais caro do ano.
  • Rio de Janeiro (Brasil) estava 40% mais acessível em agosto do que no mês mais caro do ano.
  • Bruxelas (Bélgica) estava 32% mais acessível em agosto do que no mês mais caro do ano.
  • Mumbai (Índia) estava 20% mais acessível em agosto do que no mês mais caro do ano.

Setembro

  • Cidade do México (México) estava 46% mais acessível em setembro do que no mês mais caro do ano.
  • Nuremberg (Alemanha) estava 42% mais acessível em setembro do que no mês mais caro do ano.
  • Kaohsiung (Taiwan) estava 33% mais acessível em setembro do que no mês mais caro do ano.
  • Washington, D.C. (EUA) estava 26% mais acessível em setembro do que no mês mais caro do ano.

Outubro

  • Patong Beach (Tailândia) estava 42% mais acessível em outubro do que no mês mais caro do ano.
  • Tallinn (Estônia) estava 30% mais acessível em outubro do que no mês mais caro do ano.
  • Auckland (Nova Zelândia) estava 16% mais acessível em outubro do que no mês mais caro do ano.
  • Los Angeles (EUA) estava 14% mais acessível em outubro do que no mês mais caro do ano.

Novembro

  • Málaga (Espanha) estava 35% mais acessível em novembro do que no mês mais caro do ano.
  • San Francisco (EUA) estava 31% mais acessível em novembro do que no mês mais caro do ano.
  • Atenas (Grécia) estava 31% mais acessível em novembro do que no mês mais caro do ano.
  • Seminyak (Indonésia) estava 21% mais acessível em novembro do que no mês mais caro do ano.

Dezembro

  • Veneza (Itália) estava 58% mais acessível em dezembro do que no mês mais caro do ano.
  • Guangzhou (China) estava 36% mais acessível em dezembro do que no mês mais caro do ano.
  • Amsterdã (Holanda) estava 35% mais acessível em dezembro do que no mês mais caro do ano.
  • Atlanta (EUA) estava 24% mais acessível em dezembro do que no mês mais caro do ano.

Ainda tá na dúvida? Então coloque seu orçamento no nosso site e a gente te diz pra onde ir! 

Fotos: divulgação

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *