Olá viajantes! Me chamo Evelin Gasparin, sou jornalista e adoro planejar viagens. Em junho de 2017 conheci Ushuaia, a cidade do fim do mundo que fica na Argentina. Consegui me organizar para levar apenas uma mala de mão e uma bolsa (que já uso diariamente para trabalhar).

Parece impossível, mas se você detesta despachar ou quer economizar depois da nova resolução de cobrança por bagagem despachada, é possível organizar seus itens e passar tranquilamente uma semana com poucos itens.

Como moro em Curitiba-PR, aqui faz bastante frio, então decidi que não seria interessante alugar roupas de inverno em Ushuaia e sim comprar pela internet ou em lojas especializadas por aqui mesmo.

Comecei procurando por um calçado impermeável, como planejava caminhar bastante e esperava encontrar neve, vi relatos em blogs afirmando que é extremamente necessário não deixar os pés molhados para poder aproveitar os passeios durante o inverno em destinos com muita neve.

Acabei encontrando uma bota da hi-tec no site da Dafiti, que além a impermeabilidade também era toda forrada com lã e custava menos de R$ 300,00. Entre a compra e a entrega, foram menos de 5 dias! Também encontrei opções interessantes de tênis e botas na Decathlon, nessa mesma faixa de preço.

Vencida a busca pelo calçado, iniciei a busca pelas roupas térmicas. Em Ushuaia os ambientes fechados possuem calefação, então você deve vestir-se em camadas. O recomendado é que a primeira seja impermeável (se for praticar esportes na neve). Já a segunda, na parte de cima, pode ser usada uma blusa do tipo fleece com zíper de abertura total (para facilitar na hora que estiver em locais fechados). Já na última, que ficará em contato com você o tempo todo, o recomendado são blusas e calças térmicas do tipo “segunda pele”.

Partiu Ushuaia? Confira opções de pacotes de viagem para lá!

Durante uma caminhada que fizemos em um dos passeios é que entendi a importância de vestir-se em camadas! No trajeto de quase 10 km nos espaços mais abertos ventava muito, então os acessórios faziam a diferença para manter as extremidades aquecidas. Já quando chegava próximo de bosque, com um pouco de mata mais fechada era necessário tirar o casaco pesado e abrir o fleece para não deixar o suor molhar a segunda pele. O guia explicou que o suor demoraria para secar e poderia nos deixar com muito frio no trajeto da volta.

E não esqueça dos acessórios, você terá que usar gorro, luvas, óculos de sol, cachecol ou gola para se manter aquecido nos ambientes externos. Comprei também dois pares de meias térmicas, dessas que vão até o joelho. Além de manter as extremidades aquecidas, elas também ajudavam a segurar a calça de baixo na hora de vestir o restante da roupa! O protetor solar é recomendado pelos guias, caso você faça longas caminhadas pela neve. E, para embarcar com ele na bagagem de mão a embalagem deve ter até 100ml e não pode ser daqueles em aerossol.

Abaixo deixo a lista dos itens que levei para passar um fim de semana em Buenos Aires, e uma semana em Ushuaia, no inverno:

  • 2 calças térmicas
  • 3 camisetas térmicas de manga comprida
  • 2 blusas fleeces
  • 2 calças de moletom
  • 4 pares de meias de algodão
  • 2 pares de meias térmicas
  • 7 pares de roupas íntimas
  • 1 camiseta de manga curta
  • 1 jaqueta de nylon
  • 1 par de tênis
  • 1 chinelo
  • 1 pijama
  • 1 gorro
  • 1 par de luvas
  • 1 cachecol

Para economizar espaço, optei por viajar com a bota de neve (ela era grande e um pouco pesada, só caberia em malas maiores). Vesti também uma calça jeans e camiseta de manga curta, que pretendia usar no fim de semana em BA. E o casaco mais pesado, que também não valia a pena colocar na mala pelo espaço que ocuparia.

Organizei a mala colocando a jaqueta de nylon naqueles plásticos a vácuo (comprei um conjunto com três tamanhos na Casa china). Para tirar o ar, apenas abracei o pacote e sentei em cima dele até deixar do formato que caberia na parte de cima da mala, onde também coloquei o tênis e o chinelo. Dentro de cada pé do tênis guardei dois pares de meia. As roupas íntimas foram colocadas na parte da frente daquele compartimento com zíper.

Na parte maior da mala, comecei pelas 4 calças, colocando-as com o meio dentro e as pernas e parte de cima para fora. Guardei os 2 fleeces e as 4 camisetas, dobrando cada uma delas da menor forma possível. As partes das calças que estavam para fora serviram para “abraçar” o restante das roupas no final.

Na minha bolsa do dia a dia levei documentos, celular, carregador, kindle e nécessaire. Nesta guardei os produtos de beleza e o básico de remédios que poderia precisar (analgésico, antitérmico, antialérgico, antiácido, curativo, remédio para gripe e para enjoo).

Claro que no trecho entre Curitiba-São Paulo-Buenos Aires, tanto na ida quando na volta, passei um pouco de calor com a bota de neve. O casaco pesado, consegui pendurar por cima da bolsa e da mala, prendendo na alça de ambas. Valeu o esforço de levar pouca bagagem, na volta, quando chega aquela hora chata de desfazer a mala em casa, são pouquíssimos itens para organizar!

Post e fotos por Evelin Gasparin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *