Descubra o porquê de um pequeno povoado até há pouco desconhecido, acabou indo parar dentro do mapa.

A bela costa Amalfitana, região localizada no Sul da Itália, é uma terra cheia de encantos. A água do mar é azul turquesa, o clima mediterrâneo garante temperaturas agradáveis por quase todo o ano, a sua gastronomia é considerada uma das mais ricas do mundo e os vastos campos ocupados por limoeiros, parreiras e oliveiras transformam o cenário em um paraíso.

Amalfi, Positano e Sorrento são os lugares mais citados quando se busca informações de roteiros e destinos. Porém, bem ali pertinho existe uma pequena vila cheia de magia, quase desconhecida pelos turistas. Furore é uma cidadezinha com pouco mais de 800 habitantes, que até pouco tempo não possuía nem estrutura para receber os turistas que chegavam.

Esse povoado é a síntese do sul italiano na sua mais simples e complexa essência: boa comida, bom vinho, hospitalidade de primeira e lindas paisagens. Para os que buscam um roteiro alternativo pela região, passar uns dias ou apenas uma tarde por lá é uma sábia escolha. E mesmo com tantas atrações imperdíveis na costa Amalfitana, colocar Furore nos seus planos é uma ótima ideia.

A cereja do bolo
A maior atração desse lugar é um fiorde, ou fiordo, como é chamado em italiano. O recorte geográfico abriga uma pequena praia de pedras claras e de água transparente. Ali se reúnem turistas e pescadores, que durante os meses mais cheios permanecem até o sol se por. O sol, aliás, só dá as caras por lá durante as primeiras horas da tarde, por isso, se planeja fazer um bate e volta, se programe para conhecer a vila pela manhã e aproveitar a praia depois do almoço.

Foto por (WT-shared) Furore at wts ウィキメディア・コモンズ – 投稿者自身による作品, パブリック・ドメイン, 

Nas rochosas paredes que envolvem o fiorde, as antigas casas dos moradores, hoje desabitadas, se sustentam há centenas de anos em um declive feito de pedras, chamado de burgo. Essa é a parte mais antiga da cidade, e completa o visual como uma taça de vinho completa um prato de massa. É um verdadeiro museu a céu aberto. A experiência de conhecer um desfiladeiro incrustado de casas que o oceano corta ao meio merece ser vivenciada uma vez na vida.

De tão desconhecida, a vila era chamada de “a vila que não existe”, e para remediar esse pecado, a prefeitura se esforçou em torná-la conhecida. Assim nasceu um festival anual que acontece durante o mês de setembro, quando artistas de todo o mundo trabalham em decorar à sua maneira as vielas e espaços públicos com arte.

Foto por rey perezoso

Graças ao esforço, turistas e mais turistas foram chegando, e o comércio pôde se fortalecer, nascendo restaurantes que servem pizzas quentinhas, pousadas e hotéis dos mais variados estilos e preços. Se o exótico fiorde já era um motivo mais do que suficiente para se conhecer Furore, as novas cores e sabores tornaram o lugar um destino irresistível.

Como chegar
Se está planejando fazer a viagem de carro, se prepare para enfrentar algumas dificuldades. A estrada é íngreme e faz muitas voltas, necessitando dirigir em uma velocidade reduzida até Furore. Não é possível chegar ao fiorde de carro, pois não há estacionamento, apenas para motocicletas.
De ônibus, há uma linha Positano-Amalfi que passa pelo local, em um trajeto que demora cerca de 2 horas.

Onde se hospedar

A pequena vila oferece muitas boas opções de hospedagem. Para uma acomodação com uma bela vista do oceano, procure o Da Clotilde, um hotel confortável localizado a quatro quilômetros de Furore. Um pouco mais longe, mas não menos confortável, fica o Holydays Fico D’India, um hotel 3 estrelas mais luxuoso. Há também estabelecimentos mais simples, como o Bacco, uma pousada reconhecida pela boa hospitalidade de deus anfitriões. Lá, além do preço mais em conta, também é possível desfrutar de deliciosas refeições, pois também funciona como um restaurante.

Texto por Daniela Fescina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *