Conhecendo Ushuaia no inverno

Conhecendo Ushuaia no inverno



Olá viajantes! Me chamo Evelin Gasparin, sou jornalista e adoro planejar viagens. Algumas ainda não realizei, mas uma das mais emocionantes consegui fazer no último inverno. Conhecer a neve era um sonho de muito tempo, por isso Ushuaia foi escolhida como o destino das férias de junho de 2017.

Iniciamos o planejamento pesquisando por passagens aéreas, e o menor valor que encontramos foi selecionando a opção de múltiplos destinos da Latam. Fizemos Curitiba – São Paulo – Buenos Aires, saindo na sexta-feira pela manhã e chegando final da tarde no Aeroporto Jorge Newbery.

Mas antes de encarar o frio patagônico, demos uma passada em Buenos Aires para um fim de semana. Eu já tinha visitado BA em 2016, mas minha irmã ainda não conhecia a cidade, optamos por visitar os principais pontos: Casa Rosada, La Bombonera, Floralis, Rosedal, Feira de San Telmo, Café Tortoni, entre outros. Para Ushuaia o embarque foi na segunda-feira, logo cedo, chegamos na cidade perto da hora do almoço.

Chegando em Ushuaia

A nossa hospedagem em Ushuaia foi fantástica, optamos pelo Hotel Los Ñires mais afastado do centro, mas com serviço de transporte gratuito em van (ida e volta até o centro da cidade – das 9h às 20h30) acabamos não usando táxi em nenhum dia. O café da manhã também estava incluso com as tradicionais “medialunas”, chá, café, leite, achocolatado, sucos, água, iogurte, pães, bolo, frutas, etc. Para o jantar o hotel possui o “Restaurante Tio Alberto” a lá carte, recomendamos a pizza (muito bem servida) e o “cordero fueguino”.

O Los Nires fica literalmente no pé da Cordilheira dos Andes, o visual é maravilhoso. Á noite o silêncio era absoluto, assim como a escuridão na rua, sossego total para relaxar muito nas férias. O quarto e o chuveiro eram bem quentinhos, dava para dormir com pijama fino e andar sem casaco dentro numa boa! Mesmo com carpete, não havia cheiro de mofo e a limpeza e troca de toalhas era diária, serviço impecável do pessoal. Não usamos táxi nenhum dia, o hotel oferece transfer ida/volta do centro desde às 9h até 20h30.

Os passeios fechamos ainda em Curitiba, com a Agência Brasileiros em Ushuaia, como escolhemos quatro opções e ganhamos transfer in/out e 10% de desconto para pagamento a vista. Valeu a pena fechar antes, para garantir os passeios que queríamos fazer. Como é uma época que a cidade está cheia, ficamos com medo de não conseguir alguma das atrações e também não precisamos nos preocupar em perder um dia visitando agências e definindo roteiro.

Chegando em Ushuaia, deixamos as malas no hotel, pegamos a van deles e fomos almoçar no Fredo. Tinha um combo de “salgado + bebida + sorvete” por um valor bem em conta e o wi-fi deles era ótimo. Aproveitamos para passear pela rua principal da cidade, tem várias lojas de lembrancinhas, compramos alguns chaveiros, camisetas, cerveja, vinho, alfajor, coisas pequenas e de valor baixo. Roupas para neve não vale a pena, são muito caras! É melhor alugar se for esquiar, para os passeios compensa comprar na Decatlhon um calçado impermeável, jaqueta e calças/blusas térmicas. Para nós que moramos em Curitiba, com certeza essas peças serão usadas por aqui.

Passeios em Ushuaia

No segundo dia, novamente pegamos a van de transfer rumo ao centro, para fazer nosso primeiro passeio agendado pela agência. O dia estava meio fechado, mas ainda não tinha nevado, saímos do porto para fazer a navegação pelo Canal Beagle, que é cortado ao meio por uma linha imaginária que divide Argentina e Chile. Nós fomos com a “Catamarones Canoero” que é a única que faz uma parada na “Ilha H” – uma reserva natural bem afastada da costa, fizemos uma curta caminhada para conhecer a vegetação. Apenas o pagamento da taxa portuária é feito a parte e antes do embarque, em pesos (custou em torno de R$ 5,00). O barco era muito confortável, com excelente aquecimento, contando com bancos e mesas para 4 pessoas cada, banheiro e um serviço de café/lanches (pago separado).

A navegação é feita em águas argentinas, mas apreciamos também as montanhas e ilhas do lado chileno do canal.  A vista da “Bahía Ushuaia” é muito bonita, durante o trajeto passamos pela Ilha dos Pássaros, onde admiramos diversas aves. O barco “estaciona” próximo da ilha e é possível ir na parte de fora para tirar fotos, porém venta bastante e no dia estava chovendo e fazendo muito frio, então saímos apenas por alguns minutos e preferimos admirar a paisagem no conforto do interior do barco.

Depois chegamos à Ilha dos Lobos, onde lobos marinhos e cormoranes podem ser avistados. Os cormoranes são uma espécie de pássaros, geralmente confundidos com pinguim (são bem parecidos, mas em junho não é possível avistar pinguins na região). Ainda embarcados, seguimos para Farol Les Eclaireurs. Durante todo o percurso, o guia nos conta um pouco da história local e também a respeito dos animais e ilhas. A última parada é na Ilha H.

Retornamos próximo da hora do almoço e fomos direto ao Hard Rock, estava nevando muito na cidade. Almoçamos hambúrguer com batatas e refrigerante. A Agência de viagens também nos deu uma cortesia para um drink. O visual deles é bem legal, e o bar é bem fácil de encontrar, fica na rua principal do centro de Ushuaia. Em seguida passeamos um pouco mais pelo centro e fomos ao “Laguna Negra” uma loja de chocolates com boas opções de doces para presentear. Eles também têm uma lanchonete, experimentamos um chocolate quente que ganhamos de cortesia da agência de turismo. Depois retornamos ao hotel, pois o dia seguinte seria intenso com diversos passeios.

No terceiro dia de viagem fizemos o “Mega Tour”, a agência nos pegou no hotel e seguimos para o Parque Nacional Tierra del Fuego. No inverno a entrada é gratuita, pagamos apenas pelo passeio no Trem do Fim do Mundo (R$ 175,50 por pessoa). Quem visita o parque no inverno não pode perder a chance de andar nesse trem! Ele passa por locais que não são acessíveis de carro/ a pé, faz uma parada para fotos e servem chocolate quente para espantar o frio. Durante todo o trajeto de aproximadamente uma hora é contada a história do local em inglês, espanhol e português.

Seguimos então para a Baía Lapataia, de onde avistamos um trecho do Canal Beagle, e também bosques. Neste lugar, está o fim da Ruta 3, a estrada que alcança o ponto mais ao sul do planeta. Depois fomos para o lago Roca, já na fronteira com o Chile, e no centro de visitantes Alakush. O almoço estava incluso nesse dia, paramos no Andino Gourmet e haviam duas opções: uma com milanesa e outra vegetariana com macarrão e legumes, acrescidas de refrigerantes, e chá/café no final da refeição.

Na parte da tarde visitamos o centro invernal do Glaciar Martial, há opção de fazer aula de esqui/snowboard, mas preferimos passar a tarde em uma charmosa casa de chá com ótimos doces: a “La Cabaña”. Enquanto uma parte do pessoal do nosso grupo esquiava ficamos tomando chocolate/chá e comemos tortas. A lanchonete fica na parte de baixo, em cima tem uma lojinha. Se você tomar chá, ganha desconto para comprar uma latinha chá, podendo escolher entre as diversas opções do cardápio.

No retorno para a cidade fomos direto ao “Ice Bar” onde também há um pequeno museu da Antártica. O estabelecimento oferece uma roupa especial para usar em baixa temperatura, o tempo de permanência é de no máximo 20 minutos e as bebidas estão inclusas no tour (cerveja, destilados e refrigerantes). Já era noite quando o ônibus da agência nos deixou no hotel, jantamos por ali mesmo.

A linda Laguna Esmeralda

Quarto dia de Ushuaia, pela manhã fizemos um trekking até a Laguna Esmeralda, são aproximadamente 9,4 km de ida e volta passando por bosques, lagos, rios, castoreiras e imensos vales da cordilheira. No tour da agência estavam inclusos transfer, lanches e equipamentos (bastão e grampones). O trajeto estava coberto de neve, assim como a Laguna, a altura chegava até a cintura se saíssemos da trilha!

No início da tarde voltamos para o centro da cidade e optamos por conhecer o “Museo Maritimo y del Presidio” que ocupa as instalações do antigo presídio de Ushuaia – a entrada custou próximo de R$ 50,00 para duas pessoas. No mesmo local também é possível visitar o Museu Antártico José María Sobral e o Museu de Arte Marinha de Ushuaia. O acervo é amplo, conta com seções de antropologia, geografia, uma ala preservada como presídio, história natural, navegações antárticas, quadros, fotografias e até uma sessão com esculturas estilizadas de pinguins e outra com bonecas de diversos tamanhos e vestimentas.

Ainda no mesmo dia conhecemos a “Galeria Temática História Fueguina” (ingressos por R$ 36,00 para dois). É uma espécie de museu com pequenas salas com cenas mostrando o cotidiano durante várias etapas da formação da cidade de Ushuaia. Na entrada você recebe um aparelho de MP3 onde pode ouvir a história em português em cada cena montada, o áudio indica quando mudar de cena! No térreo tem uma loja com várias opções de presentes, há lembrancinhas com bons preços. A tarde visitamos o “Dublin”, um pequeno café irlandês, mas muito aconchegante. Como andamos muito, pegamos a van de transfer e jantamos no hotel mesmo.

No último dia de passeio por Ushuaia fizemos a “Expedição Off Road 4×4”, estava nevando muito, mas nosso guia nos garantiu que mesmo assim o passeio seria feito. Começamos pela Ruta 3, passamos pela margem do rio Olivia, um dos locais onde foram gravadas cenas do filme “O Regresso”. Não descemos devido ao mau tempo, mas durante o verão é possível ir no exato local onde foi filmada a cena do confronto entre Leonardo DiCaprio e Tom Hardy.  Seguimos com a trilha cruzando por bosques e castoreias, até chegar ao Lago Fagnano. Fomos recebidas em uma cabana rústica na beira do lago para um delicioso churrasco argentino, com cervejas, vinho, refrigerante e água inclusas também.

Na volta ao centro, fechamos o dia com uma visita ao museu da antiga Casa de Governo, a entrada foi gratuita e o acervo pode ser visto em 30 minutos. Passamos pelas lojas para comprar os últimos presentes, e seguimos para o hotel fazer as malas pois nossa partida seria já na manhã do dia seguinte.

Mesmo sem falar nada de espanhol conseguimos nos comunicar bem, os funcionários do hotel, de restaurantes, cafés e os guias da agência foram muito simpáticos e prestativos. Ushuaia é muito agradável, segura, ótima para passear e descansar do agito das grandes cidades. Para quem está preocupado com o frio, todos os ambientes fechados possuem calefação, o recomendado é você se vestir em camadas e ir tirando ao entrar e vestindo-se novamente ao sair.

Resumo dos gastos

  • Passagens áreas: 4x R$ 869,50 para duas pessoas
  • Hotel Splendid: 12x R$ 27,33 para duas pessoas
  • Hotel Los Nires: 12x R$97,42 para duas pessoas
  • 4 Passeios + transfer in/out Ushuaia: R$ 3.500,00 para duas pessoas
  • Comida + táxi + presentes: R$ 3.740,00 para duas pessoas
  • Total: R$ 12.215,00 para duas pessoas

Post e fotos por Evelin Gasparin

Quanto custa viajar para Ushuaia
Saindo desimulação de calculadora
com estadia desimulação de calculadora
Quanto custa viajar para ushuaia

+ Não há comentários

Comente