Independente de onde você vá, viajar sempre proporciona novos aprendizados. Por meio do intercâmbio cultural temos contato com os costumes de outros países e mais do que isso, podemos adotar algumas práticas que tornariam nossa vida melhor. Do cochilo a tarde à pontualidade inglesa, descubra pequenos hábitos revolucionários para o cotidiano.

Fato é que toda nação tem algo bom a ser ensinado. Embora pouco reconhecido, o tal jeitinho brasileiro também conta com características a serem mais valorizadas, especialmente pelos ricos regionalismos presentes num só país. O simples fato de cumprimentar as pessoas com um abraço ou beijo no rosto já revela que somos um povo afetivo, gentil e hospitaleiro.

Os hábitos de limpeza, herdados do povo indígena, também costumam surpreender os gringos. A quantidade de banhos tomados por dia e a escovação frequente dos dentes somam pontos positivos para o Brasil.

A seguir falamos sobre costumes de outros países que podem ser facilmente incorporados no cotidiano, com aprendizados que nos ajudam a ter mais qualidade de vida e melhoram o convívio em sociedade!

  • Trabalho e vida pessoal em equilíbrio

Alguns países conseguiram, ao longo dos anos, encontrar um bom equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Na Suécia, a jornada de trabalho é de apenas seis horas por dia, garantindo que as pessoas sejam mais produtivas e deem melhor resultado pois têm tempo suficiente para descansar, curtir o dia e socializar, item importante para os suecos, que costuma acontecer por volta das 15h.

Dinamarca, Alemanha, Suíça, Irlanda e Áustria também possuem jornadas reduzidas. A Holanda, porém, se destaca nesse sentido: tem a menor carga horária de trabalho do mundo, que vai de 29 a 35 horas semanais, tendo a sexta-feira livre. Parece que tem dado certo para o país! Está mais do que na hora das empresas valorizarem o tempo do funcionário e colher os frutos da produtividade sem esgotamento de energias.

  • Bicicleta como principal meio de transporte

No Países Baixos, especialmente em Amsterdã, a bicicleta é o principal meio de transporte. A medida adotada pelos moradores ajuda a poupar o meio ambiente e promove o bem estar por meio do exercício físico. Eles certamente também ficam menos estressados sem o engarrafamento típico dos carros em vias movimentadas. É uma pequena atitude que rende mais qualidade de vida.

Andar de bike é um dos costumes de outros países que podemos repetir!
  • Comer em pequenas porções ao invés de comer muito

A longevidade dos moradores da ilha de Okinawa, no Japão, é uma das maiores em comparação com outras regiões do mundo. Existe um número considerável de pessoas saudáveis com mais de 100 anos.

Um dos segredinhos está na alimentação, pois além de consumirem baixos níveis de sódio, muita fibra, vegetais, frutas e antioxidantes, a população também fraciona a comida em pequenas porções, evitando a indigestão. A prática tem até nome: hara hachi bu, na qual se comprometem a comer até estarem 80% satisfeitos. Estima-se que um habitante ingere cerca 1800 calorias por dia.

  • Dar gorjeta

Dar gorjeta é comum em todos os lugares do mundo. É sinal de educação e reconhecimento pelo serviço prestado. No Estados Unidos, as pessoas têm o hábito de deixar um pequeno valor a mais até para o taxista, enquanto no Canadá até cabeleireiro recebe a mais dos clientes como agradecimento.

Em algumas culturas, como a do Brasil, a gorjeta é opcional, mas em certos países chega a ser deselegante ou ofensivo não deixar uma caixinha, como acontece em restaurantes do Chile. Em todo caso, havendo condições de fazer isso, é uma forma de ser gentil.

  • Desfrutar de um bom aperitivo

Na Itália, o chamado aperitivo é como um happy hour. Entre 18h e 20h, os italianos aproveitam para se reunir em bares e degustar tábuas de frios, acepipes, pães, um bom vinho ou aquele drink especial. Geralmente paga-se um preço único, que dá direito a uma bebida e comidinhas à vontade.

Na França, o apéritif é visto como um ritual de sociabilidade, que pode ser feito em casa mesmo. É tempo de se juntar com a família, parceiro (a) ou amigos para uma pequena confraternização antes do jantar, com ou sem bebida alcoólica.

  • Ser pontual

Essa é uma tarefa fácil, mas que os brasileiros pecam bastante. Tendo um relógio enorme como um dos principais símbolos da capital, Londres, os britânicos incorporaram o controle das horas em seu dia a dia. No Reino Unido, pontualidade é sinal de elegância.

E não apenas isso, também simboliza que você honra seus compromissos e respeita o tempo das pessoas que te aguardam. Sempre bom lembrar que o seu tempo não é diferente ou mais valioso do que o de ninguém.

Pontualidade faz parte dos costumes de outros países, mas deveria ser incorporado no Brasil!
  • Tirar os sapatos para entrar em casa

Na cultura japonesa, o hábito de tirar os sapatos antes de entrar em casa não soa nem um pouco estranho. Pelo contrário! É higiênico. Os calçados trazem sujeira, resíduos químicos e bactérias da rua, que podem se impregnar em tapetes, carpetes e pisos.

Outro ponto da prática tem relação mais espiritual, que seria manter a casa longe de energias impuras. No Japão, é fundamental manter o genkan (espaço onde são deixados os sapatos) na fronteira entre a rua e a entrada da casa, considerada um lugar sagrado, que deve permanecer em harmonia.

  • Oferecer um presente de boas-vindas

Os alemães são verdadeiros mestres em boas-vindas. Na cultura acolhedora do país existem algumas práticas de presentear pessoas em certas ocasiões, como o primeiro dia de escola, o nascimento de um bebê e a chegada de um novo vizinho.

Dependendo do nível de amizade entre os envolvidos, quem se muda de casa acaba ganhando pão e sal, embrulhados graciosamente, de um alemão. A tradição simboliza o desejo de riqueza/prosperidade, visto que sal antigamente era muito caro, enquanto o pão representa votos de que não falte comida na mesa. Fofo, né?

  • Cochilar a tarde

Um dos hábitos mais conhecidos, e provavelmente invejados, dos espanhóis é a siesta, a soneca pós-almoço que deixa a população pronta para encarar o resto do dia com mais disposição. Até o comércio fecha para que todos possam descansar de 15 a 40 minutos – não mais que isso.

O assunto já foi abordado por médicos e especialistas em saúde diversas vezes, que comprovam os benefícios da prática reparadora, como melhorias na concentração e na performance durante o trabalho. É melhor dar uma dormidinha do que ficar lutando contra o sono nas próximas horas!

O mais invejado entre os costumes de outros países: a soneca da tarde!
  • Massagens regulares em prol da saúde

Enquanto para muita gente massagem é um item de luxo, para os tailandeses é um hábito. A prática se inclui na rotina de autocuidado da população devido aos seus benefícios para a saúde. Segundo estudos, as massagens são capazes de contribuir com a digestão, aliviar a insônia e os níveis de ansiedade, além de melhorar dores e lesões musculares ou nas articulações.

  • Exercícios regulares inclusos na rotina

Primeiramente: não, você não precisa pagar uma academia e se martirizar por não pisar nela há três meses. Faça como os franceses, que não se sentem na obrigação de fazer exercícios físicos, mas os incluem em pequenas atitudes cotidianas.

Caminhar o máximo possível, inclusive em rigorosos dias de inverno, frequentar parques, andar de bicicleta e respirar ar puro são itens fundamentais na França. As articulações, musculatura e os hormônios responsáveis pelo humor agradecem!

gif

Foto em destaque: Andrea Piacquadio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *