Basta o mês de julho chegar, que todo mundo corre para os famosos “destinos de inverno“. Pensando em poupar seu bolso, selecionamos cidades mais baratas do que Campos do Jordão para você desbravar, relaxar e curtir atrações semelhantes a um dos mais famosos municípios paulistas.

As belezas naturais da extensa cadeia montanhosa da Serra da Mantiqueira podem ser apreciadas em três estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. Ao longo deste pictórico percurso, existem muitos lugares para conhecer, alguns mais desenvolvidos turisticamente e outros menos, mas todos com cantinhos especiais.

As regiões que são parte do maciço rochoso chegam a estar entre 1.000 e 3.000 metros de altitude, o que justifica as temperaturas mais amenas ou baixíssimas durante o inverno. Assim, águas termais, lareira, comida quentinha e bons vinhos são pedidas ideais para abraçar a época mais fria do ano.

Nessa temporada, te convidamos a explorar alternativas mais econômicas do que Campos do Jordão, afinal, a Serra da Mantiqueira vai muito além da “Suíça brasileira”. Vam’bora!

São Lourenço (MG)

A 304 km de São Paulo, São Lourenço é conhecida por suas águas termais de propriedades medicinais, que se concentram em boa parte no Parque das Águas, a principal atração turística da cidade de clima ameno. Por lá, os visitantes apreciam a natureza e podem contemplá-la do alto do mirante, que é alcançado com a ajuda de um teleférico.

Centros hidroterápicos e fontes também estão disponíveis para tratamentos terapêuticos e de bem-estar. Na estação ferroviária, o Trem das Águas leva os viajantes para um percurso turístico a bordo de uma Maria Fumaça, indo até a estação de Soledade de Minas.

Cidades mais baratas do que Campos do Jordão: São Lourenço, em Minas Gerais – Foto: divulgação/Iepha MG
Foto: divulgação/Chateau Palace Hotel

São Francisco Xavier (SP)

Distrito de São José dos Campos, a 170 km da capital, São Francisco Xavier está entre o verde da Serra da Mantiqueira, oferecendo assim uma porção de paisagens entre grutas, cachoeiras, picos e trilhas. O turismo rural também se faz presente, seja em ranchos que oferecem passeios a cavalo ou na gastronomia típica de roça.

Uma variedade de chalés e pousadas acolhem os turistas, enquanto ateliês, como o Ateliê & Galeria de Arte Quintal da Prosa, reúnem peças de arte local.

Foto: Adenir Britto/PMSJC/Divulgação
Foto: divulgação/Airbnb

Visconde de Mauá (RJ)

Sabe aquele discurso de se isolar no meio do mato? Visconde de Mauá pode ser o lugar ideal para isso. Mas veja, não é bem uma cidade e sim um distrito de Resende, a 1.200 metros de altitude, resultando em temperaturas mais baixas. O friozinho faz com que casais se refugiem nas charmosas pousadas, equipadas com lareira.

Os mais corajosos saem rumo aos seus encantos naturais, que passam por mais de 100 cachoeiras, piscinas naturais e infinitos vales verdes. Para começar a brincadeira, visite o Parque Ecológico Cachoeiras do Santuário, na divisa com Minas Gerais. Depois, dê um passeio pela Vila de Maringá, centrinho comercial com boas opções gastronômicas, e pela Vila de Maromba, que preserva até hoje a atmosfera hippie que tomou conta dali nos anos 1970.

cidades para curtir o inverno
Cidades mais baratas do que Campos do Jordão: Visconde de Mauá, no Rio – Foto: Wikimedia Commons
Foto: divulgação/Chalé Cantinho Verde

Gonçalves (MG)

Araucárias e pinheiros logo entregam que Gonçalves, em Minas Gerais, é parte Serra da Mantiqueira. A apenas 220 km de São Paulo, a cidade com pouco mais de 4 mil habitantes é uma mistura entre o ecoturismo, tanto de aventura quanto o de contemplação, e o turismo rural, onde ainda vive boa parte da população.

Por ser uma região montanhosa, com muitas tortuosas estradas de terra, passeios de 4×4 fazem sucesso. Os aventureiros também fazem trilhas em busca de cachoeiras. No centrinho se concentram ateliês, lojas, cafés, restaurantes e algumas pousadas. As outras ficam no alto de colinas, mais longes da civilização. Verdadeiros refúgios para renovar as energias.

Foto: via Turismo em Gonçalves
Foto: divulgação/Chalé Pôr do Sol

Joanópolis (SP)

A anos atrás, Joanópolis era conhecida como a “capital do lobisomem”. A fama hoje, felizmente, é outra. A cidade a 130 km de São Paulo abriga a maior queda d’água do estado, a Cachoeira dos Pretos, que tem 154 metros de altitude e faz parte da porção de Mata Atlântica preservada da região.

Outras cachoeiras, rampa de Asa Delta e trilhas se incluem entre os atrativos. O ecoturismo fez o município prosperar, assim como os eventos culturais, em especial a Festa Junina, que abraça o legado caipira. A arquitetura também desperta a atenção, já que os impactantes casarões coloniais se fazem presente até os dias atuais.

Foto: divulgação/Turismo Joanópolis
Foto: divulgação/Airbnb

Caxambu (MG)

Quem disse que no inverno não pode piscina? O município em Minas Gerais é tão abastado de águas hidrotermais, que suas fontes atraíram até a família imperial durante o século 19. Banhos de sais, espuma, duchas escocesas e um balneário hidroterápico são algumas das especialidades encontradas, além de sauna e massagens. Digno de um final de semana bem relaxante, não é?

Aproveite para caminhar no belíssimo Parque das Águas, que conta com 12 fontes de água mineral das mais variadas propriedades químicas, gêiser, piscina de água mineral, balneário hidroterápico, lago com pedalinhos e teleférico, que dá acesso ao Morro de Caxambu, a aproximadamente 1.090 m de altitude.

A cidade fica a 327 km de São Paulo, mas vale a pena! Edifícios coloniais, praças charmosas, pousadas aconchegantes e comida mineira caseira complementam a viagem.

Foto: divulgação/Prefeitura de Caxambu
Foto: divulgação/Hotel União

São Bento do Sapucaí (SP)

Vizinha de Campos do Jordão, a estância climática a 185 km da capital é porta de entrada para a famosa Pedra do Baú, pico com 1.950 metros de altitude que faz os olhos dos montanhistas brilharem. Por causa das maravilhas naturais da Serra da Mantiqueira, acaba atraindo aventureiros em busca de atividades como Rapel, trekking e voo livre.

Se você não precisa de tanta adrenalina assim, não se preocupe. Há inúmeros pontos apenas para contemplação em meio à paisagem rústica e bucólica, além pousadas charmosas no meio da vegetação, bons restaurantes e um artesanato muito rico, feito de palha de bananeira, sambentista (fruta nativa) e outros materiais pelas mãos de 80 artesãos da Associação Arte no Quilombo.

Cidades mais baratas do que Campos do Jordão: São Bento do Sapucaí, em SP – Foto: divulgação/Geraldo Francisco da Silva
Foto: divulgação/Hospedaria Vida na Roça

Maria da Fé (MG)

A cerca de 80 km de distância de Campos do Jordão, Maria da Fé é uma pequena e centenária cidade mineira a 1.200 metros de altitude, com história ligada à agropecuária. Porém, ficou conhecida como a mais fria de Minas Gerais, chegando a ter geadas.

Ocupando também um trecho da Serra da Mantiqueira, encanta os turistas com as diversas oliveiras e cerejeiras nas vias públicas. Não por acaso, tem seus atrativos voltados para atividades ao ar livre na natureza e o turismo rural. Passeios a cavalo, trilha até o topo do Pico da Bandeira, visita a antigas fazendas – com destaque para a produção de azeite – e aquela deliciosa comida mineira feita no fogão à lenha podem estar inclusos na sua viagem.

Foto: Edison Zanatto
Foto: divulgação/Hotel Colonial Gold

Santo Antônio do Pinhal (SP)

Entre rios, montanhas, picos e vales da Serra da Mantiqueira, Santo Antônio do Pinhal é outra boa alternativa para fugir de Campos do Jordão. A estância climática a 170 km de São Paulo tem entre seus atrativos o Jardim dos Pinhais, que reúne plantas de diversos países em oito jardins temáticos. Além disso, conta com cachoeiras, fontes de água pura e mirantes.

O cenário natural também se torna um playground para aventureiros, que podem praticar voo livre, rapel, arvorismo, trilhas e escaladas na região. A cidade fica cheia durante a feira de artesanato, a Festa do Pinhão (agosto) e a festa da orquídea na temporada do inverno. Pousadas aconchegantes isolam os casais em busca de descanso e acolhem do frio.

Você também pode ir até a Estação Eugênio Lefévre para embarcar num passeio que liga Pindamonhangaba, Santo Antônio do Pinhal e Campos do Jordão.

Foto: divulgação/Prefeitura de Sto Antônio do Pinhal
Foto: divulgação/Pousada Alemã

Paranapiacaba (SP)

Foi-se o tempo em que Paranapiacaba era apenas um lugar esquecido. Localizada entre o alto da Serra do Mar e o Grande ABC, a antiga vila operária inglesa de visual pitoresco fica a apenas 44 km da capital paulista, visto que é um distrito de Santo André. Lá não entra carro, sendo preciso deixá-lo em um estacionamento próximo.

Logo na entrada já se avistam casinhas simples de madeira, ruas de terra e muita vegetação. Uma ponte atravessa a centenária linha de ferroviária e mira para um relógio que instantaneamente lembra a herança britânica da região. Até hoje é possível chegar de trem, saindo da Estação da Luz aos finais de semana.

O mês de julho fica bem cheio, com o Festival de Inverno e a Feira Literária. Prepare-se para as baixas temperaturas! E aproveite para provar o cambuci, fruta típica da Mata Atlântica, servida na forma de suco, doce e até cachaça. Os mais aventureiros podem optar ainda pelas trilhas, que levam à belíssimas quedas d’água.

Cidades mais baratas do que Campos do Jordão: Paranapiacaba, em SP – Foto: Brunella Nunes/QCV
Foto: divulgação/Hospedaria Os Memorialistas

Para curtir todas essas cidades, o ideal é ir de carro. Se você não tem um, faça aqui sua pesquisa de aluguel de carro! Diárias a partir de R$80.

 

*Hospedagens com valores entre R$ 100 e R$ 200 por dia, pesquisadas para dois adultos no período de agosto de 2019.

25 cidades no Brasil que se parecem com a Europa

12 comentários

  1. Campos do Jordão é caro pra quem quer ostentação. Quem sabe onde ir e o que fazer, não gasta a fortuna que a maioria diz que é. Basta perguntar e pesquisar, ou pra quem quer se divertir, sem gastar absurdos, vá em Agosto ou na baixa temporada, e pergunte para os moradores.

  2. Um ótimo lugar para se hospedar em São Bento do Sapucaí são as tendas do La Brume (insta: @labrume.lodges) que tem vista privilegiada da Pedra do Baú.

  3. De todas as opçoes citadas, impossivel eu deixar minhas recomendaçoes para que conheçam Sao lourenço MG
    Amoooo esta cidade

  4. São Bento do Sapucaí
    Cidade encantadora com varios pontos turísticos
    A pedra do baú tem várias atrações para aventureiros e para pessoas que curtem a natureza
    A Vinicula Santa Maria e uma visita super interessante e com uma vista de tirar o fôlego
    O quilombo é uma passeio que todos amantes da natureza e de artesanato devem conhecer
    Ah não percam o almoço do restaurante trincheira cardápio de alta qualidade
    Está cidade é uma graça e cada vez que volto descubro mais encantos

  5. Em Joanópolis, há a Pousada da Dona Silvana, é de se sentir em casa de tanto aconchego e simpatia da dona. Não poderia recomendar outro lugar senão este, a 5 min. a pé do centro, com praça igreja, supermercado, lotérica, restaurante td. Amei estar tds as vezes lá.

  6. O Photozofia Arte & Cozinha de São Francisco Xavier, esta fechado já tem um tempo, infelizmente ! Eu cheguei a ir duas vezes. Realmente era muito gostoso o ambiente e a comida.
    Adoro a cidade !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verão 2020

Programe-se para curtir as belezas da Bahia no próximo verão! Temos dicas de lugares incríveis para suas férias.