Quando falam sobre a França, muitas pessoas já associam o nome diretamente à sua capital, Paris. Embora seja uma cidade fascinante, que tanto já falamos aqui, existem outras cidades francesas para se apaixonar e descobrir o que o país tem de tão especial além da Torre Eiffel.

Entre picos nevados e um litoral de causar inveja, as cidades francesas têm um ponto em comum: tanto charme que não cabe em suas próprias nas fronteiras. No caso da chamada Côte d’Azur, ou Costa Azul, faz divisa com a Itália e tem o mar Mediterrâneo a seu favor.

Na fronteira alemão e suíça, quem ganha cada vez mais fama é a Alsácia, repleta de castelos, aldeias e vales maravilhosos, além da rota dos vinhos. Com tantas qualidades, motivos é o que não faltam para agendar sua próxima viagem a França.

1. Marselha

Uma das maiores cidades francesas está também entre as mais antigas de toda a Europa. Em Marselha se encontram ruínas romanas, arquitetura medieval e muitas veias culturais dentre as ruas que saem do velho porto. Entre as atrações mais impressionantes estão os Calanques, uma série de estruturas de calcário escavadas cortadas por um mar turquesa apaixonante.

Marselha

Calanque

A um passo da Alemanha, a capital da Alsácia é a casa do Parlamento Europeu e outras instituições europeias importantes, como a Corte de Direitos Humanos. O centro histórico se destaca por sua arquitetura que mistura elementos franceses e alemães, reunindo ainda museus, uma bela catedral gótica, shoppings e cafés.

Strasburgo

3. Biarritz

Não muito distante da Espanha, Biarritz fica numa área tranquila da Baía de Biscaia. As praias são ótimas para banho e para o surfe, sendo Grand Plage uma das mais badaladas durante o Verão. Os surfistas preferem ficar na Cote de Basque, no boulevard de Prince de Galles.

Biarritz

4. Bordéus

A cidade portuária próxima ao oceano Atlântico está recheada de atrações, incluindo marcos arquitetônicos, bons shoppings, mais de 350 monumentos históricos e uma cena cultural de dar inveja. Igrejas medievais, belas praças, antigas pontes charmosas, como a Ponte de Pierre, vilarejos e vinícolas complementam os encantos do destino.

Bordeaux

5. Nice

O maior balneário da Riviera Francesa é também o maior porto da França. Nice tem muito a oferecer aos turistas, seja no centro histórico, nas praias banhadas pelo Mar Mediterrâneo ou num passeio de bike pelo famoso Promenade des Anglais. Os bares, pubs e clubes noturnos se enchem noite adentro.

Nice

Com vista para o Monte Branco (Mont Blanc), a mais alta e emblemática de toda a Europa, Chamonix esbanja charme e se consolida como destino de inverno ideal durante as férias. Aos pés dos picos nevados atraem milhões de visitantes anualmente, sedentos pela prática de esportes esqui e alpinismo.
Chamonix
7. Mônaco/Monte Carlo
O microestado no sul da França é conhecido por atrair milionários que passeiam com seus yachts e curtem o dia em cassinos e hotéis caros. Aliás, é o cassino Monte Carlo que ainda fica no topo da lista de atrações turísticas do local, que ainda conta com um Museu Oceanográfico e Aquário, e um palacete que antes era um forte medieval.

Monaco

8. Colmar

Na região da Alsácia, um dos vilarejos mais importantes da Rota do Vinho é Colmar, cidadezinha influenciada pelas culturas francesa, suíça e alemã. Um dos atrativos é a Pequena Veneza, um canal onde dá para passear de barco por 30 minutos. Não deixe de visitar também a antiga casa de Auguste Bartholdi, escultor da Estátua da Liberdade.

Colmar

9. Yvoire

Com elementos medievais do século 14, Yvoire está repleta de castelos, portas enormes e muralhas. A antiga e modesta vila de pescadores agora está entre os mais belos vilarejos franceses, celebrando 710 anos em 2016.

Yvoire

10. Èze

Com 429 metros de altitude, é a cidade mais alta da Europa e mantém seu charme antigo, visto em ruas estreitas e nas ruínas de um castelo medieval. É nela onde Nietzsche apresenta parte do livro Assim falou Zaratustra, de 1883. A aldeia tem como chamariz o artesanato, os edifícios históricos e um jardim com mais de 400 plantas raras.

eze

Post por Brunella Nunes
Fotos: reprodução

4 comentários

  1. Tenho nos últimos anos vagado por ruas de várias cidades do mundo, onde o americano do norte foi na frente com câmaras cibernéticas instaladas nos chifres de carros. De Francistown na Botswana, de Belogorsk nos confins da Rússia, de Sucre na Bolívia, de Calgary no Canadá a Pau d´Arco no Brasil… tenho vagado…vagado por muitas outras. A sensação pueril, sóbria e religiosamente extática é como que um espectro a migrar extremamente de um extremo a outro. Agora a pouco eu estava vagando pelas ruas de Dijon na França, terra da minha querida Santa Elizabete da Trindade. Entre centenas de detalhes termino aludindo a um forte denunciador da transitoriedade da vida neste planeta: existem cidades que são quase todas elas uma só periferia, outras que nunca ouviram falar disto…:)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *