A mente humana é um terreno fértil para pensar besteira. Prova disso é o número incontável de piadas que já foram feitas em relação a cidades com nomes engraçados. No Brasil, o que não faltam são nomes curiosos em vários municípios, povoados e distritos.

Nhecolândia (MS), Marcianópolis (GO), Veado Velho (CE), Mata Pais (SP) Chá de Alegria (PE) são apenas alguns deles. Abaixo podemos saber da origem destas nomenclaturas tão exóticas:

Jardim de Piranhas (RN): próxima a divisa com a Paraíba, a cidade a 315 km de Natal teve sua fundação ao redor de uma capela, onde surgiram as primeiras casas. O povoado que ali ocupou era chamado de Ribeira das Piranhas. Depois de ter o nome mudado para Jardim das Flores, se tornou Jardim das Piranhas por conta do peixe encontrado nas águas do rio.

Rolândia (PR): o município na região metropolitana de Londrina ganhou esse nome devido a primeira construção local, em 1934, o Hotel Rolândia. A vila então acabou acolhendo o nome e assim permaneceu.
Curralinho (PA): o nome basicamente tem origem na palavra curral, que no diminutivo se torna Curralinho. Gostaram tanto da ideia, que existem não apenas uma cidade com este nome, mas duas! Uma no Pará e uma em Minas Gerais, além de também ser nome de bairro no interior de São Paulo.
Curralinho
Residência Fuck (SC): com nome bem exótico e curioso, Residência Fuck de Monte Castelo é um distrito na região de Canoinhas. A origem do nome, porém, é desconhecida.
Entrepelado (RS): este é um distrito em Taquara, onde a comunidade de imigrantes alemães se formou em meados de 1883. O nome Entrepelado é um  termo utilizado para dizer da cor de um cavalo que não tem uma pelagem específica.
Pau de Estopa e Afoga Bode (MA): pouco se sabe sobre a origem dos nomes, mas ambos são povoados e não municípios. O primeiro fica em Coroatá e o outro em Pirapemas.
Não-Me-Toque (RS): há muitas histórias ao redor do nome do município gaúcho. Mas, a teoria mais provável é por conta da vegetação local. A planta conhecida como Sucará ou Espinho de Santo Antônio, e mais popularmente como não-me-toque, é abundante na região.
Canastrão (MG): chamada de Canastrão de Tiros, faz parte da região de Patos. O município se divide em dois distritos, Tiros e Canastrão, mas pouco se sabe sobre a origem do nome.
Anta Gorda (RS): o município recebe os moradores e turistas com um monumento que faz jus ao nome: uma estátua de uma anta. O animal era abundante na região e, segundo lendas locais, uma grande anta foi abatida certa vez nos primórdios, fazendo com que o local ficasse conhecido por este feito.
Anta Gorda
Pessoa Anta (CE): parte do município de Granja, Pessoa Anta faz alusão ao Coronel João de Andrade Pessoa Anta e integra os outros seis distritos da região de Camocim e Acaraú.
Nenelândia (CE): a vila no município de Quixeramobim tem nome que faz jus ao apelido de seu fundador, o comerciante e líder comunitário Manoel Ferreira e Silva, também chamado de Nenéo.
Pintópolis (MG): a 600 km de Belo Horizonte, a cidade foi fundada por Germano Pinto, que era dono de terras e abriu espaço para a construção de casas e comércios. Assim surgiu Pintópolis.
Passa e Fica (RN): entre Nova Cruz e São Bento, um homem construiu sua casa em 1929 e ali construiu também uma bodega. Quem passava pela estrada sempre parava por lá e não queria mais sair. Foi então que se formou um povoado ao redor deste pequeno negócio, conhecido como Passa e Fica.

Ressaquinha (MG): antes de ser conhecida como Ressaquinha, seu primeiro nome era Encruzilhada do Campo. O nome vem carregado de várias teorias sobre sua origem. Uma delas aponta que havia uma fazenda no local, que era banhada por cursos d’água, fluxos que vinham das águas da Ressaca de Carandaí. Em menor escala, era então chamada de Ressaquinha.

Pintopolis
Ao redor do mundo, a cena é a mesma e sempre há espaço para a nossa imaginação fértil. No Panamá, podemos encontrar Boquete, um distrito da província de Chiriquí que, em espanhol, significa lacuna. Já na Áustria existe um vilarejo chamado Fucking, nome que é uma homenagem ao comandante militar Focko Ukena.

 

Em Borgonha, o povoado francês Anus é alvo constante de piadinhas. No Estado de Oregon (EUA), a cidade Boring (chato, em inglês) faz uma homenagem ao soldado William Boring. Tem também Bösta, na Suécia; Bunda, na Austrália e até Batman, na Turquia.
A mais impressionante, porém, é a pequena cidade de Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogochno País de Gales, chamada também de Llanfair. A tradução? Igreja de Santa Maria no fundo do aveleiro branco perto de um redemoinho rápido e da Igreja de São Tisílio da gruta vermelha.
llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch

5 comentários

  1. … ‘só’ estas? Há muito mais.
    Aki no RS há várias; alias tal ENTREPELADO só descobri hoje – e resido no Estado há anos.
    Algumas aqui abordadas e em outros sites acabei de descobrir.
    No mundo, há muitas: creio mais do que no Brasil. Alguns exemplos… Banana, na AUSTRÁLIA. Na NZ, uma de um nome gigante que não me recordo agora/sendo de origem nativa. Nos EUA, uma chamada BRAZIL (onde dizem ‘não haver nenhum brasileiro morando’).
    E retornando aqui no país: no RS ainda… DOUTOR RICARDO. Outra: TIO HUGO. Mais uma, TRAVESSEIRO. Cidades pequenas até.
    Em SC há outras parecidas: ANTONIO CARLOS, que parece ser junto à capital. Outra chamada MARAVILHA (que se situa junto à fronteira de outro país).
    No RJ (de onde sou), há uma chamada PAU GRANDE (de um famoso ex- jogador).
    No MARANHÃO; uma chamada CENTRO DO GUILHERME.
    E por aí vão.

  2. Aqui no ES tem algumas :Fundão; Pau Gigante, hoje Ibiraçu que significa pau gigante, já outras que eu acho é: Serra;Alegre e Colatina, minha cidade e a coloquei nessa lista pois percebi que parece que alguém colou uma pessoa que se chamava Tina em algum lugar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *