Nós já falamos aqui no blog que Kiev é o melhor destino para quem tem pouca grana e muita vontade de cruzar o oceano. Mas, como não dá para cobiçar só um lugar do mundo, separamos quais são as cidades mais baratas na Europa para que você economize e curta mais cidades do Velho Continente do que imaginava!

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que o euro não é uma moeda tão amiga dos brasileiros. A diferença, geralmente, é de 3 x 1 . Ou seja, um euro é mais ou menos três reais (o choro é livre, tá?). Quando a gente fala em “viagem econômica“, tudo depende do seu estilo de vida e do quanto você está disposto a abrir mão de conforto ou regalias.

Assim sendo, as capitais mais conhecidas como Paris, Barcelona e Viena não são assim, o que podemos chamar de econômicas. Porém, se a sua ideia é partir para os destinos mais badalados, saiba que existem sim algumas cidades com preços mais democráticos, como Santorini e Atenas, na Grécia; Nápoles, na Itália; São Petersburgo e Moscou, na Rússia; Lisboa, em Portugal; Madri, na Espanha; Edimburgo, na Escócia; Berlim e Hamburgo, na Alemanha.

Dito isso, o que temos abaixo são lugares nem tão famosos assim para quem vai à Europa pela primeira vez por exemplo. De qualquer forma, são interessantes! Olha só:

*dica: clique no link para saber todos os custos das cidades 😉

Kiev

A capital da Ucrânia tem se destacado pela gastronomia, a agitada vida noturna e a riqueza arquitetônica de suas construções. Além disso, tem bons preços. A moeda é desvalorizada e a política em constante disputa com a Rússia não facilita as coisas para o crescimento econômico. Quem tira uma casquinha disso são os viajantes, que conseguem se virar com aproximadamente R$ 92,22 por dia, ou 697 hyvnias, a moeda local. Segundo levantamentos de dados, os custos na cidade chegam a ser até 40% mais baratos do que em São Paulo.

Sófia 

Tida ano após ano como uma das cidades mais baratas da Europa, a capital da Bulgária é tranquila, bucólica e moldada pelo sincretismo, tendo como principais religiões e templos as doutrinas judaica, cristã ortodoxa, católica e islamita. Na hora de fazer a conversão da moeda local, não há tanta desvantagem assim: 1 Lev equivale atualmente a R$ 2,07. Segundo o levantamento do Quanto Custa Viajar, gasta-se em torno de R$ 200 por dia com alimentação, hospedagem em hostel, transporte e ao menos um passeio pago.

Cracóvia 

Uma das mais antigas cidades polonesas, a Cracóvia é marcada pela vida acadêmica, artística e cultural. Pelas ruas se observam belos edifícios medievais e entre castelos, igrejas e monumentos, além da maior praça pública de toda a Europa. A Polônia se consagra ainda como uma das melhores viagens econômicas do continente, onde se gasta, em média, R$ 99,60 por dia. A passagem aérea chega a ser um tanto salgada, mas os custos no país são baixos. A diária em um hostel chega a ser R$ 24,00 e a entrada de atrações pagas fica em torno de R$ 10,00.

Istambul 

Com um pé na Ásia e o outro na Europa, Istambul é uma cidade multicultural e vibrante. Seus templos religiosos, lojas de design, mercados artesanais, restaurantes e galerias de arte encantam os turistas pela qualidade e diversidade. Atualmente, 1 Lira Turca equivale a R$ 0,83 ou seja, sorte grande para os brasileiros! O gasto médio para uma viagem com pelo menos três meses de antecedência é de R$ 300,00 por dia, incluindo alimentação, hospedagem em hostel, transporte e ao menos uma atração e um passeio pagos.

Bucareste

Localizada na Romênia, a cidade que já foi conhecida como “Pequena Paris” é rodeada de grandes construções de arquitetura clássica junto à outros edifícios modernos, hotéis charmosos e bons pontos gastronômicos. Seu maior atrativo, porém, são os preços. Com cerca de R$ 103 por dia é possível sobreviver deste lado do Leste Europeu. Falando em custos diários, com R$ 44,13 dá pra se virar em um hostel bacana e com R$ 60,00 se come razoavelmente bem.

Zagreb

A capital croata é um poço de cultura, a começar pela arquitetura histórica do antigo império austro-húngaro, além de influências renascentistas e barrocas. Além de tudo, é um hub de conexão para outras cidades, como Dubrovik (famosa por causa da série Game of Thrones) e para outros pontos da Europa. Com cerca de R$ 129 por dia dá para desbravar todos os cantos do destino, incluindo atrações gratuitas ou curiosas, como o Museu dos Relacionamentos Partidos, além de uma escapada até o exuberante Parque Nacional Plitvice.

Budapeste 

A capital da Hungria tem dupla personalidade: de um lado, conserva edifícios históricos, enquanto do outro reúne obras modernas. O que divide ambos, além do estilo, é a ponte Széchenyi Lánchíd e o rio Danúbio. A cidade já foi eleita como uma das opções de melhor custo-benefício na Europa. A média de gasto diário é de R$ 121,00. Dá para se bancar por lá desembolsando aproximadamente R$ 30 no hostel; R$ 9,12 no transporte; R$ 84,25 na alimentação e R$ 20,85 numa atração paga, como a Basílica de São Estevão.

Bratislava

Pouco conhecida, a capital da Eslováquia parece se perder entre as vizinhas badaladas, a Austria e a Hungria. Apesar de peculiar, a região é bem bonita, rodeada de edifícios históricos, castelos e celebrações medievais. Os preços acessíveis ajudam a atrair os turistas, que gastam em torno de R$ 154 por dia. Os hostels têm preços médios de R$ 40 por dia e dá para forrar o estômago ao longo do dia com R$ 50.

Belgrado

A Sérvia pode não estar nos seus planos, mas vale sim uma parada. De fato, passou por alguns problemas sociais, políticos e econômicos bem sérios. Mas não deixe que isso ofusque seu brilho! Na capital, Belgrado, você consegue ser feliz com até R$ 100 por dia. A cidade em ascensão tem um centro urbano vivo, interessante e mais agitado ainda ao cair da noite. Vale a pena conhecer os museus e badalar em um dos barcos a beira do rio durante o Verão.

Riga

Pouca gente sabe, mas Riga é uma pechincha para mochileiros de plantão. Com míseros seis euros dá para arrumar uma cama em dormitório de hostel e com cerca de R$ 120 você sobrevive bem ao longo de, pelo menos, um dia. A capital da Letônia transita entre o descolado e o tradicional, cheia de detalhes apaixonantes por suas ruas. As fachadas dos edifícios são simplesmente a coleção de Art Nouveau mais rica do mundo. Se você não perde um rolê cooltural, esse lugar precisa estar na sua listinha.

*Preços e cotações consultados em maio de 2018; sujeitos a alteração sem aviso prévio. Para este levantamento de preços foi utilizada a base de dados do Quanto Custa Viajar e também do ranking Backpacker Index 2018.

Fotos: divulgação

Vai mochilar? Confira dicas para viajar de trem pela Europa 

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *