Falar no telefone já está meio fora de moda, mas depois da invenção do smartphone, ninguém mais vive sem ele. Na hora de planejar uma viagem, eis que surge a dúvida: quanto custa um chip de dados para celular no exterior? Com preços bem variados, é melhor saber antes quais são as opções mais viáveis para suas necessidades e seu bolso.

Basicamente, o viajante pode optar por chips de operadoras locais ou por chips versáteis que funcionam em vários países. Como internet não é mais um pequeno luxo e sim uma necessidade, certamente você vai precisar dela para se locomover, pegar informações e se manter em contato com o Brasil com uma praticidade infinitamente maior.

Antes de tudo, lembre-se antes de ter um plano que permita o uso de roaming, pois nem todos os planos o permitem, e o mais importante, não use seu plano brasileiro fora do país, porque não vale a pena o preço que se paga. Confira outras dicas e comparação de custos neste post aqui.

Vamos citar algumas opções de chip de dados para celular no exterior que podem te ajudar:

Quem viaja para o Caribe, ou mais precisamente Cancún, pode escolher pelo simcard Amigo, vendido em lojas de shoppings da Telcel, que é a maior do México e tem a maior cobertura. Nos celulares Android ou iOS, também é possível contratar pacotes pelo app Mi Telcel. Os planos estão a partir de 199 pesos mexicanos, sendo 50 pesos já entrando como crédito. Há ainda as operadoras Movistar e AT&T Unidos.

Na Europa, a não ser que a viagem seja apenas para um destino, o melhor a se fazer é comprar um chip que seja útil em todos os países da União Europeia, que agora possuem roaming gratuito (válido para SMS, dados e voz), ou seja, isento de tarifa internacional, incluindo ainda Noruega, Liechtenstein e Islândia no pacote. Os chips custam a partir de 10 euro, mas tudo varia de acordo com o plano do pré-pago.

Entre as principais operadoras está a Orange, que cobre até a América Latina, África e a Ásia, além de oferecer planos “férias” (chamado de holiday), que custam a partir de 39,99 euros, incluindo 10 GB de dados. O chip pode ser encontrado em aeroportos, tabacarias/revistarias e lojas próprias.

Se não vai passar por outros países além do destino inicial, é melhor comprar um chip na própria cidade que visitar. Como opção também de destaca a Vodafone, que tem planos a partir de 18 euros, nos quais o usuário consegue pagar apenas pelo o que utilizar.

Na Islândia (relembre nossa viagem pra lá aqui), que não é um país barato, os chips são vendidos online, nos sites e lojas das operadoras, nos aeroportos ou em lojinhas de conveniência. A operadora Símmin cobra 2.900 coroas islandesas (cerca de R$ 76/US$ 24) por um pré-pago de 10 GB de internet e entrega gratuita no seu hotel.

No Estados Unidos, além de usar o EasySIM4U, que é uma das melhores opções no país, existem muitas outras empresas com GoPhones (como são chamados os pré-pagos) a preços bem amigáveis. A AT&T oferece planos – com roaming para o México e Canadá – a partir de US$ 30 e os chips podem ser comprados em quiosques de telefonia dos shoppings, outlets e lojas próprias. A Verizon tem planos de US$ 40 a US$ 80, sendo esse último ilimitado. Para quem deseja apenas dados, paga a partir de US$ 15.

Já a T-Mobile – a mesma que controla o EasySIM4U – oferece planos diários, chamados de pay as you go, que custam a partir de US$ 3 por dia para quem quer voz ou SMS, e a partir de US$ 5 por dia para quem precisa de internet. Ou seja, o valor vai sendo acumulado diariamente, a medida em que a pessoa vai utilizando. Os planos mensais estão a partir de US$ 45 e o International Tourist, exclusivo para turistas, custa US$ 30.

Os pré-pagos da operadora Sprint oferecem dados, voz e SMS ilimitados por US$ 60 mensais. Uma linha adicional sai por um pouco menos, US$ 40, e a terceira sai por US$ 30. Talvez seja vantajoso para quem vai usar muito o celular, viaja em grupos ou ficará bastante tempo no destino.

Quando a equipe do Quanto Custa Viajar esteve na Rússia (relembre nossa trip aqui), optamos pelo MTC (na verdade é MTS, mas nas lojas está escrito MTC – vai entender os russos…!), que é uma das maiores operadoras do país, com diversas lojas e estandes pelas cidades. A tarefa mais baixa custa 500 rublos (R$ 27) por mês e inclui 7 GB de internet, 200 SMS, ligações gratuitas para usuários da MTS por toda a Rússia, chats ilimitados em qualquer aplicativo de mensagens e navegação pro qualquer rede social.

Viagens para mais de um país – o que fazer?

Os que viajam para vários destinos podem optar pelos chamados chips internacionais, que funcionam em vários países. Um dos mais utilizados pelos brasileiros é o EasySIM4U, elogiado pelo custo-benefício, a velocidade e o sinal da internet. Este é um chip de dados, ou seja, que não serve para ligações ou SMS (a não ser que seja no Estados Unidos). Ao todo, são mais de 140 países com internet ilimitada por até 30 dias, o que já é o suficiente para muitos viajantes. A compra é feita pela internet, os planos custam a partir de US$ 35 e fazem entregas no Brasil em até 10 dias úteis.

Quem viaja pela América do Sul pode optar por ele ou consultar opções no site Travel Mobile, que oferece chips para vários continentes distintos, passando pela Ásia, América Latina, América do Norte, Caribe e Europa. Você consulta planos pré-pagos de acordo com o local para onde vai.

Por fim, uma última dica, porém muito valiosa é que você vasculhe o Wiki SIMCard, um fórum de debate para viajantes trocarem informações sobre diversas operadoras ao redor do mundo. Ali há tópicos sobre chips pré-pagos, custo-benefício, área de cobertura, esclarecimento de dúvidas e até uma lista de operadoras para evitar.

Post por Brunella Nunes
Fotos: divulgação

Quando não está viajando pelo mundo, está viajando nas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *