O Café A Brasileira se tornou uma tradição no bairro de Chiado, em Lisboa. O estabelecimento pioneiro no segmento foi inaugurado em 1905 por Adriano Telles, um jovem português que veio para o Brasil e se especializou nos negócios de café. Teles retornou ao país de origem e passou a importar o legítimo café de Minas Gerais, que no começo era visto com maus olhos em Lisboa.

Foi no A Brasileira de Lisboa que surgiu o termo “bica”, usado até hoje pelos lisboetas para se referir a um cafezinho. Dizem por aí que bica seria a abreviação para “Beba Isto Com Açúcar”, algo inovador naquela época em Lisboa e um incentivo para tornar a bebida mais agradável para o paladar de alguns clientes.

Partiu, viajar? Encontre passagens aéreas para Lisboa aqui!

Era no Café A Brasileira que Fernando Pessoa tomava uma bica acompanhada de um queque quentinho (um muffin tradicional do país).

A presença de Fernando é o que mais atrai os turistas ao local, tanto que existe uma estátua imortalizada do poeta português sentado em uma mesinha da calçada em frente ao café — ponto oficial para muitas fotos desde 1980, quando foi inaugurada.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Tuk Dreams (@tukdreams.pt) em

O café também funcionava como ponto de encontro de outros artistas e escritores da época, que faziam as famosas tertúlias literárias, que eram reuniões para dialogar sobre um livro clássico.

Onde se hospedar em Lisboa? Confira nossas dicas aqui!

Além da casa em Lisboa, ainda existem sedes no Porto, em Coimbra e em Braga.

Café A Brasileira em Lisboa

café a brasileira em lisboa
Foto: Wikimedia Commons

O ambiente charmoso e histórico chama a atenção logo pela fachada Art Nouveau, um projeto de autoria de Norte Júnior feito em 1922. O interior é todo em Art Déco, com muita madeira, cadeiras talhadas, espelhos pelas paredes e mármore.

As pinturas na parede são peças de artistas modernistas que frequentavam o estabelecimento na época, tanto que muitos consideram o Café A Brasileira como o primeiro museu de arte moderna da cidade.

O destaque mesmo fica para o teto, todo decorado com gravuras e candelabros. Definitivamente, é excelente ficar apreciando cada detalhe do local que chega a lembrar um pouquinho a linda Confeitaria Colombo, no Rio de Janeiro.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Lisboa Secreta (@lisboasecreta) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por @ethanbks em

Com jardim secreto no coração de Lisboa, o Selina Secret Garden é uma ótima opção de hospedagem

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Food&CityTips (@foodandcitytips) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por SHINRA (@blanc__xx) em

Mas nem tudo são flores. Ao visitar o Café A Brasileira, prepare-se para encarar longas filas e tumulto — a cafeteria está sempre lotada e caótica. Ok, sei que Fernando Pessoa já disse que “quem tem alma não tem calma”, mas por lá é preciso.

O menu traz três preços diferentes, fique atenta a isso: um para saborear seu café nas mesinhas da calçada (bem mais caro), outro para beber na área interna e, com valores mais baixos, cafés para beber em pé no balcão. Isso é bem comum na Europa, inclusive na Itália, onde várias cafeterias cobram um valor mais elevado quando o cliente vai se sentar em uma mesa.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Erinn Ryu (@erinnryu) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Elroy Vanderley (@elroyvanderley) em

Os preços são pouquinho mais altos do que se encontra em Lisboa. Um café varia entre €2 a €7. Já os doces, tem arroz doce por €3, bolos e cheesecake por €3,50. Pratos com carne ou peixe custam entre €15 e €32 — lembre-se que sempre tem diferença de preços para balcão, mesa interna e calçada.

O que realmente pode desagradar no Café A Brasileira é o atendimento (Telles deve se revirar na cova todos os dias). No meio de todo o tumulto, os funcionários deixam a experiência dos clientes a desejar e muitas vezes são rudes e brigam entre si — um comportamento bem incomum de se ver em Portugal, sempre com tantas pessoas queridas.

Se você já pagou o valor para beber o café no balcão e liberou uma mesa, nem se arrisque em querer sentar porque os garçons não vão deixar (e também não peça para ir ao banheiro antes de pagar pelo consumo).

Você já foi ao local? Conta aqui nos comentários como foi sua experiência! Mesmo com essas regrinhas, chatices e jeitão de caça-turista, vale a visita para conhecer um ponto relevante para a história e a cultura de Lisboa.

Café A Brasileira em Lisboa

  • Endereço: Rua Garrett, 120/122, Chiado.
  • Horário de funcionamento: das 8h às 02h.
  • Como chegar: pegue o metrô e desça na Estação Baixa-Chiado, saindo em direção ao Largo do Chiado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *