Edifícios históricos já chamam a atenção pelo simples fato de existirem. Com o tempo, muitos deles vão sendo ressignificados, como é o caso do Jaguar, um antigo hotel que agora abriga um bar descolado no Centro de SP, região cada vez mais vibrante e cheia de novidades.

O prédio erguido nos anos 1940 chegou a ter seu auge, com moradores ilustres como o cantor Roberto Carlos. Passou também pela decadência, até se transformar recentemente numa espécie de república estudantil, igualmente cool, com quartos e comunidades direcionadas para estudantes na capital.

Foto: divulgação/Jaguar Bar

No térreo, um neon cor de rosa sinaliza que ali na Av. Duque de Caxias, bem aberto para a calçada, funciona o Jaguar Bar. De visual retrô, assinado pelo estilista e sócio Vinícius Campeon, o salão com pé direito altíssimo chama a atenção pelos itens decorativos, como enormes bolas e lustres redondos pendurados no teto, o filtro de porcelana, a fórmica reluzente das mesas coloridas, o cor de rosa pastel das paredes ao balcão do bar.

O intuito era realmente despertar essa curiosidade: é velha guarda ou moderno? A resposta é que consegue realmente casar com as duas atmosferas, em especial com a informalidade da boemia, que tanto recorda o Centrão da cidade. Estar bem próximo do movimento da rua, somado à casualidade do atendimento (que é ótimo) e o fato de não ter que se preocupar com uma etiqueta mais refinada fazem a gente se sentir bem confortável.

Foto: Brunella Nunes

Nas mesas, bem coladinhas entre si, o que se observa é uma pluralidade de público, típico de lugares convidativos assim, abertos ao mundo. Haviam grupos em mesas maiores, um casal mais maduro e elegante, amigas estilosas compartilhando alguns drinks e namoradas apaixonadas num encontro romântico. E nós, que saímos de casa num sábado qualquer em busca de comer e beber bem.

Encontramos. Apesar de fazer sucesso no Instagram pelo cenário fofo, o bar descolado no Centro de SP é bem mais do que um rostinho bonito. O menu assinado por Fábio Scharbele foca em milanesas, que vão do aperitivo ao pratos principal, e coquetelaria.

É possível escolher o tipo de proteína (bovina, suína ou vegetal – que no caso é um blend de cogumelo) para a milanesa, somada a dois acompanhamentos à escolha do cliente. Indico o delicioso purê de vegetais. Há também legumes assados, arroz, salada, fritas, entre outros. A refeição é bem servida e custa R$ 29 (vegana) ou R$ 31 (com carne).

Bar descolado no Centro de SP tem como foco as milanesas – Foto: Brunella Nunes
Foto: Brunella Nunes

Entre os sanduíches, a milanesa vegana acompanha homus e chutney de abacaxi (R$ 28), enquanto a bovina vai com fonduta e molho de tomate fresco (R$ 35). A casa também serve parmegiana e algumas outras opções de prato. As três opções de sobremesa são o pudim de leite (R$ 7), o Piernik, pão de mel polonês (R$ 9) ou uma fruta do dia (R$ 5).

Os drinks passam pelos clássicos, como o Negroni e o Gin Tônica. Mas é mais interessante optar pelos autorais, como é o caso da Rainha Vitória (R$ 28), feito com gin Vitória Régia, xarope de violeta, suco de limão siciliano e clara. Lindo, gostoso e cheio de frescor. Também circula bastante entre as mesas o Jaguar (R$ 28), que leva gin, clara, limão, hibisco, hortelã, açúcar e angostura.

Agora, uma seção igualmente notável na carta são os coquetéis sem álcool, atualmente em ascensão. Custam R$ 12 e são feitos pela mistura de água com gás ou tônica, xarope e fruta. Será que a moda pega?

Foto: Brunella Nunes
Foto: divulgação/Jaguar Bar

O vizinho

Surpresa ou não, logo na esquina no Jaguar Bar está outra casa dos mesmos donos, o Napolino, que também tem unidade em Pinheiros. O visual não deixa enganar que mais do que vizinhos, ambos são irmãos. Mas neste caso, a decoração presta homenagem ao compositor Renato Carosone e o time do Napoli dos anos 1980.

Entre as semelhanças, mais influência italiana na cozinha: pizzas napolitanas de fermentação natural de 24 horas. Da forneria a lenha saem redondas com molho caseiro, em sabores variados. A que leva o nome da casa é feita com ragú, alho e parmesão (R$ 36). A Zucca Arrostito é diferentona, com abóbora assada com pesto de amêndoas, provola defumada e folhas de manjericão (R$ 40).

Para beber, a pizzaria serve cervejas artesanais da marca Avós, drinks e Clericot, que pode acompanhar as noites mais quentes.

Essa “mamma” fez bons filhos e tudo indica que a família vai continuar aumentando.

https://www.instagram.com/p/By5N1r9nzew/

Como chegar

O bar descolado no Centro de SP fica muito bem localizado, na Av. Duque de Caxias – 421, Campos Elísios. Há duas estações de metrô próximas: Marechal Deodoro e Luz.

  • 🌿 [veggie/vegan]
    🌈 [LGBTQ+ friendly]

Não está em São Paulo? Garanta já a sua passagem área com o melhor preço!

Detalhes da decoração do bar descolado no Centro de SP – Foto: Brunella Nunes
Foto: divulgação/Jaguar Bar
Foto: Brunella Nunes

Conheça 10 opções baratas de hostels descolados em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *