Quem vai à Irlanda provavelmente já ouviu falar ou recebeu muitas recomendações sobre Temple Bar, uma vizinhança  lotada de bares e vida noturna agitada. Mas poucos sabem que, na verdade, o bairro Smithfield, em Dublin, é um dos mais descolados e divertidos do país.

Tradicionalmente industrial, como muitas regiões que ganharam fama mundialmente, começou a se desenvolver como reduto cool e vem tomando forma na mão dos moderninhos. A história não é novidade. Situado na área de Dublin 7, o pequeno notável bairro foi erguido ao redor do mercado Farm Market e os aluguéis eram baixos, o que começou a atrair os olhares dos mais jovens.

Ao centro está uma grande praça onde acontecem festivais como o BlueFire Street Festival, que reúne apresentações musicais, live painting, oficinas e atividades infantis. Os arredores abrigam academias, brechós e algumas das principais atrações.

A arte urbana invadiu os muros do edifícios novos e antigos, formando uma galeria a céu aberto e, consequentemente, atraindo turistas e suas câmeras fotográficas. Muitos eventos culturais acabam promovendo ainda mais o graffiti e colorindo o bairro.

A partir de vários pontos também se observa a torre da Old Jameson Distillery, fábrica do whisky homônimo, que oferece tours assim como as cervejarias Heineken e Guinness, duas das principais atrações de Dublin. Logo ao lado está o Generator Hostel, que funciona não só como hospedaria, mas também como ponto de encontro, café e bar.

Saindo de lá, siga para o The Lighthouse, um cinema de rua com cadeiras coloridas adornando as salas, onde se vê desde filmes clássicos dos irmãos Coen até o último lançamento da sétima arte. Para escutar boa música, acompanhada de boa bebida, o clássico pub familiar Cobblestone não deixa a desejar.

Para ir às compras ou garimpar coisas legais, vá ao Bloco B de Haymarket, onde há uma porção de itens vintages com preços bem amigáveis. Por ali também se encontram alguns cafés, pubs e restaurantes bacanas como o Third Space, Oscars Bar Cafe e The Brazen Head.

A galera hypada se reúne em peso no Block T, incluindo designers, artistas, músicos e criativos que exalam e buscam inspiração. É uma organização artística que oferece uma plataforma para artes visuais e performances, funcionando ainda como hub de inovação filosófica, social e criativa. Outro ponto parecido com este é o The Joinery, um espaço e estúdio onde funcionam projetos de arte, música, etc.

Mesmo rejuvenescida e um tanto hype, a região conseguiu manter suas antigas características, que a torna tão autêntica e especial. Vale o passeio e, quem sabe, a estadia por lá.

Na vizinhança ao lado, em Dublin 8, aproveite para conhecer o Flea Market, mercado de pulgas cheio de relíquias, que já falamos aqui. Antes, não deixe de fazer um passeio pelos lugares históricos da cidade.

Confira aqui todos os custos de uma viagem para Dublin!

Post por Brunella Nunes
Fotos: reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verão 2020

Programe-se para curtir as belezas da Bahia no próximo verão! Temos dicas de lugares incríveis para suas férias.