Ir para Campos do Jordão e não aproveitar seus atrativos naturais deveria ser um pecado mortal. A cidade a 256 km de São Paulo vai muito além do charmoso centrinho lotado de restaurantes, bares e lojas. Basta sair daquele miolo para encontrar quedas d’água, jardins floridos e morros com uma vista deslumbrante.

Considerada a cidade mais alta do Brasil, Campos está a 1.700 metros de altitude. Andar pelas ruas, seja a pé, de bicicleta ou de carro, já é um passeio agradável de se fazer porque cada cantinho ali encanta os olhos. Tudo é realmente muito bonito; as casas em estilo enxaimel, as araucárias que as rodeiam, o trem que cruza os caminhos, os campos floridos que surgem no meio do nada…

Saindo da Praça São Benedito, que é o centrinho da Vila Capivari, a primeira parada natureba na cidade pode ser o Bosque do Silêncio. Que lugar bonito! O acesso é livre e você percorre várias trilhas, todas bem sinalizadas, com níveis de dificuldade distintos e com boa infraestrutura. Dá para praticar arvorismo, tirolesa e outras atividades, essas pagas a parte.

Seguindo pela estrada se encontra a Ducha de Prata, um conjunto de pequenas quedas d’água, construído por mãos humanas. O acesso é gratuito e você pode chegar lá com o Trenzinho da Montanha, que sai da frente do teleférico. Aproveite o passeio para fazer uma comprinhas nas lojas de souvenires ao lado da Ducha, com preços bem mais em conta do que as do centro comercial.

Não deixe de explorar o local, andar até as quedas que estão mais à frente, seguindo os caminhos abertos no chão. É difícil se perder por ali, mas siga somente até onde for seguro.

Depois, pela mesma estrada, está o Parque Estadual Horto Florestal, numa área de 8,3mil metros quadrados, que dá 40% do município inteiro. A natureza impera por ali, em lagos, bosques, no viveiro de plantas e nas três trilhas diferentes que possui. A entrada custa R$ 13 (ou R$ 6,50 se for meia entrada) e há churrasqueiras e restaurante no local.

Outro ponto turístico muito conhecido é o Pico do Itapeva, que em seus 2.030 metros de altura abriga o lago mais alto do país. De lá de cima, os aventureiros avistam as silhuetas da Serra da Mantiqueira e até 15 municípios vizinhos, na região do Vale do Paraíba. A entrada é gratuita! Há ainda o mirante do Pico do Ibiri, a 1800 metros acima do nível do mar, e a Pedra do Baú, na vizinha São Bento do Sapucaí, muito apreciada por montanhistas e adeptos do trekking.

Foto: Boulevard Geneve

O Parque Amantikir é um caso de amor aparte. Vá com tempo, para admirar cada flor que brota do chão. A beleza é tanta que chega a doer! São muitas espécies botânicas para conhecer em cada um dos jardins. No Labirinto as pessoas se divertem. Nos mirantes, se perdem entre as infinitas montanhas. A trilha que leva até o jardim japonês é muito agradável e tem um ponto para fotos que é excelente, pegando boa parte do cenário do parque. O único defeito do lugar é que a entrada aos finais de semana é bem salgada: R$ 40,00.

Se o orçamento for menor, opte por uma ida ao Borboletário Flores que Voam, onde se observam até 35 espécies coloridas e nativas, além de aprender mais sobre as borboletas, que só voam em dias ensolarados. Este é um dos poucos borboletários do Brasil com visitação aberta. Custa R$ 30 inteira ou R$ 15 meia entrada, com gratuidade para crianças até 7 anos.

Ao sair da cidade, não deixe de parar na Vista Chinesa. Já na beira da Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, o mirante é uma boa última parada, para te deixar com saudades de Campos. E aproveite para respirar o ar puro da Serra da Mantiqueira antes de ir embora, porque é realmente revigorante.

Os caminhos da Ducha de Prata levam a outras pequenas quedas

[+] Aproveite um pacote para Campos com aéreo incluso!

O Bosque do Silêncio conta com algumas atividades, como arvorismo e tirolesa

O famoso teleférico da cidade também ajuda a apreciar a natureza, lá do alto

O caminho para o Parque Amantikir passa por trilhos do Trem do Mirante

[+] Nessa viagem também conhecemos uma microcervejaria em Campos. Vem ver!

Post por Brunella Nunes
Fotos: Brunella Nunes e Fábio Feltrin/Equipe QCV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *