Sabia que tem gringo que viaja centenas de quilômetros só para conhecer as melhores cachoeiras de Pirenópolis? A pequena cidade no interior de Goiás é um verdadeiro oásis natural, destacando-se pelas quedas d’água aos pés da Serra dos Pireneus, a 120km de Goiânia e a 130km de Brasília.

Para o deleite dos estrangeiros ou dos nativos, a cidade conta com 82 cachoeiras e grande parte delas são abertas para visitação. Entre as rochas de quartzo brotam fontes de águas cristalinas e de baixa salinidade, provenientes da Bacia do Paraná e da Bacia do Tocantins.

O resultado disso é um mergulho refrescante e que deixa saudades. Além disso, algumas possuem maior infraestrutura, oferecendo atividades de lazer e refeição caseira. Conheça as principais delas para adicionar no seu roteiro de viagem:

Cachoeira do Abade: dentro da Fazenda Cabaçais, a cachoeira de 22 metros desaba a partir de um cânion e cai num poço de 900 metros quadrados, onde fluem as águas do rio das Almas. A reserva tem ainda outras quatro cachoeiras e mirantes. O mesmo acesso, feito por trilhas moderadas, leva até a Cachoeira do Canyon, que é naturalista.


Cachoeira Usina Velha: onde funcionava uma antiga usina elétrica é hoje uma das cachoeiras mais conhecidas de Pirenópolis. Uma série de pequenas quedas d’água formam piscinas naturais, com afluente do rio das Almas. O acesso, feito por trilhas, fica a apenas 3,5 km do centro histórico da cidade.

Cachoeira do Rosário: dentro de um santuário natural, a Cachoeira Nossa Senhora do Rosário cai a 42 metros de altura, entre as paisagens da mata ciliar que a cerca e corredeiras de águas cristalinas. Há ainda outras três quedas no local, acessadas por trilhas mais difíceis.

Cachoeira dos Dragões: a cerca de 40 km da cidade, numa região conhecida como Várzea do Lobo, está um complexo com oito belas cachoeiras de água potável e cristalina. Acessadas por trilhas moderadas em mata fechada, passando por paisagens diversas, como veredas e campos cerrados. O local não possui infraestrutura. Se levar lanche, lembre de recolher seu lixo. Não é permitida a entrada com bebidas alcoólicas.

Cachoeira do Ouro: com afluente do rio Corumbá, na divisa com a cidade homônima, a cachoeira do Ouro forma um poço de águas mornas, com temperaturas médias de 20ºC. É uma das principais atrações do Salto Corumbá Camping Clube Hotel, que possui outras seis opções de quedas d’água. O local possui quartos, área para camping e opções de lazer.

Cachoeira das Araras: com fácil acesso e a apenas 18 km do centro da cidade, a cachoeira tem apenas sete metros de altura, formando piscinas tranquilas entre as rochas ao longo de seu caminho. É indicada para pessoas com dificuldades de locomoção, crianças e idosos. Por estar dentro de uma área particular, conta com estrutura para receber visitantes, com banheiros e restaurante aberto aos finais de semana.

Santuário da Vida Silvestre Vagafogo: a 6 km da cidade, a primeira RPPN (Reserva Partícular de Patrimônio Natural) do Estado ocupa 23 hectares de mata ciliar ao redor do rio Vagafogo. Conta com uma pequena cachoeira e piscina natural, uma trilha entre árvores centenárias, arvorismo e rapel. Ainda dá para sair de lá de barriga cheia: a fazenda oferece brunch com 45 itens de produção própria, com itens típicos do cerrado.

Reserve aqui sua hospedagem em Pirenópolis para curtir essas belezas!

Fotos: divulgação/via/via

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *