Você provavelmente já sabe como funciona o Airbnb e talvez até já tenha reservado uma hospedagem através da plataforma.  Mas, por diversos motivos, há quem escolha dar uma chance aos concorrentes do serviço – e eles podem ser tão bons quanto o famoso site de aluguel por temporada.

Além de serviços convencionais, bastante similares ao que o Airbnb já oferece, há também plataformas que se focam em nichos especializados de hospedagem. Elas são voltadas ao público LGBT, à celebração da cultura negra ou mesmo em pessoas da terceira idade, que buscam fazer amigos enquanto viajam. Afinal, existe algum souvenir de viagem melhor do que uma amizade?

Espia só estes serviços que oferecem aluguel por temporada com um toque diferente. 😉

Diáspora.Black

Depois de vários casos de racismo envolvendo usuários do Airbnb (exemplos aqui e aqui), estava na hora da comunidade negra ganhar um espaço em que pudesse se sentir confortável enquanto viaja. Esse serviço nasceu aqui no Brasil. Trata-se do Diáspora.Black, um site para reserva de acomodações focado na valorização da cultura negra. Além de hospedagem, os viajantes também podem reservar experiências, como um bike tour em Salvador ou um passeio pela cultura black em São Paulo.

A cor da pele não é um pré-requisito para participar da plataforma, visto que não há nenhum tipo de distinção entre os usuários. O único necessário é ter interesse em aprender, vivenciar e valorizar a cultura negra, seja através da estadia ou de experiências que celebrem a diversidade.

Foto: Suad Kamardeen/Unsplash

Mister B&B

Não são apenas as pessoas negras que sofrem preconceito em plataformas de aluguel por temporada. A comunidade LGBT também pode não se sentir confortável em algumas acomodações mais “tradicionais”. Para resolver esse probleminha e levar pra longe qualquer cara feia, foi criado o Mister B&B, um site de reserva de hospedagens com foco no público gay.

Disponível em 135 países, o serviço surgiu justamente da necessidade de seu criador. Matthieu Jost reservou um apartamento em Barcelona com seu companheiro e, na chegada, a anfitriã ficou surpresa e pareceu desconfortável ao perceber que eles iriam dormir na mesma cama. Percebendo que mais pessoas deveriam passar por situações similares, Matthieu deu origem ao site.

Foto: Diego Duarte Cereceda/Unsplash

Freebird Club

Passou dos 50 e ama viajar? Então talvez o Freebird Club seja a sua cara! Este serviço surgiu em Kerry, na Irlanda, e em sua fórmula está o fato de que as viagens podem ser grandes aliadas da longevidade, como explica o blog Across Seven Seas.

Novamente, foi uma experiência pessoal que originou o estalo para criação da plataforma. Peter Mangan era professor na Universidade de Dublin e, portanto, alugava sua casa de campo em Kerry quando estava fora. Era seu pai, Owen, quem ficava responsável por receber as visitas. Peter reparou que, ao hospedar pessoas de idade semelhante à sua, o pai ficava mais feliz e fazia novos amigos, que iam muito além de uma simples relação entre anfitrião e hóspede.

Desde 2017, pessoas acima dos 50 anos podem se unir a esse clube e viajar fazendo amizade com pessoas que estão no mesmo estágio de vida que eles e, assim, trocar experiências de como a maturidade pode ser incrível ao redor do mundo.

Foto: Jan de Keijzer/Unsplash

Innclusive

O Innclusive é um site de aluguel por temporada que nasce visando evitar qualquer tipo de discriminação dentro da plataforma. Vários detalhes do serviço foram pensados para refletir essa política. Uma das medidas tomadas nesse sentido foi a de só mostrar as fotos dos hóspedes após a confirmação da reserva. “Discriminação ocorre no Airbnb e em outras plataformas primariamente pelos usuários vendo os nomes e fotos dos hóspedes antes de aceitar sua reserva. Em nossa plataforma, removemos essa oportunidade para discriminação ao introduzir a foto só após a reserva ser confirmada“, explica o site do serviço.

Outras medidas preventivas foram o uso de reserva instantânea para 99,9% das propriedades, bem como criação de recursos que impedem que um anfitrião diga que sua propriedade está indisponível para um hóspede e disponibilize-a para outra pessoa nas mesmas datas. Além disso, toda a divulgação do serviço é feita visando a pluralidade, ao mostrar homens e mulheres de diversas etnias e idades, o que contribui para afastar pessoas que tenham preconceitos contra qualquer tipo de minoria.

Foto: rawpixel/Unsplash

Boutique Homes

Uma espécie de Airbnb apenas para quem pode pagar por estadias de luxo. As propriedades são exibidas no site apenas com base em convites, É o lugar para encontrar uma casa desenhada por aquele grande arquiteto, um porto seguro localizado no meio daquela paisagem cinematográfica ou experiências únicas de hospedagem.

Entre os arquitetos que assinam as residências que podem ser locadas através da plataforma estão Benjamin Cox, Herbert Kreisler, R.F Schindler e Frank Lloyd Wright.

Foto: Boutique Homes/Reprodução

Try it Tiny

Você já deve ter ouvido falar do movimento das tiny houses. São casas minúsculas, mas que possuem todo o necessário para viver – e, geralmente, com muito estilo!

Try it Tiny é um site focado justamente no aluguel destes pequenos, mas encantadores, espaços. Apesar de ser puro wanderlust, o serviço só está disponível nos Estados Unidos (por enquanto!).

Roam

Embora seja semelhante ao Airbnb e outros serviços de aluguel por temporada, o Roam traz uma proposta de coliving, focada em nômades digitais. Por enquanto, há apenas cinco localidades disponíveis no site: São Francisco, Londres, Bali, Miami e Tóquio.

Pagando a partir de € 500 por semana por quarto, os hóspedes podem participar de uma comunidade que vai muito além do compartilhamento de uma casa, mas inclui ainda um espaço de coworking aberto 24 horas e experiências de convivência, como passeios e jantares em grupo.

Foto: Roam/Reprodução Facebook

Alugue Temporada

Um serviço brasileiríssimo, que funciona há anos no país e recentemente foi adquirido pelo HomeAway. Desde então, a oferta de propriedades só cresceu. O Alugue Temporada funciona de maneira bastante similar ao Airbnb e qualquer pessoa pode anunciar seu imóvel, pagando uma comissão de 5% sobre as reservas.

Para alugar, o futuro hóspede seleciona a cidade e datas de sua viagem e depois pode filtrar os resultados pela proximidade com o mar, montanhas ou com o centro da cidade, bem como pelo tipo de imóvel ou serviços disponíveis. Se preferir, existe ainda a possibilidade de listar apenas residências ideais para famílias com crianças ou imóveis que aceitam animais de estimação.

Foto: AlugueTeporada/Reprodução Facebook

Veja também: 10 lugares sensacionais para alugar no Airbnb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *