Quando estamos em alguma parte do mundo, é difícil dizer adeus e voltar pra casa. Mas as lembranças de viagem ajudam a dar um acalanto no coração! Pensando nisso, separamos 10 maneiras de recordar de um lugar incrível, indo muito além do básico “souvenir”.

O artesanato é um ótimo aliado para começar a armazenar de forma organizada e afetiva as suas jornadas. É interessante notar que o assunto desperta inspiração, visto que existe na internet inúmeros jeitos de agrupar as lembranças de viagem em cadernos, caixas, potes, molduras, etc.

Tem gente que poderia ser até profissional no assunto, como é o caso do artista José Naranja, que desde 2005 acumula cadernos de bolso maravilhosamente ilustrados e detalhados.

Foto: José Naranja

Confira abaixo como organizar as lembranças de viagem

  • Fotografias analógicas: quem disse que o rolo de filme estava morto se enganou! A fotografia analógica segue firme e forte nas mãos de gerações que hoje a encaram como material artístico. Basta ter alguma relíquia na bagagem, como os modelos Olympus Trip 35 ou Pentax K1000, para ir clicando belas fotografias, sem a chance de ‘deletar’. Ver o resultado revelado depois é quase sempre uma agradável surpresa.
Foto: Taryn Elliott/Pexels
  • Fotolivro: depois de revelar ou imprimir algumas fotos, que tal colocá-las num fotolivro? É uma alternativa ao álbum de fotografias comum, neste caso com toques mais artísticos e narrativos, visto que as imagens podem vir acompanhadas de adesivos, lembranças divertidas, emocionantes ou deliciosas escritas nas páginas. Se a preguiça de fazer um do zero é maior, você pode recorrer à empresas especializadas, que já possuem uma vasta gama de modelos pré-prontos para entregar o produto personalizado.
Foto: reprodução/MixBook
  • Caderno de viagem: semelhante ao fotolivro, o caderno de viagem tem mil possibilidades de registro. Não é preciso seguir regras. Basta separar um caderno prático de carregar para ir fazendo anotações de experiências que teve, a primeira coisa que pensou ao chegar no destino, a comida que mais gostou ou o dia que viveu uma grande aventura. As histórias ficarão sempre frescas na memória se você anotá-las a tempo. 
  • Varal de fotos: as fotos reveladas também podem se transformar em um varal decorativo. É bem simples de fazer e existe uma variedade de materiais para serem utilizados como varal. Basta pregar ou colar na parede um ou mais fios de pisca-pisca, cordão de sisal ou juta, barbante, fita de cetim, entre outros. Pequenos pregadores, vendidos em papelaria, entram em cena para segurar cada foto. 
  • Cartão postal: os cartões postais surgiram no século 19 como uma simplificação da carta. Um tipo de bilhete que pode ser enviado sem a necessidade de envelope. Foram muito utilizados no passado, mas a partir dos anos 2.000 passaram a ser cada vez mais um item de colecionador. Até hoje é fácil encontrá-los em bancas e lojas de souvenirs ao redor do mundo. Há quem compre para se recordar do destino, colecionar ou enviá-lo a alguém. Quer uma dica diferente? Enquanto estiver viajando, envie os postais para seu próprio endereço, registrando o que acontecia naquele exato dia ou momento da vida. É uma maneira interessante de se deparar com as lembranças de viagem na hora do retorno para casa.
Foto: reprodução/TeePublic
  • Ímãs: os ímãs são outro item de colecionador para quem é viajante de carteirinha. E só tem vantagens! São fáceis de encontrar, de armazenar e de exibir. Você pode comprar ímãs do próprio destino ou encomendar ímãs com fotos impressas da sua viagem. A porta da geladeira se torna um mural, ficando cada vez mais cheia de recordações. Há também os painéis metálicos, que tem um espaço considerável para abrigar os ímãs que vieram junto na bagagem. 
  • Scrapbook: o scrapbook seria uma versão 2.0 do caderno de viagem. Costuma ser bem artesanal, como um livro de recortes personalizado. Existem modelos próprios de cadernos para scrapbook, que têm as páginas mais grossas, evitando que a cola vaze ou que a tinta, caso seja utilizada, não manche as outras folhas. Vale colocar no “diário de bordo” tudo o que a imaginação permitir, incluindo desenhos, fotos, carimbos, papel de bala, ingresso de teatro e até selo postal. É uma junção de pequenas coisas para grandes lembranças.
  • Caixas de memórias: separar pequenas caixas para agrupar itens de cada viagem também pode funcionar como “cápsula do tempo”. Você pode fazer ou encomendar uma caixa em MDF para decorar com o nome de cada destino. Depois basta colocar dentro de cada uma delas as lembranças de viagem e armazená-las na estante de livros ou onde preferir.
Foto: reprodução/RevelMadison
  • Quadro de recordações: uma opção decorativa semelhante às caixas são os quadros de recordações, que não exigem nenhum trabalho mais artesanal, com cola, tinta ou tesoura. Basta separar algumas lembranças bacanas do país ou cidade visitada, como mapas, bilhete de metrô, passagem aérea, folhetos informativos e outros itens que considerar importantes. O segredo para agrupar tudo na mesma moldura é descartar o fundo original e criar uma nova, deixando o quadro com mais profundidade. Confira no tutorial abaixo.
  • Coleções em vidros: ter coleções é um hobby, mas nem sempre as pessoas encontram maneiras de exibi-las. Que tal armazenar as coleções vindas de outros países em um pote de vidro? Você pode colocar moedas de todos os locais por onde passou, rolhas de vinhos, tampinhas de cerveja, ingressos, conchas, entre tantas outras coisas que te fazem recordar daquela viagem especial.
Foto: Miguel Á. Padriñán/Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *