Praias paradisíacas, safáris e outras belezas naturais resumem as Ilhas Maurício

Praias paradisíacas, safáris e outras belezas naturais resumem as Ilhas Maurício



Isoladas a cerca de 2 mil quilômetros de distância da costa africana, as Ilhas Maurício estão bem longe do Caribe, porém seu visual se compara ao o que chamamos de paradisíaco. De origem vulcânica, alia em sua paisagem natural a beleza das montanhas junto com as praias de areias branquinhas e mar maravilhosamente azul turquesa.

Por volta do século 10 foram os árabes que avistaram essas terras intocadas de 65 quilômetros de extensão, banhadas pelo Oceano índico. Depois vieram os europeus, mais precisamente os espertos portugueses, por volta do século 15. Porém, quem começou a colonizar mesmo o território foram os holandeses, que até nomearam a ilha em homenagem ao príncipe Maurício de Nassau.

Eis que ninguém queria deixar esse pedaço de paraíso sem tomar alguma posse. No século 18, os franceses mudaram seu nome para Ilha da França e assim permaneceu até que os ingleses chegassem e retomassem o nome anterior. Só em 1968 é que veio a independência e em 1992 a República. Até mesmo a Índia aparece em alguns traços dos moradores, suas vestimentas e gastronomia.

Cheia de influências, não é de se espantar o quanto seja multicultural e tenha os idiomas francês e inglês como oficiais, além de línguas crioulas, resultado da proximidade com a África. Toda essa mistura étnica pode ser observada já na capital e centro econômico Port Louis, que se revela em sua arquitetura colonial, nos templos hindus, na grande estátua da deusa Shiva, nas mesquitas muçulmanas, nas ruas e nos mercados.

O que fazer

Entre seus principais pontos turísticos está o Champ de Mars, que é o hipódromo mais antigo do Hemisfério Sul; o Teatro Municipal, que é um dos mais antigos do oceano Índico; o Forte Adelaide, usado como ponto de observação no século 17 e hoje funciona como um dos principais mirantes da cidade; além de diversos museus, o centro de ciências Rajiv Gandhi, monumentos, shoppings e a orla, que reúne lojas e restaurantes com culinária típica e internacional.

Falando em praias, não faltam opções no arquipélago, indo desde opções mais agitadas até mais desertas e inóspitas. Apesar de todas serem públicas, a maioria é dominada por resorts, o que afeta seu visual e estilo. Ao Norte, quem faz sucesso é Grand Bay, reconhecida como o principal destino turístico das Ilhas Maurício. Sua infraestrutura conta com restaurantes, baladas, boutiques, hotéis e duas praias.

De lá partem barcos para a charmosa vila de pescadores Cap Malheureux, onde há uma capela que costuma sediar casamentos, além de sair em muitas selfies. Em Triolet, a maior atração é o templo hindu Maheswarnath Mandir, que presta homenagem a diversas deusas, como Ganesha e Krishna. Aproveite o dia para conhecer também o Jardim Botânico.

Para quem gosta de esportes aquáticos, a Ile Aux Cerfs reúne diversas modalidades, além de ser certamente uma das mais belas da região. O acesso é feito de barco, lancha ou catamarã. Nos arredores da parte Leste também se encontra Belle Mare, que reúne música, sorvete e bastante gente durante os feriados e fins de semana, proporcionando uma intensa troca cultural entre os locais e os turistas.

Já ao Oeste e Sudoeste, a famosa Le Morne atrai adeptos do surf, que ali encontram as melhores ondas, além de windsurf, kitesurf, vela e mergulho. A tranquilidade toma conta de Flic en Flac, onde é possível praticar snorkel, relaxar e descansar nos bangalôs para aluguel. Ao anoitecer, escolha um restaurante ou um barzinho à sua volta.

Os visitantes, que vão de casais em lua de mel à aventureiros, também se esbaldam em outros atrativos, incluindo safáris, passeios nas montanhas, trilhas em Parques Nacionais, observação de golfinhos e baleias, entre outros. Na região de Chamarel está uma cachoeira de 100 metros de altura e a fascinante Terra das Sete Cores. Localizada numa propriedade particular aberta ao público, aguça a curiosidade por conta da coloração verde, marrom e roxa do solo, resultado entre cinzas de vulcões, vento, rochas e clima quente.

Onde ficar

Como toda ilha que se preze, Maurícia é também dominada por resorts, hotéis, cabanas e B&B. Vamos dividir as estadias por preço e custo-benefício, assim você pode perceber que há um lugar ao sol para todos os bolsos. O St Regis Mauritius Resort, em Le Morne, oferece hospedagem cinco estrelas à beira-mar, com suítes e villas elegantes, além de seis restaurantes (a partir de R$ 1.145 por dia*).

Com visual mais praiano e uma estrela a menos, o Resort The Ravenala Attitude também não faz feio no quesito conforto e beleza. Rodeado por um jardim, a praia de Baie des Tortues e o Rio Citron, conta com 10 restaurantes, bares e spa (a partir de R$ 890 por dia).

Uma opção interessante e diferente é o Bubble Lodge, que fica numa histórica plantação de chá de Bois-Cheri (a partir de R$ 1.146 por dia com café da manhã e jantar inclusos). Rodeado pela natureza, é uma opção confortável para quem quer, literalmente, viver na bolha. Para curtir esse paraíso de um jeito diferente também há o Hotel Otentic Eco Tent, camping de luxo (glamping) com piscina próximo a praia de Ile aux Cerfs (a partir de R$ 630, com café da manhã).

No Bed & Breakfast Cocoholidays, que é como uma pousada familiar, os quartos são simples, porém os preços são bem atraentes para quem quer economizar (a partir de R$ 148 por dia com café da manhã). Um apartamento família no Valmarin, a 35 km de Grand Bay, acomoda até quatro pessoas e conta com piscina na propriedade (a partir de R$ 250 por dia para duas crianças e dois adultos).


Como chegar

O jeito mais prático de chegar à ilha é pegar um voo para Joanesburgo e de lá partir para Port Louis. Partindo de São Paulo, são aproximadamente oito horas e meia até a África do Sul. De lá, a conexão exige mais quatro horas de voo até o paraíso.Também é possível conhecê-la a bordo de cruzeiros. As empresas MSC e Costa possuem alguns itinerários, com preços a partir de R$ 5 mil.

Quando ir

Entre os meses de setembro e abril, mesmo com chuvas repentinas e rápidas, são os mais favoráveis, já que as temperaturas podem atingir até 35ºC. No restante do ano, é melhor evitar devido o risco de ciclones, ventos fortes e termômetros não muito atraentes para curtir as praias de águas cristalinas.

*Valores para dois adultos, pesquisados em agosto de 2017, sujeitos a alteração

Post por Brunella Nunes
Fotos: reprodução/Mauritius Tourism

Para onde viajar
Eu tenhoBudget
e quero viajar porDias
Para onde viajar

+ Não há comentários

Comente