Dica cool – tudo sobre o descolado bairro Palermo, em Buenos Aires

Dica cool – tudo sobre o descolado bairro Palermo, em Buenos Aires



Desbravar tudo o que uma cidade pode oferecer pode levar tempo, muito tempo, coisa que a maioria das pessoas não consegue fazer em uma semana de férias. Por isso, é importante saber quais são as regiões mais legais e interessantes para conhecer, assim a pessoa já chega preparada ao destino escolhido. Começando uma nova coluna no blog, a dica cool do dia é o bairro Palermo, em Buenos Aires, uma das preciosidades que não pode passar despercebida.

A região se divide em várias áreas, mas as mais conhecidas são Palermo Hollywood e Palermo Soho, além de incluir ainda Chico, Botanico e Alto Palermo. Sou suspeita pra falar porque este é, realmente, um dos bairros mais incríveis da cidade, daqueles que deixa saudades. Com ruas arborizadas, por ali se espalham bares, restaurantes, sorveterias, lojas de design, brechós, parques e muitos outros atrativos que ocupam facilmente uma semana inteira de atividades.

Foto: equipe QCV

Entre as minhas ruas favoritas estão a Malabia, Gurruchaga, Armenia e arredores. Por ali estão algumas praças bacanas, como a Plaza Serrano, que durante o dia pode ser destino para um cafezinho e para as compras, especialmente de antiguidades e marcas alternativas. A noite é badalada por conta dos bares e baladas nos arredores. Aos fins de semana fica mais cheia ainda, até porque domingo é dia de feirinha de artesãos.

Inclua ainda passeios pelas livrarias Eterna Cadencia, Boutique del Libro e Libros del Pasaje, pela galeria e bar Hollywood in Cambodia e o Espacio Modos, focada em arte urbana, Casa Cavia – centro cultural que já falamos aqui – e a Paul French Gallery, galeria que fica aos fundos de uma estreita e charmosa viela. Ali está uma loja de decoração que enche os olhos dos clientes, com elementos rústicos e industriais modernos. No segundo andar é possível encontrar vinhos para levar na bagagem.  

A elegante Casa Cavia

Trecho da galeria Paul French, uma das mais charmosas da cidade

Ao ar livre, o Jardín Japonês e o florido Paseo del Rosedal, onde há plantação de rosas de várias espécies dentro do parque Tres de Febrero, são ótimas pedidas para dias ensolarados. Quem quiser saber mais sobre o graffiti argentino, agende o tour Graffiti Mundo, que passa por vários murais, galerias e estúdios da região abordando o tema. Outro lugar descolado e bacana até para o happy hour é a Galeria Patio del Liceo, que reúne lojas de marcas alternativas, estúdio de tattoo, feirinhas e um bar que lota às sextas-feiras.

Foto: Brunella Nunes/QCV

Área ao ar livre da Galeria Patio del Liceo

Na hora das compras, prepare-se, porque as opções são inúmeras e as vitrines mega convidativas. As ruas Gurruchaga, Armenia, El Salvador e Jorge Luis Borges reúnem grande parte das lojas onde vale a pena dar uma espiada. Vou citar algumas sugestões ~diferentonas~, para quem quiser ir direto na fonte:

Seco: loja de produtos para dias de chuva, com uma pegada descolada e estampas incríveis. Tem galochas, capas de chuva, tênis impermeáveis, roupas, guarda-chuvas, chapéus, bolsas, etc.

Camboya: loja de roupas, acessórios e objetos de decoração étnicos, com pegada boho e hippie chic. Tecidos coloridos e vibrantes se espalham pelas araras.

Panorama: boutique de marcas argentinas, ao lado do Ecoparque (ex-Zoológico) com roupas casuais femininas e masculinas, vestidos de festa, jaquetas e bolsas de couro, tricôs feitos com novelos orgânicos.

Mimo & Co: roupas infantis estilosas, de boa qualidade e preços acessíveis

Mil Gracias: loja que reúne itens feitos por designers argentinos. Os produtos têm curadoria feita pelos donos do estabelecimento, que selecionam tapetes, luminárias, vasos, quadros, etc.

Trippin Store: reúne produtos exclusivos de artistas independentes do mundo todo, como ilustrações, toyarts, roupas e outras coisinhas.

Monoblock: papelaria com edições limitadas; cadernos, blocos, calendários, canecas, livros e objetos se espalham pelas charmosas prateleiras.

Calma Chicha: loja com muitos itens modernos feitos em couro: almofadas, bolsas, tapetes, pufes, poltronas…

CouCou: a pequena e lúdica loja também reúne itens de designers independentes da Argentina, como itens de decoração, papelaria, quadros, almofadas, bolsas e roupas de bebê.

Depois dessa jornada entre vitrines, certamente vai bater a fome e Palermo é recheado de opções bacanas para forrar o estômago. A Muu Lecheria, uma lanchonete inspirada nos anos 1950, é uma boa pedida para dividir a batata frita e um milk shake. Para comidinhas, vale a pena visitar também o café La Panera Rosa, alguma unidade da padaria Pani, o Farinelli (ideal para café da manhã, brunch e chá da tarde), a Ninina Bakery, a Pierina Tea House, o Mark’s Deli & Coffee House, o Oui Oui e o Voltaire Coffee and Deli.

Tudo pink no La Panera Rosa

Brunch na Ninina Bakery

Os charmosos Voltaire e Delaville Café

Quem quer opções mais naturebas pode recorrer ao Arevalito, que serve comida veggie o dia todo, ao b-Blue Deli e Natural Bar e ao Tiendas Naturales (foto), focado em gastronomia caseira, nutritiva, que atende de veganos a celíacos. Outra opção, não estritamente vegetariana, é o Artemísia, um lugar que serve pratos únicos e vinhos orgânicos, além de ter uma pequena padaria com itens caseiros.

Aliás, prove também novos sabores no Hola Jacoba, o primeiro restaurante de comida judaica da cidade. Ali se provam pratos típicos como humus, tabule e hamburguer de falafel. Para ir até o México, recorre ao La Fábrica del Taco, que tem ótimo custo-benefício.

Entre os restaurantes, claro que não dá para ir até a Argentina sem provar uma bela parrillada, mas você pode conferir as melhores churrascarias neste post. Também já falamos sobre o Olsen, um belo lugar para se provar delícias nórdicas e ter uma refeição especial. Seu animal de estimação pode te acompanhar no bistrô El Patio. Para comida honesta, com preços acessíveis em um ambiente bacana, vá ao La Hormiga e ao 1810, que tem uma das melhores empanadas da cidade. Tem também o badalado Bartola (tem também o Bartola Classic), que serve lanches e pizzas, mas vive cheio.

Saiba tudo sobre Buenos Aires aqui!

Falando em agito, vamos para a vida noturna do bairro, que olha, é BEM animada e super agradável. Não é difícil encontrar bares e pubs pelos arredores, mas uma das melhores coisas que já fiz por lá é ir ao Antares provar cervejas e chopes da casa. Para drinks sofistifcados e originais, o Negroni e o The Harrison Speakeasy (mesmos donos do Frank Bar, que é um dos melhores da cidade) são ótimas opções. Para encontrar uma galera hipster endinheirada, o Unicorn Huset faz as honras; para uma noite romântica, vá ao Rey de Copas; para ouvir música, Milo Lockett Bar; para algo mais despretensioso, o Esquina Libertad, onde há um belo terraço e preços amigáveis, é o lugar. Cheers!

O alto astral Esquina Libertad

O romântico Rey de Copas

Drinks bem elaborados do The Harrison Speakeasy

Ficou com mais vontade de ir para Buenos Aires? Confira em nosso site quanto custa essa viagem! Preços de passagem aérea, hospedagem, alimentação, transporte e muito mais!

Post por Brunella Nunes

Fotos: Brunella Nunes, QCV e divulgação

Quanto custa viajar para Buenos aires
Saindo desimulação de calculadora
com estadia desimulação de calculadora
Quanto custa viajar para buenos aires

2 comentários

Comente

+ Deixe um comentário